Viajar com drone: o que você precisa saber antes de embarcar

Viajar com drone: o que você precisa saber antes de embarcar

Pensando em levar seu drone na próxima viagem? Saiba que é preciso ter alguns cuidados com seu equipamento antes de embarcar, seja em viagens dentro ou fora do Brasil. Por isso, trouxemos dicas e orientações de como viajar com drone, incluindo documentos, onde colocar na mala e quais destinos são flexíveis para voar com o dispositivo.

Assim como todo eletrônico, é preciso ter alguns cuidados para transportar e utilizar com segurança estes equipamentos. Tanto no nosso território quanto em outros países, existem regras e indicações de operação para quem quer utiliza-los com fins recreativos.

Confira abaixo algumas orientações para viajar com drones e operá-los durante a experiência!

Viajar com drone no Brasil

As aeronaves não tripuladas, incluindo os drones, podem ser transportadas e utilizadas no Brasil tranquilamente, mas sob alguns critérios.  

No nosso país, existem algumas regras para utilização. Primeiro, é necessário ter o registro do drone junto a Agência Nacional de Aviacao Civil (Anac), caso ele faça parte da lista de equipamentos que necessitam do documento. Normalmente, as aeronaves não tripuladas para uso recreativo precisam apenas do cadastro do órgão. 

O registro é feito de acordo com o modelo do equipamento e você pode consultar detalhes sobre eles no site do governo brasileiro. 

Clique aqui para cadastrar seu drone no Sistema de Aeronaves não Tripuladas (Sisant).  

Após isso, para operar o drone, é preciso seguir algumas regras por questões de segurança e privacidade. 

Regras

  • Os drones só podem ser operados em áreas que permitam, no mínimo, 30 metros horizontais de distância das pessoas que não estejam pilotando ou participando da operação;
  • Cada piloto remoto só pode operar um equipamento de cada vez;
  • É preciso ter, no mínimo, 18 anos de idade para ser um piloto remoto ou auxiliar na operação;
  • O dono do equipamento precisa ter seguro com cobertura de danos a terceiros;
  • Com manutenção e controle do funcionamento do drone regulares, o equipamento precisa ter autonomia suficiente para o voo e o pouso no local previsto;
  • É necessário fixar uma identificação (número obtido no processo de cadastramento) no equipamento em local visível do drone e com material não inflamável;
  • É orientado que a operação seja, no máximo, a aproximados 40 metros de altura em locais urbanos ou até 120 metros em locais indicados para voos, como campos abertos e sem movimentação de pessoas e outras aeronaves.  

Viajar e utilizar drone em outros países

Destaque - Viajar com Drone

Antes de colocar o drone na mala e viajar, é preciso ter o cuidado de se informar sobre as legislações sobre o uso do equipamento no destino. Assim como no Brasil, existem algumas regras para o uso em diversos países, ainda que seja para fotos e filmagens recreativas.

E, além disso, ainda existem também os destinos em que a entrada e operação de drones é estritamente rígida e até proibida. Nesses casos, inclusive, você pode ter seu equipamento confiscado durante o desembarque ou até ser preso. 

Logo, evite prejuízos e perrengues e saiba antecipadamente se você poderá levá-lo em viagem. Sempre pesquise pela agência de aviação do país para saber quais as regras vigentes para os equipamentos. 

Para os países que possuem alguma legislação, as normas costumam ser semelhantes às do Brasil, como ter o registro ou autorização de voo da aeronave não tripulada pela autoridade que regulamenta a utilização e respeitar as regras de operação

Apesar de cada território ter as suas próprias indicações, no geral, elas costumam ser parecidas, como evitar espaços públicos, respeitar alturas de voos e ter cuidado sobre a área de operação para não estar próximo de aeroportos, bases militares, hospitais ou locais com concentração de pessoas. 

Confira alguns dos países para onde os brasileiros costumam viajar e possuem regras brandas, parciais e rígidas para transporte e uso de drone. 

Países onde o drone é liberado

Portugal, Espanha, Reino Unido, Irlanda, Noruega, Suécia, Suíça, Grécia, Polônia, Uruguai, Paraguai, Colômbia, México, República Dominicana, Emirados Árabes, Austrália, Nova Zelândia, Japão, Filipinas e outros. 

Países que exigem autorização ou possuem regras flexíveis

Peru, Argentina, Chile, Panamá, França, Alemanha, Países Baixos, República Tcheca, Áustria, Croácia, maior parte dos Estados Unidos (varia por estado), Turquia, China, Indonésia e outros. 

Países onde o drone é praticamente ou totalmente proibido

Bahamas, Egito, Catar, Arábia Saudita, Israel, Vaticano, Sérvia, Marrocos, Tunísia, Tailândia, Índia, Rússia e outros.  

Como transportar drone na mala

Dentro do Brasil, a Anac permite que os drones podem transportados tanto em bagagem de mão quanto em bagagem despachada

No entanto, alguns detalhes sobre as peças do equipamento devem ser levadas em consideração. 

Hélices

Caso as hélices do drone tenham compostas de arestas e pontas afiadas, pontiagudas ou cortantes, elas não poderão ser transportadas na mala de mão. 

Baterias

Confira o tipo de bateria de funcionamento do drone. Para os eletrônicos que operam com células ou baterias de lítio metálico (até 2g) ou baterias de íon lítio (até 100 Wh), é necessário levá-las em bagagem de mão. 

Para baterias de lítio metálico (mais que 2g até 8g) ou baterias de íon lítio (mais que 100 Wh até 160 Wh), é preciso solicitar o transporte junto à companhia aérea. Caso seja liberado, apenas duas unidades delas podem ser levadas em bagagem de mão. 

Para baterias de íon lítio (mais de 100 Wh e até 160 Wh) ou lítio metálico (mais 2 g até 8 g), também é preciso fazer solicitação junto a companhia aérea. Caso seja autorizado o transporte, só poderá levar apenas duas unidades na bagagem de mão. 

Para todos os casos, a Anac ainda orienta que as baterias sejam armazenadas dentro da mala de forma isolada do equipamento para evitar curto-circuito. 

Recomendação

Para voos internacionais, você pode consultar a companhia aérea previamente, se quiser algum direcionamento antes de preparar as malas. Como os drones são equipamentos relativamente recentes na lista de itens eletrônicos levados em bagagem, nem sempre as empresas possuem as informações claras sobre como levá-los em seus sites e canais virtuais.

Ou então, dê preferência a acomodar o seu equipamento na bagagem de mão, pelo menos até o aeroporto. Assim, você poderá dar qualquer esclarecimento durante a supervisão de segurança e ainda proteger o equipamento, que pode ser danificado nas bagagens despachadas.

Considerações

Conseguiu se orientar sobre os cuidados que você precisa ter antes de viajar com drone? Se você já tiver experiência e quiser compartilhar mais informações sobre o assunto, não deixe de comentar aqui!

Você também pode conferir mais dicas de preparação e organização para viagem aqui!

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularaluga um carro, garante os tickets para passeios ou compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveita e se inscreve no canal do Youtube e no Instagram do Estevam para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas!

Escrito por Milena Lopes

2 Respostas para “Viajar com drone: o que você precisa saber antes de embarcar”

Deixe um comentário