Milhas, pontos e upgrades te deixam confuso? Vou te ajudar!

Fala, viajantes! Tudo bem por aí?

Eu me chamo Lucas Cabral, tenho 30 anos e, assim como vocês, sou apaixonado por viagens desde que me entendo por gente. Já viajei pelos cinco continentes (exceto a Antártida), onde conheci de perto os mais diferentes povos e culturas. Sou formado em Administração de Empresas e pós-graduado em Comércio Exterior e, já há alguns anos, trabalho no mercado financeiro. Entretanto, a paixão pelo descobrimento e pela aventura sempre falaram o tão alto quanto a paixão pela minha profissão e sempre me tocaram numa parte muito sensível: a alma de viajante! Algo que todos vocês tão bem conhecem, tenho certeza!

(Última aventura pré-pandemia: estreito de Beagle ao sul de Ushuaia na Terra do Fogo argentina. Lugar conhecido como El Fin del Mondo)

Seguindo: mergulhando um pouco mais profundo nessa nossa paixão comum deparei-me, já há muito tempo, apaixonado igualmente por aviação e, principalmente, por programas de fidelidade de companhias aéreas e cartões de crédito. E é justamente sobre essa última paixão que vou estar escrevendo aqui, neste espaço, para vocês, a partir de hoje.

Minha ligação com pontos e milhas aéreas (são no fundo, a grosso modo, a mesma coisa, mudando apenas a terminologia de programa para programa) é antiga: meu primeiro “voo solo” com milhas aconteceu quando tinha apenas doze anos e, na época, foram usados 10.000 pontos do então programa Fidelidade TAM para que eu voasse entre Maceió, onde moro (sim, sou alagoano da gema e com alma de cidadão do mundo) e Ribeirão Preto, com conexões em Recife, Brasília e Congonhas, percorrendo uma distância total de 3.001km em doze horas de viagem.

Bem, de lá para cá muita coisa mudou, evidentemente; a começar por alguns fios de cabelo branco que já aparecem na minha cabeça apesar da pouca idade, mas o que realmente nos importa é que vou, a partir de hoje, compartilhar com vocês como as nossas vidas podem se tornar muito mais práticas, baratas e até mesmo glamourosas quando aprendemos a jogar com todos esses programas a nosso favor.

Foi graças a esse know-how que aprendi ao longo dos anos que já tive oportunidade de voar praticamente de graça em inúmeras cabines de classe executiva e primeira classe das mais diversas companhias aéreas do planeta! Da nossa Latam à Air Canada, passando pela American, bem como pela excêntrica Cubana de Aviación, dando um pulo em várias europeias como Air France, Austrian e Lufthansa (com direito a aluguel baratíssimo de um Porsche 911 e 322km de velocidade e adrenalina numa autoestrada alemã). Ah! Não posso me esquecer jamais das asiáticas ANA, Air China, Singapore e óbvio, passando também pelas luxuosas cabines de companhias do Oriente Médio como Emirates e Qatar, dentre muitas outras de vários pontos do globo.

Olha, é sem sombra de dúvidas, cruzando os céus, quando e onde melhor me sinto (coisas de Aviation-Geek ou Av-Geek)! Como diz o ditado em inglês: once you turn left, you never want to go back, que quer dizer numa tradução literal, uma vez vires à esquerda, não vais mais querer voltar para atras, numa referência à localização da classe executiva e da primeira classe, sempre na parte da frente das aeronaves.

(Assento da classe executiva da espanhola Ibéria – essa mesma configuração é utilizada nos voos da companhia de/para o Brasil)

(Serviço de caviar na primeira classe da Lufthansa)

Se é viajando bem acomodado em um voo de longo curso onde, como disse, melhor me sinto, não poderia, igualmente, deixar passar em branco que também graças a um bom cartão de crédito, a um bilhete emitido em cabine premium ou a certo status em uma companhia ou aliança aérea (vamos conversar sobre isso mais pra frente, fiquem tranquilos), garantimos nosso acesso às salas vips e lounges dos mais variados tipos.

Vou falar de experiências de viagem que começam ainda em solo, seja em uma sala concorrida em horário de pico em Congonhas ou no Santos Dumont, ou em lounges um pouco mais sofisticados como os da Qatar, onde o passageiro tem ao seu dispor serviço de catering à la carte, ou até mesmo no terminal da primeira classe da Lufthansa em Frankfurt. Isso mesmo, você leu certo, amigo viajante e milheiro: a Lufthansa tem nada mais nada menos que um terminal inteiro e exclusivo para seus passageiros voando First. É demais ou não é? Fiquem atentos que, mais além, vamos postar aqui neste espaço sobre o tal terminal e como nós, meros mortais, fazemos para acessa-lo sem precisar pagar alguns muitos mil euros por uma passagem. Já passei por lá duas vezes e posso garantir: é uma experiência simplesmente incrível! É, muitas vezes, entre um lounge e outro que degustamos dos mais sofisticados Champagnes aos mais exclusivos Scotches.

(Café da manhã à la carte no lounge Al Safwa da primeira classe da Qatar em Doha)

Em tempo: o Estevam já passou por esse lounge antes de voar entre Doha e Frankfurt na primeira classe da Qatar no A380, hoje a maior aeronave de transporte de passageiros em operação no mundo. Para dar uma olhada na experiência completa da sala vip vocês podem dar um clique aqui. Já para saber cada detalhe deste voo (que eu também já fiz) basta dar outro clique aqui. Vai com tudo!

Aqueles que ainda tem pouca familiaridade com todos esses assuntos que muitas vezes mais parecem um emaranhado de fios enrolados não se preocupem: vou explicar tudo nos mínimos detalhes ao longo dos posts e da maneira mais didática possível. Com o passar do tempo, tenho certeza que a parte premium dos céus se tornará uma realidade cada vez mais próxima e real. Podem acreditar!

Temos encontros certos marcados para todas as terças, quintas e sábados e vou trazer aqui em primeira mão todas as novidades sobre programas de fidelidade, cashback, cartões de crédito, milhas, pontos, salas vips e afins para, ajudá-los com os dados e o devido conhecimento nas mãos, a tornar possível o sonho e o objetivo de cada um de vocês: seja através de uma promoção de milhas com bonificação, ou de maneiras que possamos acumular pontos mesmo sem sair de casa. Ah, ou quem sabe através de uma super promoção pagante ou até mesmo de um bug de sistema (sim, eles existem e tenho amigos que já foram e voltaram até Hong Kong em classe executiva por aproximadamente R$1.500,00). Lembrem-se: toda e qualquer oportunidade pode ser valida e se nos são oferecidos limões, deles fazemos limonada ou caipirinha! Quem vem comigo levanta a mão!

Naturalmente, não poderia jamais esquecer de expor meu agradecimento e minha gratidão ao nosso querido Estevam, fundador do blog e meu amigo de intercâmbio no Canadá, onde nos conhecemos há treze anos! Haja tempo, hein! Muito obrigado, Estevam! Estou feliz demais!

Aos poucos vamos nos conhecendo melhor. E se, para começar, vocês quiserem já indo me conhecendo basta dá um follow lá no Instagram. Meu nome na rede é @lucasmcv 😉

Portas em automático!

Um grande abraço e até o próximo post!

 

Lucas Cabral

 

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularalugar um carro, garante os tickets para passeios e compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo  gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveite e se inscreva em nosso canal do Youtube e no Instagram para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas.