VOANDO NA PRIMEIRA CLASSE DA EMIRATES

Hoje não é dia de #tbt, mas vale um review que estou devendo há algum tempo. Falo de um voo pra lá de super esperado que fiz entre Rio-Galeão e Buenos Aires-Ezeiza, de primeira classe com a Emirates, naquela que é considerada uma das joias do Oriente. Este voo aconteceu antes da pandemia da Covid-19, em fevereiro de 2020, e foi operado por um Boeing 777-300ER. 
Vale destacar que após a pandemia esta rota foi suspensa pela Emirates e não há previsão de retorno. 

Emirates
Boeing 777-300ER da Emirates

EMISSÃO

Bem, guardem este detalhe: o bilhete me custou 42.900 milhas Smiles em classe executiva. Isto mesmo, em classe executiva e foi emitido diretamente pelo site da Smiles. As taxas de embarque não lembro ao certo o valor exato, entretanto, foram bastante justas. Não mais que R$150,00. 
Conforme mencionei acima, como a rota não está mais em operação, infelizmente não tenho mais como precificar o valor exato das taxas de embarque. Nesta época ainda não integrava o time EPM. 

CHECK-IN 

Cheguei ao check-in da Emirates no Rio – Galeão aproximadamente 3h30 antes do voo. A fila da cabine executiva estava bem vazia. Apenas um passageiro na minha frente. Para esta fila eram elegíveis passageiros voando em classe executiva e membros Platinum, Gold e Silver do programa Skywards da empresa.
Em menos de cinco minutos estava com o cartão de embarque em mãos. Como o voo estava vazio (guardem este outro detalhe) pude escolher um assento na janela sem ninguém ao lado na poltrona do corredor.
Perguntei a simpática agente de check-in da possibilidade de um upgrade para a primeira classe. Fui informado que havia ampla disponibilidade, mas nem tudo são flores… O valor cobrado pelo dito cujo upgrade no check-in me custaria a bagatela de U$1.500. Isto mesmo: U$1.500 de upgrade para um voo de aproximadamente três horas de duração. Indaguei se no portão poderia ser feito por um valor mais baixo, entretanto ela não soube me informar. Sugeriu-me verificar diretamente a bordo, onde costuma ser um pouco mais barato… 
Em tempo: este mesmo upgrade comprado no balcão de check-in na rota Galeão-Dubai, da classe executiva para a primeira classe custaria U$4.000. Busquei esta informação inclusive junto a Emirates e não obtive resposta. Logo, não se trata de uma informação oficial. 

SALA VIP (PLAZA PREMIUM LOUNGE INTERNACIONAL – RIO GALEÃO)

A Emirates utilizava no Rio-Galeão o Plaza Premium Lounge para seus passageiros voando executiva, primeira classe e com status no programa de fidelidade. A sala é ampla e segue o padrão dos demais lounges Plaza Premium. 
Para ter acesso ao lounge, ao chegar ao píer sul, após o embarque, suba as escadas rolantes. 
Para mim, o destaque vai para a vista do pátio do aeroporto. Neste dia não estava das melhores, uma vez que a chuva que caía sobre o Rio de Janeiro era torrencial. 

Ao fundo Boeing 747-400 da Lufthansa prestes a cumprir a rota Rio-Frankfurt

Tirando a vista para o pátio do aeroporto, o lounge é bastante elegante e funcional. As opções de alimentos quentes é condizente com lounges padrão internacional, bem como as bebidas. Destaque para o bar de drinks onde as caipirinhas eram um convite a parte. 
O espaço é amplo e sua arquitetura e design remetem a elementos cariocas, como as pedras do calçadão de Copacabana, bem como o uso de tons de cores fortes mesclados com amadeirados dão um ar bem brasileiro ao espaço. 
Confira algumas fotos: 
Emirates - Plaza Premium
Painel de entrada do lounge feito em cordas nas cores do Brasil

Emirates - Plaza Premium
Reparem no carpete imitando o calçadão de Copacabana

Emirates
Bar e área de seating logo atrás

Emirates - Plaza Premium
Área de seating

Buffet de frios

Buffet de alimentos quentes

EMBARQUE

O embarque aconteceu de forma tranquila e organizada. O voo estava vazio e em pouco tempo estavam todos a bordo.
Iniciou-se o processo de embarque com as prioridades por lei, seguidos de passageiro de classe executiva (não havia passageiros neste dia embarcando na First do Rio para Buenos Aires), membros Platinum, Gold e Silver do programa Skywards, seguidos dos passageiros da classe econômica separados por grupos. 

DADOS DO VOO

Emirates 247
Rio – Galeão (GIG) – Buenos Aires – Ezeiza (EZE)
Data: 10/02/2020
Horário de Partida: 17h10
Horário de Chegada: 20h10 
Duração: 3h00 (de portão a portão)
Aeronave: Boeing 777-300ER
Assento: 2A (primeira classe) 

UPGRADE 

Há um ditado que diz: se você é brasileiro, não desista nunca. E como bom brasileiro não iria desistir. 
Pois bem, conforme disse mais acima, upgrades na Emirates podem ser feitos diretamente a bordo com a chefe de equipe, por um valor mais em conta do que no check-in. O pagamento pode ser feito em espécie (somente dólares são aceitos) ou em cartão de crédito. E somente um cartão pode ser usado. Não é permitido dividir o valor em dois cartões diferentes e tampouco pagar uma parte em dólares e outra no cartão. 
Seguindo, despretensiosamente antes mesmo de me dirigir ao meu assento originário na classe executiva me apresentei a chefe de equipe do voo e perguntei sobre o upgrade. Confesso não ter sido bem recebido. A senhorinha estava com uma má vontade só. Depois de me olhar de cima abaixo checou no tablet o valor do upgrade. Rispidamente me respondeu: custa $175. E continuou: vai aceitar o valor ou segue na executiva? 
Bem, no check-in me cobraram U$1.500 e na galley da aeronave, já a bordo, meros U$175… Não havia o que pensar. Aceitei imediatamente e fiz o pagamento com cartão de crédito. Aparentemente, a chefe de equipe não gostou muito da minha disposição e pagar pelo upgrade… Mas, isto não é problema meu 😉 
Em seguida, de maneira bastante fria apenas disse: sente-se em qualquer assento que desejar. Optei pela suíte 2A. Janela e na segunda fileira. 

CABINE 

A primeira classe da Emirates nas aeronaves Boeing 777-300ER é composta por 8 suítes na configuração 1-2-1 e, naturalmente, todos os passageiros tem acesso ao corredor. Um grande diferencial é que todas as suítes tem portas, garantindo a privacidade dos passageiros. As do meio, podem se formar em uma suíte só, as que a torna ideal para casais. 
Confira algumas imagens: 




Note que no escuro, após o serviço de bordo, há uma iluminação imitando um céu estrelado. 

BOAS VINDAS

Uma vez acomodado, foram oferecidos jornais e revistas do Brasil, dos Emirados Árabes e da Argentina. As publicações estavam disponíveis em inglês, árabe, português e espanhol. Junto das revistas me foi dado, igualmente, o catálogo duty free.
Tão logo a comissária me ofereceu as revistas, uma segunda tripulante passou para dar as boas vindas (de maneira fria) e ofereceu-me alguns drinks de boas vindas. Optei por Champagne Dom Pérignon safra 2008. 
Logo em seguida, nuts quentes foram trazidos, junto com uma toalha quente humedecida. 

Logo em seguida, uma tripulante me ofereceu o amenity kit. Um detalhe: como o upgrade foi de última hora não havia a nécessaire da primeira classe disponível para mim. Foi-me dado a da executiva. Falha da empresa em não ter nécessaires suplementares. 

SUÍTE

Cada uma das oito suítes contam com portas individuais e os assentos viram, naturalmente, camas fully flat. Confira abaixo algumas fotos: 

Notem que a poltrona é bastante larga. A direita há uma espécie de tablet (que só se solta da base em altitude de cruzeiro. Para taxi, decolagem e pouso fica preso à base por razões de segurança), onde através dele é possível controlar todas as funcionalidades do assento: coloca-lo em posição cama, lounge e etc. Igualmente, através do tablet comandamos toda a iluminação, bem como abrimos e fechamos as portas. 
Confira abaixo mais de perto:

Abaixo do tablet há, igualmente, controles de iluminação manuais. A saída de ar fica estrategicamente posicionada, uma vez que quando o assento está em posição cama ou lounge o vento sopra diretamente no seu pescoço ou no seu rosto, a depender da regulagem. 
Note que junto ao tablet há uma uma espécie de minibar. Nele você encontra diversas opções de bebidas não alcóolicas. Ele fica baixo. Há um botão e com um simples toque o mecanismo abre. Coisa de poucos segundos. 
Um adendo: a impressão que me passa é que este minibar serve mais como enfeite do que algo realmente relevante. Explico: não há refrigeração, logo, as bebidas permanecem quentes durante todo o voo…
Assim, para qualquer bebida o passageiro termina deixando de lado o bar e solicitando diretamente a tripulação. 

Note que as suítes do meio têm esta divisória que podem ser levantadas caso você não esteja viajando acompanhado do passageiro ao lado. Repare que há uma pequena gaveta com um kit de escrita. Vou mostrar logo em seguida, junto com o amenity kit. 
Logo abaixo você poderá ter um panorama da suíte quando se está sentado. Note que o tamanho da tela é bem grande. Há junto uma penteadeira com um espelho. Ali são encontrados diversos tipos de produtos como hidratantes labiais, corporais e etc. 
Logo abaixo, fica a tomada em formato universal. 

Emirates
Um brinde com Dom Perignon para as próximas três horas de voo até Ezeiza…

Tão logo comecei a explorar o assento de maneira mais detalhada, me dei conta que havia cobertores do voo anterior jogados atrás do assento, bem como pantufas usadas. A impressão clara é que a aeronave não foi devidamente higienizada durante a escala no Rio de Janeiro (o voo vinha de Dubai e seguia para Buenos Aires). Este para mim foi um ponto super negativo. 

AMENITY KIT (NÉCESSAIRE)

Como o upgrade foi feito de última hora me foi informado que não havia nenhum disponível para mim. De todo modo, como o voo estava vazio me disponibilizaram uma nécessaire da classe executiva. 
Era da marca Bvgari e feito especialmente para a Emirates. Bastante completo mas um pouco complicado de manusear, uma vez que vem bastante coisa dentro e ele abre justamente no meio. 
Bom, conforme mencionei a quantidade de itens é bastante completa. Inclui desodorante, hidratantes, pente, kit de barba, kit dental, lencinhos e etc. Confira abaixo algumas fotos:
Emirates - Estevam Pelo Mundo Emirates - Estevam pelo Mundo
Emirates - Estevam pelo Mundo
Emirates - Estevam pelo Mundo
Um fato curioso: itens básicos de qualquer amenity kit são os tapa olhos e os protetores de ouvido. Não vieram….
Além do amenity kit, confira abaixo a foto dos itens da penteadeira: 

Ah, abaixo veja o kit de escrita. Trata-se de uma agenda e de uma caneta. O passageiro é instruído a leva-lo consigo. Achei um mimo bastante útil. Veja a foto: 

PIJAMAS

Não foram oferecidos visto que o upgrade foi realizado de última hora. Sei que essas peças são contadas, entretanto, ao meu ver, poderiam ter alguns suplementares, em casos de upgrade e principalmente possíveis bilhetes comprados de última hora. Vejo como um ponto negativo. O mesmo vale para o amenity kit. 

CATERING

O menu da primeira classe da Emirates é considerado o verdadeiro estado da arte na categoria catering. Contemplando dos mais variados gostos aos mais exigentes dos paladares, a companhia se cerca do que há de melhor no mundo gastronômico clássico e moderno e traz para o passageiro first uma experiência literalmente de primeira. Se não estou enganado, o cardápio muda de acordo com as estações do ano, bem como origem e destino do voo, tendo como algumas de suas marcas registradas o famoso serviço de caviar. 
Entretanto, neste voo tudo isto resumiu-se mais a teoria do que a prática… Infelizmente. Ao menos no que tange a alimentação. Ah! O caviar? Não era oferecido nesta rota! 
A carta de vinhos e a lista de bebidas faz jus ao prometido pelo marketing da empresa
Confira abaixo: 

MENU

Confira o menu do voo logo abaixo: 
[ngg src=”galleries” ids=”21″ display=”basic_slideshow”] 

CARTA DE VINHOS

Confira agora a carta de vinhos:
[ngg src=”galleries” ids=”22″ display=”basic_slideshow”] 

JANTAR

Bem, enquanto o cardápio parecia muito apetitoso a refeição em si, embora vasta e de encher os olhos, pecou um pouco (e estou sendo generoso)  no sabor. O prato principal veio frio… Solicitei gentilmente a tripulação que o requentasse e fui friamente atendido… 
Confira o jantar: 
De entrada, para começar, optei pela sopa de batata doce com croutons. Adivinhem? Embora no cardápio não estava disponível naquele dia…
Pois bem, pulei a sopa e segui para o frango grelhado com ervas. Para acompanhar foi servida uma salada e pães direto da cestinha. A comissária perguntou-me se seguiria no Dom Perignon ou preferia trocar por um vinho branco ou um drink. Optei em continuar com o champagne. 

O frango estava murcho e o gosto das ervas passou longe…
Em seguida, como prato principal minha escolha foi filé de carne com crosta crocante de ervas. Tal qual mencionei acima, o prato veio frio e precisou voltar para a galley para ser esquentado novamente… A textura da carne deixou a desejar: estava bem borrachuda, bem como a apresentação do prato que ao meu ver, não condiz com uma refeição de primeira classe, sobretudo de uma empresa estrelada como a Emirates. O sabor, por sua vez, estava digamos… ok. Não mais que isto. Continuei no champagne e em seguida pulei para um tinto chileno: Almaviva safra 2012. 

Emirates
A única comissária gentil que atendia a primeira classe neste voo (tornou-se minha amiga e até hoje nos falamos no Instagram), vendo os imprevistos todos acontecendo tentou contornar a situação de maneira amigável e deixou a minha inteira disposição ambas as garrafas de champagne e do vinho tinto até o início da descida para Buenos Aires. 
Em tempo, a Ina, de origem servia, já deixou a Emirates. Hoje, voltou a morar em Belgrado. 
Emirates - Estevam Pelo Mundo
Após aproximadamente 10 ou 15 minutos, chegou a sobremesa e a tábua de queijos (acompanhada de crackers). De sobremesa optei pelo tiramisu de chocolate branco. E não me arrependi. A Ina prontamente me ofereceu um bom porto safra 1976. 
Emirates - Estevam Pelo Mundo
Emirates
Pouco antes do pouso foi oferecido frutas da estação acompanhadas de syrup. vejam: 

Emirates
Minutos antes de iniciar a aproximação para o pouso em Buenos Aires

ENTRETENIMENTO DE BORDO

Embora pouco tenha usado, aliás isto é um hábito meu, uma vez que não costumo assistir a filmes ou outros programas a bordo (a tela fica sempre no mapa e nas informações de voo), as opções eram das mais diversas: desde filmes de Hollywood até clássicos europeus e muitos filmes de Bollywood. Havia, igualmente, diversas opções de música. Os fones de ouvido eram noise cancelling e de excelente qualidade. A tela tinha um tamanho bastante grande, não lembro ao certo o número de polegadas, e embora touch screen, essa função perde o sentido já que a distância do assento para ela é bastante grande. Por outro lado, o IFE, abreviatura em inglês para In Flight Entertainment, que quer dizer entretenimento a bordo, responde aos comandos do controle bem rápido.
Gostaria de poder aprofundar-me mais no assunto, mas, infelizmente, praticamente não usei o sistema de entretenimento a bordo.
Os fones de ouvido eram noise cancelling, entretanto o isolamento acústico não era dos melhores. 

UMA CURIOSIDADE

Embora haja o tradicional botão de chamar a tripulação, na primeira classe da Emirates o telefone (que também é o joystick de comando da tela) fica embaixo do descanso de braços faz a função também de Room Service. Isto mesmo: através do telefone você pode se comunicar com a tripulação.

Emirates
Chamando o “Room Service”

CONSIDERAÇÕES DO VOO

Bem, já há muitos anos vinha aguçando a vontade de voar com na primeira classe da Emirates. O fato é, o voo foi um pouco digamos… decepcionante. A comida desagradou e o atendimento da tripulação (com exceção de uma comissária) em vários momentos foi um tanto quanto amargo. O grande destaque foi para as bebidas. A carta de vinhos era sensacional e com rótulos extraordinários, bem como a vasta variedade de drinks. 
A suíte merece nota 10. Embora infelizmente eu tenha dado azar e tê-la encontrada sem a devida higienização. 
Ah! Outro detalhe: já no final do voo a chefe de equipe solicitou que eu parasse imediatamente de tirar fotos: dos alimentos e da cabine. Não entendi a razão, visto que nenhum tripulante estava aparecendo nas fotos.
Em tempo: esta é uma dica preciosa. Ao tirar fotos em voo nunca fotografe ou filme a tripulação. Se te derem abertura para tal, peça permissão primeiro. Esta regra vale mais ainda para empresas do Oriente Médio. Portanto, #FicaAdica. 
Pois bem, voltando…. Os U$175 de upgrade valeram a pena pela experiência e, novamente, pela super carta de vinhos. 
Na realidade nunca tive as melhores experiências com a Emirates. A título de exemplo, em 2011 fiz um voo com eles entre Delhi e Dubai em classe executiva e pasmem… faltou almoço para os passageiros. Terminei almoçando o serviço de classe econômica. Das quatro opções de vinho apenas uma estava disponível e lá pela metade do voo acabou… 
Voaria de novo com a Emirates? Sim! Creio que foram situações pontuais e ainda pretendo me dar a chance de voar com eles novamente. Conheço inúmeras pessoas que tem experiências fantásticas voando nas cabines premium deles. 

AVALIAÇÃO

  • Check in: nota 9,0
  • Embarque: nota 10,0
  • Poltrona: nota 10,0
  • Catering: nota 6,0
  • Atendimento: nota 4,0
  • Amenity Kit: nota 8,0 (classe executiva)
  • Pijamas: não foi oferecido por conta do upgrade
  • Entretenimento de bordo: nota 10,0
  • Internet: nota 0,0 (uma vez que não estava funcionando)
  • Limpeza: nota 6,0
  • Pontualidade: nota 7,0

FINALIZANDO

Espero que você tenha apreciado este review de voo. De verdade. Apesar de alguns percalços… 
Se ficou alguma dúvida joga sua pergunta lá. Teremos o maior prazer em respondê-lo. E nada de acanhamento, hein? Lembrando que seu feedback é sempre muito importante pra nós!
Pois bem, e agora, para não perder o hábito dos posts autorais, vamos deixar uma coisa bem clara: estas são opiniões estritamente minhas. Não reflete a opinião do Estevam, de nenhum outro colunista do portal EPM ou tampouco do Estevam Pelo Mundo como fonte de informação e pesquisa sobre viagens, companhias aéreas, hotéis e demais assuntos da mesma natureza. Vamos deixar isso bem claro.
Ademais, vamos deixar também uma outra coisa bem clara: todo e qualquer produto que além da notícia eu revise, seja ele um voo em cabine premium, um programa de fidelidade, um lounge ou um hotel, sigo minha própria independência, bem como as diretrizes de imparcialidade do Estevam Pelo Mundo. Em assim sendo, tenho total liberdade e obrigação para com nossos leitores para pontuar, sob a minha ótica, o que acho. Seja para possíveis pontos positivos ou negativos.

QUEM SOU EU?

Lucas Cabral, editor-chefe aqui do EPM, bem como chefe de edição para programas de fidelidade, cartões de crédito, pontos, milhas aéreas e afins. Se quer me conhecer melhor, saber quem eu sou e saber como eu vim parar aqui basta dar uma sacada no meu primeiro post, quando fui oficialmente lançado aqui no Estevam Pelo Mundo. Para isso basta clicar aqui. Igualmente, se gostou de mim ou quer ir conferindo algumas das minhas fotos de viagem e de algumas exaltações proporcionadas por milhas e pontos basta dar um follow lá no Instagram. Meu nome na rede é @lucasmcv 😉
Por fim, um grande abraço e até a volta!

LUCAS CABRAL

 
Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularaluga um carro, garante os tickets para passeios e compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo  gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto aos viajantes. 
 
 

Escrito por Lucas Cabral

Deixe um comentário