Porto Velho, a maior capital do Brasil

Fala, viajante! Tudo bem com vocês? O Brasil 60 está em Porto Velho, capital de Rondônia. Neste post, vou contar tudo o que tem pra fazer na maior capital do Brasil.
Lembrando que o Brasil 60 é o meu novo projeto, onde eu vou visitar 60 destinos brasileiros e registrar tudo em vídeo e em posts aqui no blog para vocês acompanharem tudinho. A New Trip está comigo nesta aventura, claro!!
Aliás, aproveita e já dá uma olhada no meu vídeo de Porto Velho (RO):

 

Não sei se vocês sabem, viajante, mas eu já morei em Porto Velho! Apesar dos meus pais não serem da cidade e eu não ter nascido em Porto Velho, eu me mudei quando tinha apenas meses de vida.
Isso porque o meu pai era militar e foi transferido para o estado. Tanto que morávamos em uma vila militar. E a minha mãe me deu todas as dicas para eu achar a nossa antiga casa. Eu não lembro de quase anda, pois era muito pequeno. Mas é isso, aqui foi onde passei meus primeiros anos de vida!

Porto Velho

É a maior capital de um estado brasileiro. Apesar de ter apenas de 550 mil habitantes, seu território é imenso e chega a fazer fronteira com outro país, a Bolívia. Aliás, é a única capital brasileira que faz fronteira com outro país.
Porto Velho tem um território maior que muitos estados e países. São 34 mil quilômetros quadrados só na capital. No entanto, é apenas a terceira capital mais populosa do Norte, atras de Belém e Manaus, e a 46ª cidade mais populosa do Brasil.
Fundada em 1907, só foi emancipada em 1914 – lembrando que o estado de Rondônia só foi existir muitos anos depois, em 1982 – e é conhecida como cidade das Três Marias, capital da Madeira Mamoré e porta de entrada da Amazônia.

O que fazer

As Três Marias
Estevam em Porto Velho
São três caixas d’água chamadas de Marias, que vieram dos Estados Unidos logo quando a cidade foi fundada, há pouco mais de cem anos. Na época, elas abasteciam toda a cidade, que não era a capital do estado, porque ainda nem existia.
Hoje, elas são um importante ponto turístico. Aliás, elas são tão importantes que estampam a bandeira da cidade de Porto Velho.
Memorial Antiga Fronteira
Estevam em Porto Velho
Este é o marco que dividia a Amazônia do estado de Mato Grosso. Isso porque, antigamente, a cidade de Porto Velho não pertencia à Rondônia e sim ao Amazonas.
Isso aconteceu em 1907, quando um americano que veio para esses lados decidiu fundar Porto Velho e usar a cidade como base para o início da construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Portanto, em 1914, Porto Velho é criada como um município do Amazônia, e só em 1943 torna-se município do que viria a ser o estado de Rondônia, antigo território de Guaporé.
Neste local também fica o Memorial de Marechal Rondon, que ajudou esta região a se desenvolver, e a Igreja de Santo Antônio, a primeira igreja da cidade.
Mercado Cultural de Porto Velho
Estevam em Porto Velho
A noite de Porto Velho é bem agitada e neste mercado tem muitos restaurantes, bares e música ao vivo.
Guajará-Mirim
Fica a cerca de 328 km – 3h de viagem – da capital e é aqui que vim descobrir por que Porto Velho chama assim. Aliás, obrigada pela @vaconsultoriadeviagens por ter me levado ao destino.
Nos vídeos do Acre, eu contei como a história da Bolívia, do Acre e de Rondônia se misturam. Pois bem, desde meados do século 19 já queriam construir uma estrada de ferro nesta região. Depois do Tratado de Petrópolis, o Brasil se comprometeu a entregar a estrada pera ligar a Bolívia com o mar.
E é exatamente desta cidade que o trem sairia. Aliás, Guajará-Mirim faz fronteira com a Bolívia. É só atravessar o rio que você já está no país vizinho, na cidade de Guayaramerín.
Na cidade fica um museu que conta toda a história da construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM). Ela demorou sete anos para ser construída e em 1970, com o fim do ciclo da borracha, encerrou suas operações.
  
 

Onde comer

Barracão do Jair – lugar ideal para provar pratos típicos da região com peixes de água doce, como o pirarucu e o tambaqui, por exemplo, e a caldeirada rondoniense.
Tokiomaki Sushibar – comida japonesa feita com os peixes típicos da região. Vale ressaltar que a comida apesar de muito boa, demorou muito. Minha experiência não foi boa. Mas, vale conferir pra ver se não foi um acaso.
Oca Wine – lugar lindo e ideal para degustar uns bons vinhos.
 
É isso, viajante! Fica ligado aqui no blog que eu breve vou postar outras aventuras por Rondônia. Segue lá o meu canal do YouTube e fique por dentro do Projeto Brasil 60
 
Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularaluga um carro, garante os tickets para passeios ou compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!
Aproveita e se inscreve no  canal do Youtube e no Instagram para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas!

Escrito por Lucas Estevam

Deixe um comentário