Itália não exige mais formulário para entrada de turistas

Itália não exige mais formulário para entrada de turistas

Um documento a menos na lista de requisitos de viagem para o território italiano! As autoridades atualizaram as medidas vigentes para entrada de turistas no país e, a partir deste mês, a Itália não exige mais o Formulário de Localização de Passageiros.

A comprovação de vacinação completa contra Covid-19 é uma das documentações que segue obrigatória para quem deseja desembarcar no país.

Para viajantes que não possuem o esquema completo de vacinação contra o coronavírus, é possível viajar à Itália sob outros critérios.

Caso o turista tenha sido contaminado pelo vírus, pode apresentar um atestado de recuperação da doença com teste RT-PCR positivo dos últimos 180 dias.

Além disso, todos os viajantes também podem optar por viajar mediante um teste negativo. Os exames podem ser do tipo RT-PCR, realizado 72 horas antes da viagem, ou teste de antígeno, feito 24 horas antes do voo.

Até então, além de ter em mãos um destes três comprovantes, também era necessário preencher o Formulário de Localização de Passageiros para ingressar no país. Porém, este documento não é mais obrigatório.

Se nenhum certificado ou atestado for entregue pelo passageiro no momento de embarque, será necessário cumprir isolamento. O país exige, ao menos, cinco dias de quarentena em local indicado pelas autoridades italianas. Após o período, será realizado um teste de Covid-19 para liberar o turista.

Confira todos os detalhes dos requisitos no site oficial do Ministério da Saúde da Itália.

Critérios de entrada na Itália

Para os viajantes que vão atestar imunização, é preciso que o documento contenha:

  • Os dados do passageiro;
  • Informações das vacinas recebidas;
  • Datas de aplicação das doses;
  • Identificação do órgão responsável por emitir o documento.

O certificado de vacinação precisa estar em um dos seguinte idiomas: italiano, inglês, francês, espanhol ou alemão.

Ademais, as vacinas devem integrar lista de imunizantes reconhecidos pela Agência Médica Europeia com validade de nove meses desde a aplicação da dose única ou da segunda dose. Passado este prazo, o viajante deve comprovar também uma dose de reforço.

Confira lista de imunizantes aceitos:

  • Comirnaty (Pfizer-BioNtech);
  • Moderna;
  • Vaxzevria;
  • Janssen (Johnson & Johnson);
  • Nuvaxovid (Novavax);  
  • ou a vacinas consideradas equivalentes pela legislação italiana (Covishield, Fiocruz, R-Covi).

A Itália foi um dos países europeus que levou mais tempo para anunciar a flexibilização das fronteiras. A entrada de visitantes foi autorizada no último mês de março (relembre aqui).

Considerações

E então, vai aproveitar que está ainda mais fácil viajar para a Itália e planejar sua viagem?

Se for sua primeira experiência neste país, não deixe de conferir nossas dicas clicando aqui!

E, para acompanhar mais atualizações e novidades sobre destinos, companhias aéreas e oportunidades para viajar, não deixe de conferir nossos posts!

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularaluga um carro, garante os tickets para passeios ou compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveita e se inscreve no canal do Youtube e no Instagram do Estevam para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas!

Escrito por Milena Lopes

Deixe um comentário