Chile dispensa PCR e isolamento para quem tomou dose de reforço

Chile dispensa PCR e isolamento para quem tomou dose de reforço

Boa notícia para você viajante que planeja uma viagem pela América do Sul. O Chile anunciou a flexibilização da entrada de turistas estrangeiros no país a partir de 1º de dezembro.

Os viajantes que tomaram a dose de reforço da vacina contra à Covid-19 (terceira dose no caso de Pfizer, Coronavac e AstraZeneca) nos últimos seis meses de antecedência à viagem estarão isentas do exame de PCR realizado na chegada ao Chile, bem como do período de isolamento previamente estabelecido. O reforço deve constar em seu Passe de Mobilidade.

Chile Estevam pelo Mundo
Passageiros com dose de reforço poderão entrar no Chile sem necessidade de apresentar PCR

PASSE MOBILIDADE

O Passe de Mobilidade é uma ferramenta do governo chileno para controlar o acesso de turistas chilenos e estrangeiros. Ele consiste em um QR CODE que certifica que a pessoa está com vacinação completa, que não está isolada devido ao contato próximo com um caso positivo, ou que não está registrada como um caso positivo ativo.

O governo do Chile informou que o processo de validação das vacinas para obtenção do Passe de Mobilidade será mais rápido nos próximos meses, e o prazo para entrega da homologação será informado no início da solicitação.

REQUISITOS PARA QUEM NÃO TOMOU A DOSE DE REFORÇO

Os viajantes que chegarem ao Chile, a partir de dois anos de idade e independentemente de sua nacionalidade, deverão apresentar um exame PCR com resultado negativo antes de sair de seu país de origem, realizado com até 72 horas antes da viagem. Além disso, os turistas devem preencher a Declaração para Viajantes Provenientes do Exterior disponível no site.

Além disso, os estrangeiros não residentes deverão apresentar esquema vacinal completo aprovado pelo Ministério da Saúde do país, e seguro de viagem com cobertura mínima para benefícios de saúde de US$ 30.000.

Contudo, os viajantes que apresentarem o Passe de Mobilidade, mas que ainda não forem vacinados com a dose extra da vacina, precisarão realizar o teste de PCR na entrada do país, assim como cumprir com o isolamento até que o resultado do exame seja divulgado. O valor do teste é de responsabilidade do próprio passageiro.

As pessoas que não tiverem suas vacinas validadas, independentemente de sua nacionalidade, além do teste PCR realizado na entrada do país, deverão realizar quarentena obrigatória de cinco dias, mesmo que o resultado do exame for negativo.

VOOS E ACESSO AO CHILE

Além dos quatro aeroportos atualmente habilitados como forma de entrada no país -Santiago, Iquique, Antofagasta e Punta Arenas-, as fronteiras terrestres também estarão abertas a estrangeiros não residentes, incluindo a entrada por Chacalluta, na Região de Arica e Parinacota, Colchane, na Região de Tarapacá, e Pino Hachado, na Região de La Araucanía.

A partir de 1º de janeiro, também será liberada e entrada por Los Libertadores (Valparaíso), Cardenal Samoré (Los Lagos) e Río don Guillermo (Magallanes).

Sobre os voos de conexão, a partir de 1° de dezembro, os passageiros que entrarem no Chile por via aérea e que passarão por um voo de conexão não precisarão esperar pelo resultado negativo do exame de PCR no aeroporto. O viajante poderá esperar no endereço informado em sua Declaração.

Para mais informações sobre o Chile no EPM acesse AQUI

Escrito por Igor Regis

Deixe um comentário