O que fazer em Évora: a cidade museu de Portugal

O que fazer em Évora
Descubra os principais lugares para conhecer em Évora

Viajar pelo interior de Portugal nos leva a cidades históricas maravilhosas! Évora é considerada um museu a céu aberto na região do Alentejo e com razão para a fama. Com obras e construções preservadas pela Unesco, a cidade possui uma história riquíssima que vale a pena conhecer. Sendo assim, aqui estão algumas dicas do que fazer em Évora

Com influências do Império Romano e das invasões árabes, a história da cidade é facilmente percebida em todo seu centro. Por isso, é muito fácil se sentir em um cenário cinematográfico, o que faz o lugar ser ainda mais empolgante de conhecer. 

Então, vou te contar como aproveitar Évora e visitar Portugal além das agitadas cidades grandes. 

Évora no roteiro de viagem

Localizada a cerca de 130 km de Lisboa, a pequena cidade é uma mina de ouro aos viajantes interessados em se sentir numa viagem ao passado. Acredito que dois ou três dias são suficientes para listar o que fazer em Évora, dando prioridade para conhecer os principais pontos da cidade. Entretanto, isso dependerá dos planos de cada pessoa e o ritmo da viagem. A recomendação para visitar a cidade é, principalmente, para quem estiver na capital portuguesa. Assim, vale esticar a viagem de carro ou de trem num trajeto que dura entre 1h30 e 2h. 

Évora é uma boa parada para adicionar em um roteiro por Portugal, já que é uma cidade prática onde praticamente tudo é possível conhecer a pé. Seus principais pontos são bastante famosos, fáceis de chegar e dão aos visitantes a sensação de conhecer a história estando dentro dela.

O que fazer em Évora

Dia 1 – Conheça a cidade de fora para dentro

O primeiro dia é reservado para conhecer Évora pelos seus velhos limites. Antigamente, a cidade era cercada por uma muralha, que hoje rodeia o seu centro histórico. Por isso, é uma recomendação para os viajantes que optarem por começar o passeio com caminhadas.

Muralhas de Évora

Muralhas de Évora

As muralhas de Évora são tão antigas quanto sua história. Desde o domínio do Império Romano, já existiam muros e torres construídos em pedra para proteger o centro político e administrativo. Sendo uma cidade alta, ela era estratégica para os povos que habitaram a região nos primeiros séculos. 

Ao seu redor, quatro portões de acesso ficaram famosos e alguns deles ainda estão preservados até hoje. Assim, ao usarem essas passagens, os visitantes sentem-se como entrando num “museu a céu aberto”, como Évora é conhecida.  

Aqueduto da Água da Prata 

Aqueduto da Água da Prata - Évora

O Aqueduto da Água da Prata foi construído em 1537, mesmo período em que surgiram algumas das principais construções da cidade. Ele tem um percurso de 18 km e abastece uma pequena parte da região, além das próprias fontes e chafarizes dentro da cidade de Évora. 

Acredita-se que sua estrutura de hoje foi aproveitada de um antigo aqueduto construído pelos romanos. Enquanto os visitantes conhecem o norte da cidade, o aqueduto é um ponto de parada para visitar de perto. 

Porta do Raimundo

Porta do Raimundo - Évora

Ao longo da caminhada pela muralha há várias passagens que permitem entrar no centro histórico. Dentre elas, uma das principais é a Porta do Raimundo. Pelas suas dimensões, é perceptível que ela foi uma das principais formas de acesso à antiga Évora.

Ruínas Fingidas e Jardim Público

Logo após entrar no centro de Évora pela Porta do Raimundo, o Jardim Público está localizado logo à frente. Este é  um local com algumas construções que ficam em meio à área verde, utilizada pelos locais como espaço de lazer. 

As Ruínas Fingidas recebem esse nome porque, diferentemente de boa parte das construções que datam de 2.000 a 500 anos, estas na verdade são bem recentes. Isso porque seus projetos fazem parte do próprio parque, estruturado a partir do século 19 e com as edificações construídas com ruínas de obras mais antigas.  

Dia 2 e 3 – Explore o centro histórico

O centro da cidade reserva muito o que fazer em Évora! A depender de quantos dias você ainda terá visitando-a, priorize quais os seus interesses porque ela tem muita história para contar. Sendo assim, listei as principais atrações que não podem ficar de fora numa visita a Évora. 

Praça do Giraldo

Praça do Giraldo - Évora

Independente de qual portão da muralha você use, todas as ruas levam ao principal centro de Évora e a Praça do Giraldo. Projetada no século 16, o espaço é considerado coração da cidade. A praça tem como principais referências a Igreja de Santo Antão e arquitetura antiga, que ainda mantém comércios e estabelecimentos. 

Complexo da Igreja de São Francisco e Capela dos Ossos

A Igreja de São Francisco faz parte de um enorme complexo que levou centenas de anos para ser construído. Iniciado no século 14 com a obra da igreja, o espaço acabou sendo ampliado anos depois com a criação do convento. 

Entretanto, com o fim das ordens religiosas no local a enorme estrutura foi aproveitada para se tornar, a partir do século 19, um núcleo museológico. 

Uma das principais atrações da cidade, e também mais estranhas, é a Capela dos Ossos. O nome é literal já que o espaço é coberto por ossos humanos

Capela dos Ossos - Évora

Feita no século 17, a construção tem o objetivo de expor uma reflexão sobre a fragilidade da vida. Os cadáveres foram recuperados de enterros ligados ao convento e utilizados para cobrir as paredes e pilares do local. 

Além da decoração exótica, iluminação fraca também faz com que alguns turistas não se sintam confortáveis em visitar a Capela dos Ossos. Mas, aos interessados, é uma experiência única aos visitantes de Évora. 

Sé de Évora e Templo Romano

Templo Romano - Évora

No ponto mais alto da cidade, estão localizados outros dois dos seus pontos mais antigos e famosos. O Templo Romano tem quase 2.000 anos e foi construído nos princípios da cidade em homenagem ao Império de Augusto. Apesar da idade, o lugar, que ficou conhecido como Templo de Diana durante muitos anos, só recebeu intervenções de recuperação a partir do século 19. 

Além disso, devido a modificações sofridas e invasões a cidade ao longo da história, hoje a obra está em ruínas e não permite que visitantes subam. O Jardim de Diana, que fica logo à frente, é um ótimo espaço para admirar a vista não só do local, como também da cidade de Évora do alto.

Bem perto do templo, está a Sé de Évora, construída em 1186 e preservada como a maior catedral da Idade Média em Portugal. Como uma das principais obras da cidade, uma visita interna e ao terraço da construção também fazem parte do principal roteiro turístico. 

Apesar de pequena, Évora reserva muita coisa para os viajantes e merece uma visita no melhor período para ir ao Alentejo. Conhecer os principais pontos já faz com que a viagem de poucos dias seja extremamente rica. Por fim, aos curiosos sobre a história da cidade, vale a pena passar mais alguns dias e ampliar o roteiro, sobretudo, para aproveitar as estadias em conta, bons restaurantes e se abastecer com bons vinhos do Alentejo!

 

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularaluga um carro, garante os tickets para passeios ou compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveita e se inscreve no  canal do Youtube e no Instagram para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas!