Sozinha em Portugal e salva pelo seguro viagem

Portugal

A gente nunca imagina que uma aventura com os amigos vai terminar com duas viagens ao hospital e uma bolsa de soro no braço te injetando anti-inflamatório. Foi passando por isso que eu descobri a importância do seguro de viagem para garantir que os planos não serão desfeitos pelos imprevistos!

Depois desse quase perrengue, em que o seguro que cobria atendimento hospitalar me salvou de adoecer bem longe de casa, eu pude continuar aproveitando a Europa sem preocupação.

Vou te contar como foi minha experiência e te garantir que viajar com seguro socorreu minha viagem!

Independente da viagem, faça um seguro

No meu caso, o seguro viagem foi obrigatório. Embarquei para Portugal com intuito de morar por seis meses no país através de um intercâmbio. E, para tirar o visto, era necessário ter o seguro cobrindo todos os meses que eu estivesse lá.

No sistema de saúde de lá, de maneira geral, os estrangeiros pagam altos valores por atendimentos, consultas e exames, caso precisem. Para cidadãos, residentes e alguns turistas que conseguem uma documentação específica, é possível ter descontos nessas necessidades médicas.

De qualquer forma, a garantia de evitar não só problemas de saúde, mas também diversos imprevistos, é comprando seu seguro e viajando com a cobertura ideal.

Ninguém pensa em seguro de viagem, até precisar

Férias de verão, final do intercâmbio e tudo que eu e meus amigos menos queríamos era ficar no alojamento da cidadezinha de Portugal onde estudávamos. Por isso, resolvemos fazer uma trilha e ir até uma pequena represa com água de degelo da Serra da Estrela, a única região do país que neva durante o inverno.

Depois de mais de 1h30 de caminhada, em um dia relativamente quente para a região e, após nos perdermos na trilha da floresta de pinheiros fora da cidade, finalmente achamos a represa e fomos aproveitar o restante do dia.

Por causa do calor, não pensamos que pular na água extremamente fria fosse resultar em problemas. Como já era fim da tarde e estávamos com medo de o tempo começar a esfriar (e a coragem de entrar na água quase congelante ir embora) não pensamos duas vezes e mergulhamos.

Portugal
Estava tudo perfeito, até terminar em hospital

O passeio foi ótimo e voltamos para nosso alojamento perto de anoitecer. E, com o intercâmbio chegando ao fim, o seguro de viagem parecia ter sido um gasto desnecessário, já que eu não havia utilizado ele por cinco meses.

Uns três dias depois da ida até a represa, comecei a sentir uma dor muito chata nas costelas. Sempre que fazia algum movimento diferente, pegava peso ou respirava fundo, a dorzinha aparecia.

Ainda faltavam três semanas até meu retorno para o Brasil e eu esperava que, em alguns dias, o incômodo passasse e eu pudesse voltar para casa sem dores. Mas, depois de dez dias com meu pulmão reclamando, foi inevitável não me preocupar.

Hora de buscar ajuda na viagem

Seguro-viagem
Fui parar na emergência e o seguro cuidou de toda a despesa

Pelo fato de raramente eu ficar doente e nunca ter precisado ficar internada, nem nada do tipo, adiei a ida ao hospital ao máximo. Mas, com uma viagem de férias para a última semana na Europa já planejada, ir para lugares desconhecidos sentindo dor não parecia uma boa ideia.

Incentivada pela minha colega de quarto, fui ao hospital da cidade para ver como funcionava o atendimento através do seguro de viagem. Como ele cobria consultas básicas, não tinha por que pagar uma fortuna no atendimento particular.

Depois de ser orientada pela recepção do hospital, liguei para o seguro e pedi que liberassem para mim uma consulta médica na emergência do local onde eu estava. Os atendentes pediram algumas informações básicas, como dados pessoais, número do seguro e o exato hospital onde eu seria atendida para que minha cobertura fosse liberada.

Detalhes importantes para escolher o seguro

Um dos problemas de solicitar atendimento do seguro de viagem em uma cidade pequena é que a seguradora pode ainda não ter atendido no local ainda, por exemplo. No meu caso, a empresa com a qual eu tinha feito o seguro nunca havia precisado realizar nenhuma transação com o hospital da cidade em que eu estava. Por isso, precisei voltar para casa e esperar 24h até que o setor financeiro do hospital e a seguradora resolvessem a burocracia sobre a minha consulta.

Enfim, consegui ser atendida no dia seguinte e, de fato, não estava tudo bem com minha saúde. Isso porque, o passeio para a represa me resultou em uma inflamação no pulmão, causada pelo choque térmico do calor de andar durante 1h e cair na água de degelo poucos minutos depois.

O bom é que, depois disso, todas as possibilidades de usufruir do seguro já estavam liberadas. Raio-X, exames de sangue, medicação, revisão médica… a seguradora pagou tudo sem que eu precisasse realizar mais telefonemas, solicitações ou esperas. O hospital entrava em contato direto com eles, mandavam meu prontuário com todos os gastos e as coisas se resolviam automaticamente.

Sã e salva pelo seguro!

Meu seguro não foi dos mais baratos ao sair do Brasil Isso porque ele depende da quantidade de dias que você viajará. Para seis meses, é claro que ele teve um valor razoável para me assegurar por tanto tempo. Entretanto, ele ainda valeu a pena!

Se eu tivesse que tirar todas as despesas do meu bolso para todo o atendimento e cuidados para cuidar do meu pulmão, teria que desembolsar mais de € 120,00.

seguro-viagem
Acabou compensando ter pagado um seguro que já cobria a despesa

Garanto a você que, em comparação ao que eu paguei de seguro para todo o período, foi muito vantajoso não ter tirado esse valor para custear o imprevisto, ainda mais sendo uma estudante, que estava juntando as últimas economias para uma viagem de férias.

Adiar uma semana para ser atendida no Brasil poderia acabar com os meus planos nos últimos dias na Europa e ainda agravar meu caso para uma pneumonia, o que não seria nada agradável, ainda mais longe de casa.

O aprendizado que ficou é que o seguro é um investimento, assim como todos os custos que temos para fazer uma viagem acontecer!

Imprevistos acontecem, não estamos livres deles, então, é melhor precaver, caso eles apareçam! Aproveite o cupom de desconto aqui no Blog do Estevam Pelo Mundo para adquirir seu seguro de viagem para o seu próximo destino!

 

Por Milena Lopes

 

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularaluga um carro, garante os tickets para passeios ou compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveita e se inscreve no meu canal do Youtube e no meu Instagram para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas!

Posts Relacionados