CLASSE EXECUTIVA AZUL: VOANDO DENTRO DO BRASIL

Fala viajantes e milheiros! Tudo bem com vocês? Neste post, dando sequência a minha viagem ao Tocantins, vamos abordar um assunto que todo mundo curte bastante: classe executiva. Farei um review sobre como é voar na classe executiva da Azul dentro do Brasil. Isso mesmo. É possível! 

Classe executiva Azul
Assento 1C do A330-200 ceo da Azul em posição flat bed

Para acompanhar os demais posts desta série, basta dar uma conferida abaixo:

EMISSÃO

Tinha algumas milhas da Azul que expirariam no início de 2021 e como pouco viajo com a empresa, resolvi utilizá-las na volta pra casa. O custo do bilhete foi de 39.000 milhas. Entretanto, aqui a coisa ficou um pouco cansativa… Me senti voltando no tempo, uma vez que o que fiz não foi viagem… foi peregrinação! Um autêntico pinga-pinga: Palmas/Campinas/Recife/Maceió. E com uma longa conexão em Viracopos. Saí de palmas às 03h15 e cheguei em Maceió somente às 13h45…

Entretanto, se é para ter perrengue que seja chique. Entre Campinas e Recife voei de “classe executiva” com a Azul. O voo foi operado por um A330-200 ceo. Nestas rotas, quando operadas por aeronaves de fuselagem larga, os assentos de classe executiva são vendidos como assento Espaço Azul. Durante as quase 3 horas de voo, já bem cansado, capotei logo depois da decolagem. Tive sólidas duas horas e meia de sono profundo.

CHECK-IN

Foi feito ainda em Palmas, de maneira rápida, pratica e super eficiente. Em alguns minutos já estava com meu cartão de embarque em mãos e comprovante de despacho da bagagem, que seguiria até Maceió. 

DADOS DO VOO

Azul 4079
Campinas – Viracopos (VCP) – Recife (REC)
Data: 07/12/2020
Horário de Partida: 08:30h
Horário de Chegada: 11:30h 
Duração: 3:00h (de portão a portão)
Aeronave: Airbus A330-200 ceo
Assento: 1C (classe executiva – assento Espaço Azul) 

EMBARQUE

Aconteceu de maneira super organizada. Ao contrário do embarque em Palmas, onde a sala tem uma capacidade pra lá de reduzida. Mas, voltando a Viracopos… Como voava em assento Espaço Azul tive prioridade de embarque. Em questão de muito pouco tempo já estava devidamente acomodado no assento 1C do A330-200 ceo da Azul, que me levaria até Recife. 

CABINE E ASSENTO

Pois bem, por se tratar de uma aeronave widebody, os assentos de classe executiva quando operado nas rotas nacionais são vendidos como Espaço Azul. Logo, isso nos da a oportunidade de voar em “classe executiva” em voos dentro do Brasil. 

A cabine da classe executiva nos A330-200 ceo da Azul é padrão em todas as aeronaves deste modelo da empresa. Os assentos todos se transformam em camas fully-flat e a disposição dos assentos é 1-2-1. Dessa forma, todos os passageiros têm acesso direto ao corredor.

Vejam abaixo:

Azul - Estevam Pelo Mundo

Os assentos da janela, cujo console fica ao lado do corredor, oferecem mais privacidade aos passageiros. Igualmente, outro ponto muito importante é que o descanso para os pés não afunila quando o assento está em posição cama. Assim, o conforto do passageiro não fica comprometido durante o sono e, tampouco obriga o viajante a dormir de maneira torta. Por outro lado, os assentos cujo console fica do lado da janela (como no caso da poltrona 1C, onde voei), dão um ar menos claustrofóbico. Infelizmente, o descanso de pés apesar de ter um tamanho bom e também não afunilar, tem um pequeno defeito: são “abertos” na lateral. Assim, o passageiro ao dormir corre o risco de escorregar seus pés, sem querer, para o corredor.

Confiram o assento em posição de decolagem e pouso, bem como do descanso de pés:

Estevam Pelo Mundo - Classe Executiva

Classe Executiva - Azul

Classe executiva
Notem que a mesa tem um tamanho bastante satisfatório
Azul - Estevam Pelo Mundo - Classe Executiva
Reparem no descanso de pés. Detalhe para a cor alaranjada da sola do meu tênis. A cor do Jalapão 😉 

Confiram agora foto do assento em posição cama: 

Azul

Classe Executiva

Dica de ouro do viajante experiente: mesmo em assentos fully-flat, nunca deite até 180 graus. Você terá um maior conforto para dormir se “subir” uma média de cinco a dez graus da posição cama. Podem acreditar 😉  

CATERING (SERVIÇO DE BORDO)

Pois bem, em voos nacionais o serviço de bordo é idêntico ao da classe econômica. Neste voo específico, devido já as novas normas da ANAC referentes a pandemia do novo Coronavírus, o serviço de bordo limitou-se a água mineral em copinhos. Foram igualmente oferecidos fones de ouvido (em sacos plásticos lacrados). Fones simples e descartáveis, iguais ao da classe econômica. 

Junto aos fones, foi também foi oferecido álcool em gel. 

SERVIÇO DE ENTRETENIMENTO A BORDO

Este é para mim, talvez um dos menos relevantes quesitos de um voo. Não tenho o hábito de assistir filmes ou séries no avião. Quando faço é direto da tela do meu celular ou iPad (com tudo já devidamente baixado). Costumo ficar olhando o mapa de voo mesmo (coisas de Av-Geek).

Entretanto, o serviço de entretenimento a bordo é bom, porém, nada excepcional. Há boas opções de filmes, séries e música. A tela tem um tamanho bom e boa resolução. Os comandos do joystick são rápidos e a tela é touch screen.

QUANTO CUSTA VOAR NESTE ASSENTO EM VOOS NACIONAIS?

Pois bem, a pergunta que não quer calar… Qual o valor para se voar aí, com a Azul, em voos nacionais? 

Para viajar em um assento da classe executiva, em um voo da Azul dentro do Brasil, o custo deste assento é de R$ 159,oo o trecho, podendo variar de acordo com a rota. Entretanto, costuma ser este o valor. Aqueles que têm status diamante no programa TudoAzul, podem escolher esses assentos sem custo adicional e de forma ilimitada. Já os clientes das categorias TudoAzul Topázio e Safira, não podem utilizar suas cortesias Tudo Azul para reservar poltronas na classe executiva, e sim somente para as poltronas do Espaço Azul, disponíveis na classe econômica (primeira fileira, saída de emergência e etc…)

Classe Executiva

CONSIDERAÇÕES 

Pois, é! Embora muitos não saibam, a Azul já utilizava este equipamento de forma esporádica em voos de Campinas (VCP) para  Manaus (MAO) e Recife (REC), mas com redução das viagens internacionais por conta da Covid-19, estas aeronaves passaram a cobrir rotas de Campinas para Belém (BEL) e Fortaleza (FOR). Vale lembrar que, além do transporte de passageiros, a capacidade de carga desses aviões é aproveitada nestas rotas.

Devido a redução dos voos para o exterior, como mencionei acima, ficou mais fácil embarcar em um desses gigantes dos céus sem precisar sair do Brasil. No que tange o valor do assento, para aqueles que não têm status diamante, acredito ser um valor muito justo. Por R$159,00 você consegue voar de maneira infinitamente melhor do que voaria se estivesse acomodado em um assento da classe econômica, sem gerar digamos… desgate físico algum no trajeto até seu destino. Das 3 horas de voo, capotei profundamente por pelo menos duas horas e meia. 

Mais adiante, com a retomada do turismo e o aumento de frequências para voos internacionais, infelizmente, estas aeronaves voltarão a ficar mais “escassas” em voos domésticos. 

AVALIAÇÃO
  • Check-in: nota 9,0
  • Embarque: nota 9,0
  • Poltrona: nota 8,0
  • Catering: não avaliado (não avaliado devido a pandemia do novo Coronavírus)
  • Atendimento: nota 10,0
  • Amenity Kit: não avaliado (não disponível nesta rota)
  • Entretenimento de bordo: nota 8,0
  • Internet: não avaliado (não disponível nesta aeronave)
  • Limpeza: nota 8,0
  • Pontualidade: nota 10,0
FINALIZANDO

Assim sendo, espero que vocês tenham apreciado este review de voo. 

E você? já voou de classe executiva dentro do Brasil? Se sim, diz pra gente na caixinha de comentários logo abaixo do post e conta como foi sua experiência. 

Igualmente, se ficou alguma dúvida joga sua pergunta lá. Teremos o maior prazer em respondê-lo. E nada de acanhamento, hein? Lembrando que seu feedback é sempre muito importante pra nós!

Pois bem, e agora, para não perder o hábito dos posts que expresso minha opinião particular, vamos deixar uma coisa bem clara: estas são opiniões estritamente minhas. Não reflete a opinião do Estevam, de nenhum outro colunista do portal EPM ou tampouco do Estevam Pelo Mundo como fonte de informação e pesquisa sobre viagens, companhias aéreas, hotéis e demais assuntos da mesma natureza. Vamos deixar isso bem claro.

Vamos deixar também uma outra coisa bem clara: todo e qualquer produto que além da notícias eu revise, seja ele um voo em cabine premium, um programa de fidelidade, uma agência de turismo, um destino, um lounge ou um hotel, sigo minha própria independência, bem como as diretrizes de imparcialidade do Estevam Pelo Mundo. Em assim sendo, tenho total liberdade e obrigação para com nossos leitores para pontuar, sob a minha ótica, o que acho. Seja para possíveis pontos positivos ou negativos.

QUEM SOU EU?

Lucas Cabral, editor-chefe aqui do EPM para programas de fidelidade, cartões de crédito, pontos, milhas aéreas e afins. Estou aqui precisamente desde meados de maio. Se quer me conhecer melhor, saber quem eu sou e saber como eu vim parar aqui basta dar uma sacada no meu primeiro post, quando fui oficialmente lançado aqui no Estevam Pelo Mundo. Para isso basta clicar aqui. Igualmente, se gostou de mim ou quer ir conferindo algumas das minhas fotos de viagem e de algumas exaltações proporcionadas por milhas e pontos basta dar um follow lá no Instagram. Meu nome na rede é @lucasmcv 😉

Por fim, um grande abraço e até o próximo post!

LUCAS CABRAL

 

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularalugar um carro, garante os tickets para passeios e compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo  gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

 

 

 

 

 

 

Posts Relacionados