Como foi fazer teste PCR no exterior para entrar no Brasil

Desde 30 de dezembro de 2020, é obrigatória a apresentação de um teste PCR com resultado negativo para entrada, por via aérea, de brasileiros e estrangeiros em território nacional. E isso tem tirado o sono de muitos viajantes…

Sou Juliana Molinari, criadora do @quevoceviaje, voltei da República Dominicana no início de janeiro e vou compartilhar com vocês como foi realizar o exame no exterior, além de dicas para tornar o processo mais tranquilo.

Há alguns meses, redigi um post aqui no EPM sobre o Ano Novo em Punta Cana e devo confessar que ali já havia decidido passar o Réveillon com minha família nesse paraíso caribenho, pois tinha estudado bastante o destino, em especial sobre a sua condição frente à pandemia.

teste-pcr
Punta Cana

Apostávamos que a pandemia estaria mais sob controle no final do ano de 2020, o que para nossa decepção não ocorreu. Chegamos a cogitar em cancelar a viagem, mas decidimos mantê-la diante da certeza de que adotaríamos todas as medidas necessárias para preservarmos nossa saúde.

Ocorre que, em 23 de dezembro de 2020, alguns dias antes da viagem, foi publicada a Portaria 648, que estabeleceu que todo viajante de procedência internacional, brasileiro ou estrangeiro, deveria apresentar à companhia aérea responsável pelo voo, antes do embarque documento comprobatório de realização de teste laboratorial RT-PCR, para rastreio da infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, com resultado negativo ou não reagente, realizado nas 72 horas anteriores ao momento do embarque.

Naquela oportunidade, noticiamos aqui essa nova regulamentação e compartilhamos uma lista de laboratórios nos principais destinos internacionais, a fim de ajudar os viajantes no agendamento do PCR no exterior. Você pode consultar esse post clicando AQUI.

Diante da nova exigência, confesso que bateu o desespero e várias dúvidas na mente: Onde fazer o exame com a garantia de atendimento do prazo de 72 horas? Como agendar? Qual é o custo?

Vou dividir com vocês o passo a passo do que fiz para matar essas dúvidas e ter mais tranquilidade na realização desse exame no Exterior:

1 – Pesquisei laboratórios

Busquei na internet laboratórios no meu destino que fizessem o teste PCR e entregassem o resultado de forma digital em menos de 72 horas. Inicialmente, fiz essa busca em Punta Cana, onde fiquei hospedada, mas percebi que os prazos não me atendiam e que os laboratórios mandavam as coletas para Santo Domingo para processamento, o que provavelmente fazia com que os prazos para o resultado fossem longos. Diante disso, comecei a buscar laboratórios em Santo Domingo, cidade que já pretendia conhecer. Com o auxílio do prestativo Fábio do @puntacanaemportugues, receptivo que oferece diversos passeios e transfers em Punta Cana, agendei um passeio para Santo Domingo combinado com uma passadinha no laboratório.

teste-pcr
Santo Domingo

2 – Agendei o exame antes mesmo de sair do Brasil

Tinha colocado como condição realizar o agendamento do exame ainda no Brasil para manter a viagem de pé. Não estava disposta em contar com a sorte de conseguir dia e horário que me atendesse já estando em Punta Cana. Queria sair do Brasil com a certeza de que conseguiria fazer o exame para voltar, em especial, por considerar a possibilidade de não haver disponibilidade para fazer o exame no dia/horário que eu precisava (meu voo de retorno era por volta das 02:00 h do dia 03/01 e, portanto, eu precisava fazer o exame com no máximo 72 horas desse horário!).

Após muito pesquisar, descobri que as unidades do laboratório @labreferencia em Santo Domingo entregavam o resultado do teste PCR em até 48 horas e com o melhor preço que encontrei, mas o agendamento precisava ser, obrigatoriamente, por telefone! Como driblar o custo de uma ligação internacional? Com a dica do @puntacanaemportugues, fiz a chamada por meio do Skype e economizei uma bela grana!

Finalizar o agendamento (bem demorado, por sinal) foi uma vitória muito comemorada porque significava que sim, a viagem iria rolar!

3 – Fiz o PCR antes de sair do Brasil

Apesar de não ser obrigatória a realização do teste PCR para entrar na República Dominicana quando da minha viagem (consulte sempre a informação atualizada!), optei por fazer o PCR antes de viajar.

Você pode estar se perguntando, mas por quê?

Primeiro porque queria viajar com a tranquilidade de que eu e minha família não estávamos contaminados e que, consequentemente, não colocaríamos em risco a saúde de ninguém, não deixaríamos de aproveitar a viagem por estarmos doentes e não correríamos o risco de ter que buscar tratamento no Exterior.

Mas, com a Portaria 648 surgiu mais um motivo para a realização do exame antes de partir: saber que não estávamos com Covid evitaria o risco de termos um resultado positivo do PCR no retorno em razão de termos saído do Brasil com o vírus.

Como foi a realização do exame?

Muitooooo tranquilo! A coleta funcionou no esquema drive-thru e foi pontualmente realizada. Por volta de 10 minutos, todos já tinham realizado o exame! Turowwww de bom!

Agora a parte mais esperada: o resultado.

O laboratório havia se comprometido em entregar os resultados em no máximo 48 horas. Em um pouco mais de 24 horas o resultado já estava disponível no site e, para o meu alívio, todos negativos, graças a Deus!

teste-pcr
Realização do exame é no drive-thru

Hora de voltar ao Brasil

No aeroporto, havia um atendente da companhia aérea no início do cordão da fila do check-in confirmando os requisitos para embarque: máscara, Declaração de Saúde do Viajante preenchida e PCR negativo.

teste-pcr
Aeroporto de Punta Cana

Você pode estar se perguntando: “Ahhhh, mas e se o resultado não saísse a tempo do voo ou fosse positivo?”

Simples, não seria permitido o embarque.

E vou dizer que vi muita gente sendo impedida de embarcar porque nem sequer tinha feito o exame.

Na conexão que fizemos em Lima, a companhia aérea confirmou novamente o atendimento desses requisitos e nessa oportunidade presenciei a seguinte situação: um casal que havia embarcado em Punta Cana informou que não tinham feito o exame bem como, o resultado não havia sido solicitado pela companhia aérea no embarque. Esse casal não pode embarcar no voo de Lima para São Paulo e, pior, teve que retornar para Punta Cana para fazer o exame, tendo em vista que para desembarcar em Lima também era necessário o resultado negativo e no aeroporto não havia laboratório realizando o exame.

Portanto, fica o recado: a Portaria está em vigor e sendo cumprida!

Boas novas!

A fim de facilitar a vida de seus hóspedes e na tentativa de não ter uma redução no número de reservas, redes hoteleiras, como Iberostar e Palladium, estão disponibilizando a realização do PCR em suas próprias unidades em determinadas localidades.

Acredito que esse seja um movimento inevitável porque a logística para o viajante realizar o exame no exterior não é fácil, em especial em destinos que não se localizam em grandes cidades. Essa dificuldade pode acabar por desestimular mais ainda a realização de viagens para os destinos internacionais abertos ao turismo.

Então, fica a dica, procure hotéis que já estejam oferecendo essa facilidade ou, se já tiver uma reserva, verifique se o seu hotel conta com essa comodidade!

Ficou com alguma dúvida? Conte pra gente na caixinha de comentários logo abaixo desse post. E, não deixe de dar uma olhada no @quevoceviaje, inclusive lá tem um vídeo em que conto essa experiência! Se curtir, é só seguir e acompanhar os meus posts feitos para que você viaje!

Um beijo e até o próximo post!

 

Por Juliana Molinari

 

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularaluga um carro, garante os tickets para passeios ou compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveita e se inscreve no  canal do Youtube e no Instagram para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas!

Posts Relacionados