PRIMEIRA CLASSE LUFTHANSA – TORONTO PARA FRANKFURT

Fala milheiros e viajantes, tudo em cima com vocês? Hoje o post é pra lá de super especial: trata-se de um #tbt da antiga primeira classe da Lufthansa em um voo entre Toronto e Frankfurt, em junho de 2014. Dessa experiência guardo bastante animação e nostalgia, uma vez que foi a minha primeira vez voando em primeira classe. E se não bastasse, convenhamos, comecei estreando nas Firsts em grande estilo. Afinal a primeira classe da Lufthansa é um dos produtos mais cobiçados pelos entusiastas da aviação comercial (os conhecidos Av-Geek ou Aviation Geek). Não obstante, o voo foi realizado em um Boeing 747, a nossa querida rainha dos céus e, igualmente, como costumamos dizer: primeira primeira classe a gente nunca esquece. Senta aí que vem bastante detalhes acerca do produto. Quem vem comigo levanta a mão!

EMISSÃO

O bilhete foi emitido, salvo engano, à época, por 87.000 milhas LifeMiles, programa de fidelidade da Avianca. Uma vez ambas as companhias integram a Star Alliance, pude fazer esse resgate.

LifeMiles

A emissão foi um pouco, um tanto quanto… tensa, já que o meu grau de inquietude e ansiedade estava nas alturas com a possibilidade de realizar este voo. Lembro-me que usei a opção Milhas + Dinheiro, na proporção 40% pago em milhas (porcentagem mínima de acordo com o regulamento do programa) e os demais 60% em dinheiro. Comprei o suficiente para esses 40% em uma promoção, se não me falha a memória, com 120% de bônus com certa antecedência apenas na expectativa de realizar esse resgate. Não lembro ao certo valores, mas o que ficou cravado na minha mente foi que o total somado da compra de pontos mais os 60% pago em dinheiro para essa emissão e, como consequência, para voar nesse trecho foi de algo em torno de U$600 ou U$700, já com taxas, o que, pelo câmbio da época, representava algo em torno de R$1400 a R$1700.

Um bilhete pagante só de ida para esse voo em primeira classe gira em torno de U$6.000 a U$8.000, podendo chegar até mesmo a U$10.000, o que na prática quer dizer que paguei pelo menos de dez a quase 15 vezes mais barato para voar do que um passageiro pagante pagaria para voar ao meu lado. Da mesma forma, lembro-me bem de haver feito uma simulação pagante em classe econômica e o resultado ter sido até mesmo um pouco mais caro do que paguei para voar na primeira classe, bem exaltado, como diria nosso querido Estevam. Diz aí: esses programas de milhas são demais ou não são?

DETALHE DE EMISSÃO EM PRIMEIRA CLASSE DA LUFTHANSA

Uma peculiaridade da disponibilidade de bilhetes com milhas na nossa queridinha alemã Lufthansa: a companhia começa a liberar os assentos First somente 14 dias antes da data do voo. E esta regra vale até hoje, sendo muitos assentos liberados nas rotas mais concorridas apenas algumas horas antes do voo. No meu caso, em particular, para esse bilhete passei dez dias monitorando o voo diversas vezes ao dia. Literalmente noite e dia, muitas vezes até mesmo de 15 em 15 minutos ou de meia em meia-hora. Até que a vaga fosse aberta faltando apenas quatro dias para data da viagem. Sem sombra de dúvidas, talvez tenha sido a emissão e o voo que mais ansiedade me gerou em toda a vida! O importante é que de tudo certo, fiz um super voo e aqui estou para contar tudo em detalhes neste review.

Onboard Champagne
Onboard Champagne

Vale ressaltar que, caso a vaga não fosse aberta, eu já tinha um outro bilhete emitido em classe executiva, que, naturalmente, cancelei imediatamente mediante a abertura de disponibilidade na First no voo da Lufthansa.

CHECK IN

Cheguei ao Aeroporto Internacional Lester B. Pearson (YYZ), em Toronto, com pouco mais de três horas de antecedência e transbordando de entusiasmo e muita ansiedade. Uma vez no saguão dirigi-me ao check in da Lufthansa e prontamente entrei na fila prioritária para passageiros voando primeira classe e membros HON Circle. Ao contrário das filas das classes econômica e executiva, não havia passageiro algum e fui imediatamente atendido. Infelizmente, neste quesito, tive uma péssima experiência.

Airport
Terminal 1 do Aeroporto de Toronto

Explico: a agente de check-in olhou-me de cima a baixo e questionou-me mais de uma vez se eu tinha certeza se estava voando First. Respondi firmemente que sim e fui novamente questionado de cara feia pela dita cuja: não é em executiva que você está viajando? Essa fila é exclusiva para passageiros em primeira classe e membros HON circle. Com mais dureza ainda respondi em tom de imposição que estava na fila correta e que, por favor, procedesse com o meu check in. Ela solicitou meu passaporte e dirigiu-se a outro guichê onde, presumo, devia estar o(a) supervisor(a), retornou em alguns instantes e em tom bastante frio disse-me: sim, de fato o senhor está voando conosco em primeira classe. Ofereceu-me um frio pedido de desculpas e realizou o check-in.

Cartão de embarque em mãos agradeci e solicitei o serviço de acompanhamento até a Sala Vip. Foi-me negado. A agente novamente pediu-me frias desculpas, mas afirmou que naquele dia o serviço não estava sendo oferecido uma vez que o voo estava com overbooking e eles estavam com déficit de funcionários nos guichês de check in. Entretanto, assegurou-me que alguém me buscaria na Sala Vip para me acompanhar até a aeronave, como de fato ocorreu e, dessa vez, por uma agente bastante simpática e prestativa.

ALGUNS ADENDOS…

Vamos lá, quem é o passageiro que costuma voar em primeira classe com a Lufthansa? Respondo-lhes: altos executivos alemães que costumam voar engravatados e que são presença constante na primeira classe dos voos da companhia. Habitués, estão sempre agarrados a elegantes pastas de couro e não desgrudam do telefone. A partir desta premissa, imagino, digamos… a surpresa, por parte da agente do check-in. Diante dela estava ali um moleque de 25 anos, vestido de maneira bastante casual esportiva (sapatênis, bermuda e camisa de linho esportiva com a manga dobrada) com um bilhete First. Evidentemente, nada justificaria o comportamento dela, fosse comigo ou com qualquer outro passageiro, independente da classe que estivesse voando, cor, raça, nacionalidade e etc.

Notem que solicitei que me acompanhassem no processo de embarque até a Sala Vip. A Lufthansa oferece este serviço a seus passageiros voando em primeira classe ou a membros HON Circle, status mais elevado do programa de fidelidade da companhia e de difícil alcanceFoi-me negado sob a alegação, conforme pontuei acima, de que naquele dia o serviço não estava sendo oferecido uma vez que o voo estava com overbooking e eles estavam com déficit de funcionários nos guichês de check in. Depois procurei informar-me e, de fato, naquele dia o serviço estava indisponível. Entretanto, da Sala Vip até a aeronave o serviço estava funcionando e fui escoltado por uma agente até a aeronave.

Sala Vip da Air Canada usada por passageiros premium voando Lufthansa quando embarcando em Toronto
SALA VIP (MAPLE LEAF LOUNGE/SALON FEUILLE D’ÉRABLE  – AIR CANADA)

Em Toronto, por participar da mesma aliança que a Air Canada, a Star Alliance, e, igualmente, por serem parceiras em codeshare em várias rotas, os passageiros premium da Lufthansa utilizam a Sala Vip da Air Canada, chamada de Maple Leaf Lounge, em inglês, ou, Salon Feuille d’érable, em francês.

O lounge fica localizado no terminal 1, após o controle de raio-x e seguinte as esteiras rolantes, antes das escadas rolantes que dão acesso ao duty free e aos portões de embarque. Já não passo por lá há algum tempo, mas é um lounge bastante satisfatório, com relativa elegância e oferece uma boa opção de alimentação no buffet, bem como uma ampla variedade de bebidas. Há diversos espaços destinados a área de espera, área de trabalho com serviço de impressora, banheiros com fraldário, bem como, duchas disponíveis para os passageiros. A sala Vip é ampla e o atendimento dos funcionários e concièrges, que lá trabalham é bastante eficiente: são solícitos, profissionais e prestativos.

Área de espera do Maple Leaf Lounge
Maple Leaf
Área de espera do Maple Leaf Lounge
DADOS DO VOO

Lufthansa 471
Toronto (YYZ) – Frankfurt (FRA)
Data: 18/06/2014
Horário de Partida: 18:25h
Horário de Chegada: 08:10h +1 
Duração: 7:45h (de portão a portão)
Aeronave: Boeing 747-400
Assento: 81H (upper deck – primeira classe) 

EMBARQUE

Conforme prometido no check-in, bem como já expliquei acima, os passageiros da Lufthansa voando First, assim como membros HON Circle do programa de fidelidade, são acompanhados pessoalmente da Sala Vip até a aeronave. Prontamente no horário de embarque meu nome foi anunciado no sistema de som do Lounge e na recepção já me esperava uma simpática agente da Lufthansa, que não diferentemente da colega do check-in mostrou-se surpresa ao descobrir que o passageiro em questão seria eu. Muito educada, perguntou qual era meu destino final e engatilhamos uma agradável conversa. Gentilmente, questionou-me e deu-me o tempo que eu julgasse necessário caso quisesse fazer alguma compra no Duty Free. Agradeci e disse que poderíamos seguir direto para o portão de embarque.

Ali estava eu, pronto para embarcar na minha primeira First Class e justamente naquela dentre as quais eu mais eu desejava voar. Como diriam os alemães: wunderbar!

Escultura
Ao chegar ao gate notei uma enorme aglomeração e um certo clima de stress. O voo estava com overbooking e muitos passageiros não conseguiriam embarcar. Para meu desalento, eu, que até então seria o único passageiro da primeira classe, vi, naquele instante, que muitos upgrades seriam feitos e que a cabine voaria lotada. Dito e feito. 

Embora o embarque já houvesse começado, e havia muita gente, isso não implicou em problema algum. Ao contrário: a agente que me acompanhava literalmente escoltou-me no meio dos passageiros e saímos, por assim dizer…  furando a fila no saguão e no balcão de embarque, bem como no finger, até que chegássemos a aeronave. Ao pisarmos no imponente 747 da Lufthansa despedimos-nos, ela desejou-me boa viagem e me apresentou a chefe de cabine da primeira classe, que imediatamente acompanhou-me até meu assento no upper deck do jumbo.

CABINE

Pisar em um 747 por si só já é um enorme prazer, voando em primeira classe mais ainda. E quando a cabine First ocupa todo o upper deck da aeronave… nossa, é emoção demais! Acompanhado pela chefe de equipe da primeira classe subi as escadas rumo ao deck superior, mais animado que criança em parque de diversões. Fui  cumprimentado pelos demais membros da tripulação que serviriam a First e encaminhado ao meu assento, o 81H, primeiro do lado direito da primeira fila. A configuração dessa cabine é 1-1, totalizando oito assentos. Ou seja, de cada lado do corredor há apenas um assento. Uma vez acomodado, foram oferecidos jornais e revistas de ambos os países e nos três idiomas: alemão, inglês e francês. Por conta do overbooking, decolamos cerca de 15 a 20 minutos depois do programado.

Upper deck do jumbo
ASSENTO

Agora, para tudo! Vou explicar como é a disposição dos oito assentos da First. Cada passageiro tinha para si não somente uma larga poltrona, e sim um combo: assento e cama. Isso mesmo, amigo viajante e milheiro! Nessa configuração o passageiro dispunha de um largo e confortável assento com reclinação, salvo engano, de 145º e uma cama ao lado. Confiram melhor nas imagens abaixo:

First Class Seat
Notem que tomada e entradas USB é o que não faltam e os controles ficam embutidos no compartimento dentro do braço direito da poltrona. Para acessar-los basta levantar a tampa.
Seat
Visão completa do “assento”

Acredito que agora você, viajante, tenha conseguido perceber o motivo do meu entusiasmo para esse voo.

Quem voou, voou, quem não voou, infelizmente já não voa mais. Explico: embora a Lufthansa siga oferecendo o produto First, essa configuração já é inexistente. Pouco tempo depois os Boeing 747-400 da companhia tiveram retiradas a primeira classe e em todo o upper deck foram instalados assentos de classe executiva na configuração 2-2. Não obstante, hoje, devido a pandemia da Covid-19, a companhia aposenta todas as suas aeronaves 747-400.

A atual primeira classe da Lufthansa segue contando com oito assentos que viram camas fully flat. O produto é oferecido nas aeronaves Airbus A330, Airbus A380 e Boeing 747-8, sendo este último o maior da família 747 e o responsável pela operação da rota Frankfurt/São Paulo/Frankfurt.

Champagne
Champanhe de boas-vindas
AMENITIE KIT (NÉCESSAIRE)

Tão logo oferecido o drink de boas-vindas duas comissárias trouxeram-me os pijamas e o amenitie kit. amenitie kit oferecido nesse voo é feito em couro e fabricado especialmente para a Lufthansa pela Escada. Nele o passageiro encontra os mais variados produtos necessários para um voo de longo curso, tais quais como tapa olhos, protetores de ouvido, meias e etc.

Preto para os homens e bege para as mulheres, o amenitie kit é bastante completo. Dentro da opção masculina vem duas sacolinhas. A primeira com protetores para os fones de ouvido, pasta e escova de dente, gel hidratante para a pele do corpo, hidratante labial e protetores de ouvido dentro de um pequeno estojo. Vejam:

Utensilios
Primeira sacolinha do Amenitie Kit

Já a segunda sacolinha dispunha de tapa olhos, dentro de uma pequena bolsa da mesma cor, meias, pente e hidratante para o rosto. Vejam:

Segunda sacolinha do amenitie kit

Propositalmente, o mais legal de tudo deixei pra mostrar no final. Ambas as sacolinhas vem, conforme pontuado acima, dentro de uma necessaire de couro da grife alemã Escada e é fabricado exclusivamente para a Lufthansa. No intuito de dar-lhe uma boa função, em parceria com a marca, a companhia optou por um designe inteligente e terminado o voo passa a ter a utilidade de estojo para iPad e tablets. Igualmente, no interior vem a chancela Lufthansa First Class. Confiram:

iPad encaixa-se perfeitamente
Interior do amenity kit com a chancela da primeira classe da companhia

Particularmente, achei a necessaire de muito bom gosto, assim como de qualidade excelente. Trouxe uma bege para a minha mãe que, gentilmente a tripulação me cedeu, e até hoje ela usa como estojo para seu iPad e a qualidade do couro segue impecável. No que tange aos produtos são, igualmente, de ótima qualidade e alguns deles não só os tenho como ainda faço uso. Neste caso específico refiro-me ao tapa olhos.

PIJAMAS

Vestiário Van Laack dispensa apresentação. O tecido é de algodão puro e super macio, proporcionando assim total e absoluto conforto. Os pijamas são entregues dentro de duas sacolas do mesmo tecido e são oferecidos aos passageiros nos tamanhos P, M e L (large, ou grande). A primeira sacola tem a parte debaixo e a segunda sacola a parte superior. Vejam:

Pijamas
Pijamas Van Laack
Pijamas LH
Pijamas Van Laack

Junto aos pijamas foram igualmente oferecidas pantufas da mesma cor. São confortáveis e vêm dentro de uma sacola feita no mesmo tecido dos pijamas. Vejam:

Pantufas
Pantufas oferecidas a bordo

Além de extremamente confortáveis os pijamas são bastante resistentes. Tenho até hoje no meu quarta-roupas e ainda parecem novos. Já resistiram a algumas lavagens a mão e a máquina.

CATERING

O menu da primeira classe da Lufthansa é o verdadeiro estado da arte na categoria catering. Contemplando dos mais variados gostos aos mais exigentes dos paladares, a companhia se cerca do que há de melhor no mundo gastronômico clássico e moderno e traz para o passageiro first uma experiência literalmente de primeira. Se não estou enganado, o cardápio muda de acordo com as estações do ano, bem como origem e destino do voo, tendo como algumas de suas marcas registradas o famoso caviar beluga. Em tempo: vocês sabiam que é a Lufthansa a maior compradora individual de caviar no mundo? Reza a lenda que 5% do caviar beluga é adquirido por eles, embora eu, particularmente, não saiba confirmar a autenticidade desta informação.

Todo o serviço de bordo, do começo ao fim, é cercado de luxo e comandado com maestria por uma tripulação extremamente simpática, ágil e, sobretudo, profissional.

MENU

O menu da primeira classe da Lufthansa é bastante extenso. Nele é oferecido uma excelente variedade de entradas, pratos principais e sobremesas, uma infinidade de bebidas (frias e quentes). O café da manhã é digno de rei. Confesso, inclusive, que desembarquei em Frankfurt bastante cheio.

Vale lembrar, nesse voo o menu foi assinado pelo renomado chef de cuisine alemão, Harald Wohlfahrt. Já a carta de vinhos ficou por conta do sommelier suíço, Markus Del Monego, ganhador do prêmio Melhor Sommelier do Mundo, no ano de 1998.

A carta de vinhos é um espetáculo a parte. Oferece vinhos de gama alta, de variadas regiões e de safras escolhidas a dedo pelos enólogos e sommeliers da empresa.

Segue, abaixo, fotos do menu, assim como da carta de vinhos. O menu desse voo, visto que tratava-se de um voo com origem no Canadá, tinha apresentação trilíngue: alemão, inglês e francês. Optei por mostrar-lhe as fotos em inglês. Confiram:

Menu
Menu e carta de vinhos lado a lado
menu
Abertura do menu
Menu
Opções de jantar e snacks

Abaixo, imagens da carta de vinhos e da carta de bebidas (frias e quentes):

Wine
Abertura da carta de vinhos
Champagne
Champagne
Vinho
Seleção de vinhos branco
Wine
Seleção de vinhos tintos
Demais bebidas alcólicas e sugestão do mês: gym alemão
Opção de vinho sobremesa e vinho do porto
Bebida
Opções de bebidas frias
Opções de bebidas quentes

Numa folha a parte foi oferecido aos passageiros uma sugestão extra, e sazonal, de champanhe. Vejam:

Champagne
AMOUSE-BOUCHE

Imediatamente após a decolagem e ao aviso de atar os cintos ter sido desligado, uma nova rodada de champanhe foi oferecida. Dessa vez, optei pela segunda opção. Junto ao champanhe foi servido um amuse-bouche (não presente ao cardápio). Vejam:

amuse-bouche

Seguinte ao amuse-bouche e antes do serviço propriamente dito, a comissária ofereceu-me novamente mais uma taça de champanhe, que foi prontamente servida.

JANTAR

Alguns minutos depois começou o serviço de bordo. Em um elegante carrinho foi servido o caviar, acompanhado de suas devidas guarnições, torradas e um shot de vodka russa. Na foto abaixo notem o cuidado com o qual a iguaria é servida e o quão a Lufthansa preza pelo seu serviço. Isto, podemos notar através de um toque especial e bem simples: o limão é envolto numa espécie de tecido amarelo vazado. Daí o amigo milheiro pergunta-se o por quê?. Respondo: Para que ao espremermos o limão não caia no caviar alguns fiapos da fruta, bem como para que o passageiro não suje as mãos. Esta companhia é demais ou não é, gente? Vejam a foto:

Caviar
Serviço de caviar da Lufthansa

Terminado o serviço de caviar veio, em seguida, a sopa. Foi acompanhada de uma variedade de pães servidos diretamente pela tripulação em uma cesta. Dá uma conferida:

Outro detalhe bastante peculiar. Reparem na manteiga: é timbrada com os dizeres First Class. Vejam:

Manteiga

Retirada a sopa, foram servidas as entradas, junto a salada e uma nova rodada de pães. Como bom guloso que sou, optei por provar as três opções de entrada. Todas, sem exceção, estavam de comer rezando. Segue as fotos:

Variedade de entradas

Em seguida, veio o prato principal. Optei pelo tournedous de fílet mignon. Veio bastante suculento e no ponto certo: digno de uma steak house das melhores! Para acompanhá-lo solicitei a chefe de cabine uma sugestão de harmonização de vinho e, chegamos, juntos, a conclusão que a melhor opção seria o Château Olivier safra 2006, Gru Classé des Graves, de origem francesa. Confiram:

Lufthansa

Como sobremesa a tripulação ofereceu-me uma opção que não estava no menu. Era um bolo de baunilha com calda quente de chocolate branco e frutas vermelhas. Foi servido acompanhado de água e vinho do porto.

Desert

CAMA

Bom, uma vez devidamente alimentado, era hora de dormir. Já estava escuro do lado de fora e teria um dia longo em Frankfurt. Enquanto pulava da poltrona para a cama a comissária ofereceu chocolates suíços e perguntou se eu deseja algo mais. Igualmente, perguntou se gostaria de ser acordado para o café da manhã e lembrou que se durante a noite desejasse comer algo bastava chamar a algum dos comissários que, conforme o cardápio, haviam alguns snacks disponíveis.

Expressei meu desejo de de ser acordado para o café da manhã e que aceitaria uma dose de Johnnie Walker Blue Label para acompanhar os chocolates servidos, antes de dormir. Prontamente fui atendido. Num piscar de olhos, enquanto saía da poltrona para a cama, a comissária apareceu com a dose do whisky, conforme pedido. Novamente perguntou como havia sido o jantar, se desejava algo mais. Disse que não e agradeci. Ela desejou-me boa noite e retirou-se.

Whisky
Chocolates suíços e whisky Johnnie Walker Blue Label

A cama, apesar de aparentar ser estreita, não é. Tem um colchão macio, lençóis de fios egípcios e um travesseiro bastante confortável. Ali capotei por algumas horas de sono até ser despertado para o café da manhã. Chamou-me muita atenção a forma com a qual a tripulante me acordou. Fez uma leve pressão muscular entre o meu ombro e o pescoço, em uma especie de pinçada. Achei bastante sútil, eficiente e profissional. Tenho certeza que isso faz parte do treinamento da tripulação, uma vez que em outros voos da Lufthansa e de outras companhias aéreas do grupo (como Austrian, por exemplo) aconteceu a mesma coisa.

Devidamente acordado e já sobrevoando o território europeu, aproveitei para fazer algumas coisas no laptop enquanto aguardava o café da manhã. Confiram na foto a bagunça logo após ter sido acordado:

CAFÉ DA MANHÃ

Como terminei mais tempo atarefado no computador do que previa e ainda estava bastante cheio do jantar, o café da manhã foi servido de maneira bem rápida. Off-topic, vou abrir um parênteses aqui: infelizmente, ao abrir o laptop constatei que o Wi-Fi não estava funcionando. A comissária pediu desculpas mas disse que o sistema estava inoperante durante todo o voo. Uma pena, com exceção do pequeno problema no check-in em Toronto, tudo estava indo perfeitamente bem, até o momento.

Sigamos: curiosamente, as opções de café da manhã não estavam previstas no cardápio, mas consistia em frutas, seleção de queijos (a mesma que dispensei no jantar), frios, bebidas quentes e geladas e uma variedade de pães servidos diretamente da cesta acompanhados de manteiga, mel e geleia. Com pressa e, conforme disse acima, ainda bastante cheio do jantar, optei por um café da manhã o mais light possível.

A tripulação, por conta da proximidade do pouso serviu muito rápido, porém, de maneira bastante eficiente. Optei por suco de laranja, com queijos e frios e uma seleção de frutas. Dispensei os pães.

Rápido café da manhã antes das chegada em Frankfurt.

De barriga cheia, troquei de roupa rapidamente, uma vez que já estávamos em procedimento de decida para pouso no Aeroporto Internacional Frankfurt. Toda a equipe que atendeu a primeira classe nesse voo veio pessoalmente despedir-se de mim. Achei um gesto bastante nobre, profissional  e simpático da parte deles. Entretanto, notei que havia um certo tom de exclusividade da parte deles comigo. Acredito que deva-se ao fato de ter sido o único passageiro originário da First naquele voo, uma vez que os demais eram todos passageiros frutos de upgrade pelo overbooking.

First Class
Rosa vermelha: marca emblematica da primera classe da Lufthansa
ENTRETENIMENTO DE BORDO

Embora pouco tenha usado, aliás isto é um hábito meu, uma vez que não costumo assistir a filmes ou outros programas a bordo (a tela fica sempre no mapa e nas informações de voo), as opções eram das mais diversas: desde filmes de hollywood a clássicos europeus. Havia, igualmente, diversas opções de música. Os fones de ouvido eram noise cancelling e de excelente qualidade. A tela tinha um tamanho satisfatório, não lembro ao certo o número de polegadas, e embora touch screen, essa função perde o sentido já que a distância do assento para ela é bastante grande. Por outro lado, o IFE, abreviatura em inglês para In Flight Entertainment, que quer dizer entretenimento à bordo, responde aos comandos do controle bem rápido.

Gostaria de poder aprofundar-me mais no assunto, mas, infelizmente, praticamente não usei o sistema de entretenimento a bordo.

UMA CURIOSIDADE

Poucos segundos antes de tocarmos o solo, em Frankfurt, fomos atingidos por uma rajada de vento cruzado, o que obrigou o comandante, por segurança, a arremeter. Demos meia volta e pousamos em segurança logo em seguida. Vale ressaltar, que pouso bom é pouso seguro. Então, de certa forma, não convém elogiar um pouso suave, uma vez que esta é a última preocupação dos pilotos. Igualmente, arremetidas são mais frequentes do que pensamos e somente no Brasil é que viram notícias de televisão. Portanto, caso seu voo arremeta (ou até mesmo aborte a decolagem) não se preocupe, este procedimento está sendo tomado para sua própria segurança e não imprime risco algum. Ao contrário. Ta okay, pessoal?

Boeing 747
Imponente Boeing 747-400 que transportou-me de Toronto a Frankfurt
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Voar com a Lufthansa, sobretudo em primeira classe, é e será sempre algo pra lá de encantador e especial. Particularmente, tenho não só grande admiração e respeito pela companhia, mas também um enorme carinho, visto que conforme mencionei lá em cima, foi com eles a primeira vez que voei em First e a primeira primeira classe a gente nunca esquece.

A Lufthansa é uma companhia incrível, com um produto bastante sólido e da mais alta qualidade. É mais do que uma companhia aérea: é símbolo e motivo de orgulho de todo um país e seu povo.

Bem queridos amigos viajantes e milheiros, este relato foi o mais detalhado que pude fazer. Naquela época não poderia nunca imaginar que essas fotos de arquivo pessoal um dia estariam sendo compartilhada aqui no Estevam Pelo Mundo. Espero, de verdade, que tenham gostado do review. Vários outro virão, podem ter certeza. Então, quem quer mais reviews e #tbts levanta a mão!

AVALIAÇÃO
  • Check in: nota 2,0
  • Embarque: nota 10,0
  • Poltrona: nota 10,0
  • Catering: nota 10,0
  • Atendimento: nota 10,0
  • Amenity Kit: nota 10,0
  • Entretenimento de bordo: nota 8,0
  • Internet: nota 0,0 (uma vez que não estava funcionando)
  • Limpeza: nota 10,0
  • Pontualidade: nota 9,5
QUEM SOU EU?

Ah! Como vocês devem ter notado sou novo na área. Se quer me conhecer melhor, saber quem eu sou e saber como eu vim parar aqui, dá uma sacada no meu primeiro post, quando fui oficialmente lançado aqui no Estevam Pelo Mundo. Para isso basta clicar aqui. Igualmente, se gostou de mim ou se já quer ir conferindo algumas das minhas fotos de viagem e de algumas exaltações proporcionadas por milhas e pontos basta dar um follow lá no Instagram. Meu nome na rede é @lucasmcv 😉

Um grande abraço e até o próximo post!

 

Lucas Cabral

 

 

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celularalugar um carro, garante os tickets para passeios e compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo  gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

 

Posts Relacionados