CORONAVÍRUS: o que já sabemos sobre a doença?

O que já sabemos sobre o coronavírus

Quem não buscou no Google uma única vez o assunto coronavírus, definitivamente não vive neste mundo. O novo vírus é o assunto que mais bomba no momento.

Mas apesar de muito falado, ainda existem muitas dúvidas e desconhecimento a respeito da doença. Para ajudar, vamos recapitular tudo que sabemos até agora sobre o Covid-19.

Os primeiros casos surgiram em Wuhan, província de Hubei, na China, no fim de 2019. Atualmente, são mais de 200 mil casos de coronavírus confirmados no mundo e mais de 8 mil mortes. No Brasil, já são mais de 400 casos registrados e outros 11 mil pacientes suspeitos. Mas esses números mudam todos os dias.

Países da Europa e os Estados Unidos, por exemplo, já tomaram providências mais extremas como fechar suas fronteiras e suspender aulas e serviços não essenciais, tudo para evitar a disseminação. No Brasil, as primeiras medidas foram de alguns estados que já solicitaram que as aulas na rede pública sejam suspensas.

O que é coronavírus (Covid-19)?

O novo vírus é apontado como uma variação da família coronavírus. De acordo com o Ministério da Saúde, os primeiros vírus desse tipo foram identificados em meados da década de 1960, e desde então já fomos contaminados algumas vezes por eles. Todos os coronavírus já identificados em seres humanos provocam doenças respiratórias.

Apesar de ter sido considerada uma pandemia, ter o coronavírus não é uma sentença de morte. Pelo contrário, sua taxa de mortalidade é baixa (3%). O coronavírus é uma gripe de grande disseminação, mas para a maioria das pessoas é somente uma gripe e que irá passar.

Quem está mais vulnerável?

Os idosos são o grupo de maior risco em relação a doença. Isso porque desencadeiam complicações pulmonares com mais facilidade do que a população mais jovem. Outros grupos de risco são doentes crônicos, com problemas cardiovasculares, respiratórios, diabetes e hipertensão, além dos fumantes.

Como evitar?

A transmissão do vírus é feita através de gotículas liberadas do nariz e da boca quando alguém infectado espirra ou tosse. Essas gotículas ficam suspensas no ar e se depositam em objetos. Para evitar a contaminação e a disseminação do novo vírus, o Ministério da Saúde recomenda as seguintes medidas:

– Lavar as mãos com frequência. Caso não possa lavar com água e sabão, usar álcool gel
– Evitar aperto de mãos e abraços em outras pessoas, independentemente de seu estado de saúde
– Evitar lugares com aglomerações, em especial se possui uma doença crônica ou é idoso
– Espirrar ou tossir cobrindo a boca e o nariz com um lenço ou o braço, nunca com as mãos
– Evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas
– Aumentar a frequência de limpeza de locais onde muita gente coloca a mão, como as maçanetas de portas
– Evitar horários de pico em diferentes serviços, inclusive para fazer compras nos supermercados
– Para pessoas que voltaram de viagens do exterior, é importante fazer isolamento domiciliar. Se puder, cancelar ou adiar viagens marcadas
– Se apresentar sintomas de doença respiratória e tiver viajado recentemente, contatar um serviço médico

Quais os sintomas e o tratamento?

Foram identificados sintomas como febre, tosse, dificuldade em respirar e falta de ar. Em casos mais graves, há registro de pneumonia, insuficiência renal e síndrome respiratória aguda grave.

Ainda não há um tratamento específico para a doença, mas já existem diversas pesquisas em andamento para desenvolver uma vacina para o novo vírus. Por enquanto, o tratamento é feito para amenizar os sintomas. O melhor a se fazer é ficar em casa em isolamento e procurar ajuda médica somente em casos mais graves.

A boa notícia é que já está disponível um teste para detectar o vírus, tanto na rede pública quanto na privada. E em 81% dos casos a doença não causa sintomas ou é leve. A maioria das pessoas infectadas é curada, e nas crianças os sintomas são tão leves que podem passar despercebidos.

Outra notícia boa é que na China, epicentro do coronavírus, o número de casos diagnosticados está diminuindo a cada dia.

 

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celular, aluga um carro, garante os tickets para passeios ou compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveita e se inscreve no meu canal do Youtube e no meu Instagram para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas!

Posts Relacionados