KYOTO JAPÃO – QUANTOS DIAS FICAR e O QUE FAZER?

Apelidada de cidade dos templos e samurais, Kyoto era a antiga capital do Japão, até ser substituída por Tóquio em 1868.
Junto a Osaka e Kobe, formam a região de Keihanshin, a segunda maior área metropolitana do Japão (ficando atrás apenas da grande Tóquio).

Muitas pessoas se apaixonam por Kyoto no Japão – e comigo não foi diferente. Fiquei apenas 3 dias na cidade (mas você pode ficar uma semana que terá muita coisa para ver e fazer). Mas pude fazer as principais coisas e até mesmo jantar com uma Gueixa (na verdade uma Maiko de verdade que explico em breve o que é).

VEJA MEU ROTEIRO DE 20 DIAS NO JAPÃO CLICANDO AQUI

DIA 1 em QUITO no JAPÃO:

No primeiro dia, cheguei ao hotel Kyoto Four Sisters Residente, onde me hospedaria pelas próximas duas noites. Achamos o hotel pela internet e com bons reviews e excelente preço, descobri valer mesmo muito a pena. Neste video mostro ele por dentro e neste link você pode fazer sua reserva pelo melhor preço.

Logo depois, fomos a Yumeyakata pra virar samurais de verdade! Sim! Você pode virar uma GUEIXA ou SAMURAI em Kyoto! Muitas pessoas andam pelas ruas vestidos de kimono e isso é completamente normal, porém cuidado que estes não são samurais ou gueixas de verdade, mas na maioria turistas. Para ver uma gueixa ou maiko, conto mais pra frente! heheh Sou desses!

Depois de vestir um kimono e causar pelo Japão quase sendo preso, decidi ir jantar. Kyoto é muito famosa pelo teppan e encontrei um lugar de excelente custo benefício e bem no centro chamado Teppan Tavern Tenamonya. Lá tem um menu degustação com o famoso Okonomiyaki (yaki quer dizer grelhado em japonês) e o Wagyu Beef, uma carne muito especial para os japoneses. A carne é tão especial que eles criam o boi comendo ração especial, tomando cerveja e até mesmo ouvindo música clássica. Legal né? No video (acima) mostrei detalhes do restaurante por dentro, espero que gostem como eu gostei!
Ah! E lembre-se de fazer uma reserva, pois o restaurante é muito pequeno, por isso corre o risco de não ter lugar.

DIA 2 em KYOTO NO JAPÃO:

Hoje acordamos cedo para desbravar a cidade de Quioto e visitar o famoso Kiyomizu-dera. Este templo é um complexo lindo com muita natureza e bem fácil de chegar. O nome quer dizer “água pura”, devido as quedas d’água na região.

Algumas construções são do início do século 17 e nenhum prego foi usado aqui, algo que achei muito legal, principalmente por ser algo tão majestoso.

Pra chegar lá, fomos de ônibus. Uma coisa que reparei desde que sai de Osaka e fui a Kyoto é que quase não existe metro aqui. Eles usam muito mais o ônibus para ir aos lugares. Bem diferente de Osaka. O valor é pago sempre pela distância andada, mas custa em média uns 250 ienes (quase 10 reais).

Assim como grande parte de Kyoto, o templo budista Kiyomizu-dera, faz parte do patrimônio mundial da UNESCO e foi fundado em 798.

A entrada custa cerca de 4 dólares (400 ienes) e os horários variam de acordo com a época do ano, mas costuma fechar as 18:00. Verifique no site oficial quando abre e fecha o templo, pois lá tem todos os detalhes (até mesmo eventos especiais).

Pra almoçar, fomos ao Okonomiyaki and Grills Oagari que fica a 10 minutos caminhando do templo Kiyomizu. Ele também fica no segundo andar do prédio onde jantamos na primeira noite (lá no Teppan Tavern Tenamonya ).

Fomos recebidos pelo Kent, o chef e dono do restaurante que cozinha para os clientes. O conceito deste tipo de restaurante é sempre ter poucos clientes, porém dar muita atenção, conversar e poder existir uma troca incrível entre o visitante e o anfitrião.

O menu degustação custou 2 mil e 600 ienes (95 reais) e inclui pratos como frango e o famoso okonomiyaki. Ah! Se você for alérgico a soja ou glúten eles também tem um menu especial! Olha o video que gravei no meu dia 2 em Kyoto e espero que te ajude.

Logo depois de comer, pegamos um metrô até o super famoso Santuário Fushimi Inari Taisha
O templo fica na montanha de Inari, a 233 metros de altitude e tem trilhas para outros templos menores. Ele foi feito no século XII, mas movido pra cá no século XIII a pedido do monge Kukai. Muito doido imaginar esses caprichos todos daquele tempo!

O lugar ficou muito famoso pelos 10 mil toris vermelhos (portais típicos japoneses) colocados lado a lado. Os xintoístas acreditam que os portais simbolizam a divisa do plano mundano e o espiritual. Os portais foram doados por comerciantes que queriam ter seus desejos concretizados. Na parte de trás, da pra ver o nome de quem doou. Acreditava-se que Irani, que era a deusa do arroz, também era a deusa dos negócios.

Independente de sua crença, visitar o Fushimi Inari em Kyoto é tão obrigatório quanto ir ao Pão de Açúcar no Rio de Janeiro.

Lá você também irá ver muitas raposas. Elas são consideradas mensageiras e guardiãs. As raposas tem a chave dos celeiros de arroz na boca. Se você ficar mais tempo no Japão, vai reparar que não é só aqui. Em todo o Japão as raposas são consideradas figuras misteriosas e com poderes sobrenaturais.

Pra essa visita, contratei um fotógrafo especial, pois queria fotos profissionais no local. Contratei o serviço com o @FotosNaMala, uma empresa que tem fotógrafos no mundo todo e você pode registrar sua viagem, vale a pena e leitor do blog tem desconto usando o cupom ESTEVAM na reserva. Olha só algumas fotos lindas que fiz lá em Kyoto.

Demais né? Pra finalizar meu segundo dia em Quioto, decidi jantar com uma GUEIXA! Sim!! Isso mesmo! Na verdade, o jantar é com uma Maiko (aprendiz de Gueixa) e o restaurante chama-se Enchanted Time With Maiko. “Estevam, mas isso é barato?” Não! Não foi barato, mas quando você está no Japão, do outro lado do mundo, é necessário, sim, fazer algumas coisas como jantar com uma Gueixa e vestir um kimono, não é mesmo?

Existe uma brasileira que trabalha lá, chamada Tatá. Se for ao Enchanted Time With Maiko, pergunte por ela, que pode te atender em português.

Eles servem um jantar bem típico japonês em um tatame com mesas e cadeiras tradicionais. Tem ainda menu sem glúten ou lactose para alérgicos e bebidas alcoólias liberadas.

A Maiko faz uma apresentação de dança e depois senta com a gente – sim na nossa mesa. São apenas 4 mesas, um jantar muito exclusivo. Depois ainda é possível jogar jogos com a Maiko, comer a sobremesa e, pontualmente, as 21:00 horas tudo acaba. Tudo está no segundo video deste post.

DIA 3 em QUIOTO no JAPÃO:

Último dia na cidade e decidimos visitar a famosa Arashiyama, onde fica a floresta de bambu em Kyoto. O lugar é muito famoso pelas lindas fotos que fazem. Mas Arashiyama tem muito mais que apenas bambú. Muitos fazem os famosos passeios de riquexó (que custam cerca de 6 mil ienes – uns 200 reais) e outros visitam os lindos templos, como o Tenryuji e o santuário Nonomiya.

Para fazer a foto linda que muitos blogueiros fazem, rsrs, recomendo ir até as proximidades do templo Tenryuji e seguir andando mais uns 5 a 10 minutos. Nesta área, os bosques de bamboo são tão densos e amplos que faz você ver apenas bambu e nada mais. Vale a pena caminhar e fazer ótimas fotos.

Vou deixar aqui meu video do último dia em Kyoto para que você conheça mais da floresta de bambú.
E se gostou deste post, não de ler meu roteiro completo sobre o Japão. Caso esteja planejando uma viagem ao Japão, a H.I.S. que fechou todos meus passeio no Japão, vai oferecer um desconto especial aos meus seguidores. Basta preencher o formulário ao final deste post! 🙂

Faça aqui a cotação com a HIS Turismo e garanta nosso desconto especial!

Número de pessoas:

Data:

Deixe o seu comentário

Posts Relacionados