Copa 2018: Qual a melhor forma de levar dinheiro para a Rússia?

A moeda oficial da Rússia é o Rublo Russo e por conta da Copa do Mundo da Rússia, a gente consegue encontrar o Rublo em algumas casas de câmbio do país. Mas vale a pena?

É importante considerar que existem outros fatores prioritários para os viajantes além da economia, como comodidade e segurança. Nesses casos, é possível gastar um pouco mais e viajar sossegado. Só não se esqueça: em uma viagem ao exterior é sempre bom ter mais de uma alternativa para fazer suas compras – assim, os apuros serão menores em casos de emergência, como perdas, roubos ou qualquer outro incidente.

SAIA DO BRASIL TRANQUILO COM SEU SEGURO SAÚDE! CONTRATE EM POUCOS MINUTOS NESTE LINK

COMPRAR RUBLOS RUSSOS NO BRASIL

A conversão do real para o rublo oficial é, em média, de R$ 1 = 17 rublos russos (ou de R$ 1.000 para 17 mil rublos). Como o rublo tem uma demanda muito pequena no Brasil, é muito difícil comprar a moeda em espécie com valores próximos à cotação oficial. Nesse sentido, embora possa ser cômodo viajar para a Rússia já com um bolo de rublos garantidos, a opção se torna uma das mais caras.

Várias casas de câmbio russas aceitam Reais, mas também não é difícil imaginar que a cotação seja ruim, na verdade é péssima. Então, nem pense em levar a nossa moeda para a Rússia.

COMPRAR EUROS OU DÓLARES NO BRASIL E TROCAR POR RUBLOS NA RÚSSIA

Sair do Brasil com dólares ou euros para trocar por rublos na Rússia é uma das formas mais econômicas. O IOF na compra do dólar, euro ou outras moedas estrangeiras (mesmo o rublo) em dinheiro vivo é de 1,1%.

Se esta for a sua opção, aqui vai uma dica: “Pela maior proximidade geográfica de países da Zona do Euro, é preferível levar euros do que dólares para a Rússia. Mas os dois são aceitos na compra de rublos lá”, destaca Simon Peled, superintendente de vendas da Tesouraria do Banco Santander. Mesmo considerando a desvalorização que a gente já tem aqui quando for trocar os Reais por Euros, valeu a pena levar os Euros.

CARTÃO DE CRÉDITO

O cartão de crédito tem a vantagem da praticidade (basta liberar o uso internacional) e da pontuação em programas de fidelidade, que depois pode ser revertida na emissão de novas passagens aéreas, ou no que você bem entender. E não tem como negar: é uma opção super segura.

Mas, vale lembrar que sobre as compras no cartão de crédito ou débito no exterior irá incidir o IOF de 6,38%. Além disso, os valores estarão sujeitos ao câmbio da data do pagamento da fatura do cartão, na maioria dos casos. O imposto sobre os saques no exterior também é de 6,38%, mais as taxas e encargos que geralmente são cobrados pelas administradoras dos cartões.

CARTÕES PRÉ-PAGOS DE VIAGEM

A diferença do cartão pré-pago de viagem em relação ao cartão de crédito é que o cliente consegue, na segunda opção, “travar” a cotação da moeda no dia em que carregou o cartão – enquanto as compras no cartão de crédito no exterior ficarão sujeitas à cotação do dia do fechamento da fatura. Sobre cada carregamento no pré-pago também incide o IOF de 6,38%.

O cartão será carregado em euros ou dólares, que serão convertidos automaticamente em rublos na hora das compras. Por essa conversão, pode ser que você pague uma taxa extra – o que torna a opção ainda mais desvantajosa. Mas antes de decidir, vale a pena conferir todas as taxas.

COMPRE AQUI SEU CHIP 4G COM 10% DE DESCONTO

PREÇOS NA RÚSSIA

Independente da forma escolhida, é bom que se tenha uma ideia de quais serão seus custos no país. Ovalor de uma garrafa de 1,5 litro de água, por exemplo, é de 36 rublos. Um combo em uma rede internacional de fast food, como McDonalds ou Burguer King, custa em média 300 rublos. E um almoço para duas pessoas em um restaurante, com dois pratos principais e sobremesa, fica em média 2.000 rublos.

 

 

 

 

E você, optaria por qual opção?
Deixe o seu comentário

Posts Relacionados