10 livros excelentes pra viajar sem sair de casa

Livros de viagem inspiram, dão ideias de novos destinos, ajudam a conhecer melhor o mundo, refletem sobre o ato de viajar e fazem a gente se sentir por aí sem sair de casa.

“Cada novo livro é uma viagem. Só que é uma viagem de olhos vendados em mares nunca dantes revelados – a mordaça nos olhos, o terror da escuridão é total. Quando sinto uma inspiração, morro de medo porque sei que de novo vou viajar e sozinho num mundo que me repele.” (Clarisse Linspector)

E por que ler livros de viagens?

Pode parecer uma pergunta óbvia, mas livros de viagens vão muito além de entreter. Eles ensinam, dão dicas preciosas e, principalmente, inspiram viagens. Uma dica pra quem gosta de ler é  comprar livros de viagens antes, para ler durante a viagem . Nada mais gostoso que ler sobre um lugar enquanto você tem a chance de visitar todos os lugares que falam no livro . A dica aqui é sempre levar 2 livros: um guia local, com dicas mais práticas e específicas (como transporte, restaurantes, etc), e um outro para leitura.

Para quem viaja sozinho, o livro é sempre a melhor companhia, principalmente em momentos vagos, como por exemplo, dentro de ônibus, aeroportos, rodoviárias, e por aí vai. Numa viagem solitária, por mais que nunca estejamos sozinhos, ora ou outra lidamos com nós mesmos. E ter um livro em mãos, às vezes, se torna essencial.

Fora isso, um bom livro ajuda a significar uma viagem, marca momentos, aguça sentidos e muitas vezes ajuda a pessoa a se conectar ainda mais com o local. Principalmente se for sobre o destino, ou se tiver algo a ver com o estado de espírito do viajante.

É claro que você não precisa estar viajando para poder desfrutar de uma boa leitura, aproveite o tempo livre na sua casa, à noite, aos finais de semana para fugir um pouco da realidade e viajar junto com a narrativa de um bom livro. Vamos aos livros?

1 – “Um Lugar na Janela”, Martha Medeiros

Como a própria cronista descreve no prólogo, o livro é um regaste despretensioso de viagens realizadas em momentos diversos de sua vida. É leve, fácil (ótimo pra levar pra praia ou pra aquele fim de semana no sítio) e conta sobre a primeira vez de Martha na Europa, suas reflexões sobre viver em Santiago, seus suspiros diante da beleza da Grécia, seus périplos pelo Japão, com cada capítulo, ou crônica, dedicado a um destino.

2 – “Comer, Rezar E Amar”, Elizabeth Gilbert

Sim, todo mundo já conhece. Mas se você se contentou só com a Julia Roberts no cinema (que não é grande coisa), saiba que o livro que que conta a crise de meia-idade precoce de Liz é de fato bacana. E dá um impulsinho pra quem está pensando em largar o emprego e cair no mundo, o que é sempre é um bom negócio. Afinal, comer pizza na Itália, rezar nos ashrams da Índia e amar em Bali não é nada mal.

 

3 – “Na Natureza Selvagem”, Jon Krakauer

Qualquer viajante que tenha buscado inspiração pra largar tudo e cair na estrada atrás de um propósito maior, muito provavelmente a encontrou nas histórias de Chris McCandless. O que muita gente não sabe é que o filme de mesmo nome na verdade nasceu desse brilhante e muito mais completo relato de Jon Krakauer. O livro conta passo a passo a jornada de Chris cruzando os EUA, desde os tempos de faculdade até sua opção de abandonar família, posses matérias e sua busca por uma verdade mais essencial.Para inspirar: “É nas experiências, nas lembranças, na grande e triunfante alegria de viver na mais ampla plenitude que o verdadeiro sentido é encontrado”, Na natureza selvagem.

4 – “Cem Dias entre o Céu e o Mar”, Amyr Klink

O livro é uma espécie de diário de viagem que apresenta um dos maiores feitos do navegador brasileiro: varar o Atlântico, do sul da África à Bahia (cerca de 6500 km) num minúsculo barco a remo. Você rapidamente se familiariza com os termos náuticos (bolina, lastros, escotilha) e embarca na jornada meticulosamente calculada de Amyr, num tempo (1984) sem internet e GPS. Ele negocia com ondas gigantes, estremece diante da constante presença de tubarões, pena com o mau tempo. Momentos delicados e sublimes são descritos por Amyr, das cores do nascer e o pôr do sol ao momento em que uma enorme baleia passeia debaixo de seu barquinho, enquanto ele entende sua pequenez diante do mar e atinge um respeito pela vida que nunca imaginou antes.

 

5 – “Viajo logo Existo – 1 ano na estrada”, Leonardo e Rachel Spencer

Meus amigos Leo e Rachel mostrar literalmente – com fotos alucinantes – que é possível sim viajar o mundo de carro. Nesta primeira edição, eles narram e ilustram os melhores momentos dos primeiros 50 mil quilômetros de viagem, passando por países como Chile, Colômbia, Nicarágua e Costa Rica.

6 – “Livre”, Cheryl Strayed

O filme homônimo lançado em 2014 e indicado ao Oscar é excelente, mas é preciso ler o livro pra mergulhar dentro da jornada da escritora Cheryl Strayed. A americana cursou a pé 1800 km em três meses a chamada Pacific Crest Trail, que vai da Califórnia até o estado de Washington. A viagem tem carga dramática em dobro, porque além da caminhada longa, acometida por extremos de frio e calor, ursos e coiotes, calos e feridas, comida desidratada e noites insones, Strayed descreve a barra que passou com a morte de sua mãe, o desmantelamento de sua família, seu divórcio e envolvimento com heroína. A trilha é uma espécie de redenção e ferramenta pra escritora se encontrar dentro de si novamente. O livro é tocante a todo tempo e dá vontade de programar uma trilha para as próximas férias.

 

7 – “Pelas Trilhas de Compostela: O Relato de uma Viagem Laica”, Jean-Christophe Ruffin

Num dos percursos de peregrinação mais emblemáticos do mundo, o médico e escritor francês parte por uma jornada laica com o objetivo de simplesmente pegar a estrada pela evidência da caminhada. Numa linguagem objetiva, irônica e sem firulas, ele descreve as paisagens do caminho, as noites nos mosteiros com outros peregrinos e sozinho em sua barraca no meio do nada, com todo o misticismo (do qual ele não compartilha a princípio, mas depois é contagiado) ao redor dela. Tem citações, referências literárias e reflexões de bons livros de viagem sobre o ato de viajar.

8 – “100 Viagens Inspiradoras”, Michel Ondaatje

Esse livro que faz qualquer pessoa querer fazer uma viagem de volta ao mundo. Ele não fala de destinos tradicionais, mas de destinos como: templos, igrejas e santuários.  Ou seja, lugares lindos e que há alguma relação espiritual, qualquer que seja a fé, o que está em foco é o monumento em si. As fotos são realmente inspiradoras.  Não é um guia turístico. É uma mistura de livro de fotografias + viagens + monumentos/paisagens ligados a algum momento de “elevação espiritual” como o título da capa diz. Não são histórias e nem relatos. São lugares!

9 – “A arte de viajar”, Alain de Botton

Barbados, Amsterdã, Madri, deserto do Sinai. Estes são alguns dos lugares que o autor nos leva para conhecer contando como cada detalhe de cada viagem –tanto os positivos, como negativos– podem transformar nossa percepção dos lugares que visitamos. Seja por causa da excentricidade dos aeroportos ou do charme dos postos de gasolina da beira da estrada, cada experiência de viagem irá te transformar de alguma maneira.

10 – “Mundo por Terra”, Roy Rudnick e Michelle Weiss

O casal Roy e Michelle resolveu juntar as economias que tinham e planejaram uma viagem de carro que passou por continentes visitando 60 países de a bordo de um automóvel. Ao todo rodaram 160.733 km em 1.033 dias. O resultado desta jornada é o livro “Mundo Por Terra – Uma Fascinante Volta ao Mundo de Carro”, que descreve em forma de narrativa livre e diário de bordo cada detalhe da viagem. Pequenos detalhes como diferenças culturais dos povos planejamento, relacionamento do casal, burocracias, amizades, problemas, etc, são abordados de forma direta e com um certo tom de bom humor. O texto procura não fazer devaneios e, por isso, as histórias seguem a cronologia do itinerário realizado.

 

E aí, gostaram das dicas? Tem mais algum livro que te inspira a viajar? Deixa aqui nos comentários.

Posts Relacionados