O que vi no Inferno chamado Auschwitz – Parte 2

Continuação

 

Dentre os vários blocos abertos à visitação, estive no famoso bloco 10 onde Josef Mengele realizava experiências macabras com os prisioneiros. Esse monstro, o qual me nego chamar de médico, mutilava, amputava, injetava todo tipo de substância nas pessoas. Era um sádico sob a capa de Doutor que possuía fixação em gêmeos, anões e mulheres grávidas. As maldades com estes eram ainda piores.

 

4

 

Em seguida, há o Muro da Execução, localizado entre os blocos 10 e 11, que servia para o fuzilamento dos prisioneiros. Ser fuzilado ali era o cumprimento da “sentença” dada nos julgamentos sumários para aqueles que perturbavam a ordem em Auschwitz.

5

 

Depois temos o interior da câmara de gás em que milhares de pessoas entravam achando que iriam tomar banho. Falsos chuveiros exalavam o gás mortal. Portas eram trancadas. Gritos histéricos eram ouvidos. Cerca de 30 minutos era o suficiente para a morte por asfixia da multidão. A guia nos falou que no início os oficiais da SS não tinham ideia de quanto de cianeto usar para matar as pessoas. Então, testes eram feitos. Em um deles, uma pessoa sobreviveu agonizando por 2 dias até que foi fuzilada por “misericórdia”. O que faziam com os corpos? Cerca de 4000 pessoas podiam ser cremadas por dia em Auschwitz.

 

6

 

Milhares de seres humanos foram transportados como animais em trens de carga para esta sucursal do inferno. Ao percorrer os trilhos da morte, pude contemplar a vida. A paisagem naquela primavera era realmente bonita. Flores, árvores, passarinhos me fizeram sorrir pela única vez naquele lugar… Pasmem… mas havia pessoas que tiravam selfies sorrindo nos lugares mais mórbidos…

7

Das coisas com as quais me deparei em Auschwitz a mais chocante foi um enorme novelo de cabelo humano. Ele era enviado para fábricas de tecido na Alemanha. Quando as tropas soviéticas ocuparam tal sucursal do inferno encontraram cerca de 7 toneladas de cabelo. Não pudemos tirar fotos do mesmo em respeito à memória das pessoas.

 

8

 

Em Auschwitz há placas de homenagem aos mortos pelo holocausto em vários idiomas. Escolhi fotografar a placa em judeu espanhol ou djudeo espanyol ou ladino.

No fim do século XV muitos judeus foram expulsos da península ibérica por não se converterem ao catolicismo. Estes judeus são chamados de sefarditas. Países como Turquia, Sérvia e Grécia lhes deram asilo. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Grécia foi invadida e dividida em 3 zonas: alemã, búlgara e italiana. Muitos sefarditas das zonas alemã e búlgara foram deportados para os campos de concentração e extermínio de Auschwitz-Birkenau.

Deixo minha lembrança à memória de uma pequena parte do povo judeu que poucos conhecem…

 

Visitem meu instagram: @kellyemanuela

#viajaréminhacachaça

 

PARTE 1]

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celular, alugar um carro, garante os tickets para passeios e compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará me ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo  gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveita e se inscreve no meu canal do Youtube e no meu Instagram para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas.

 

 

 

Deixe o seu comentário

Posts Relacionados