O que acontece no seu cérebro quando você viaja?

th

Que viajar é bom pra qualquer um, é fato: é terapêutico, é diferente, é novo, te desafia e não faz parte de uma rotina (a não ser que você viaje muito à trabalho). Mas o que exatamente passa pela sua cabeça nesse processo?

Antes de viajar vem o momento master: o êxtase, a ansiedade, o desconhecido, a incerteza do que está por vir. Depois, na volta, vem a depressão, a carência, e a saudade, junto com a sensação de que ninguém te entende por que você é de/está em outro mundo. Mas e durante, o que acontece?

Durante a viagem, o seu psicológico trabalha bastante. Você passa o dia inteiro conhecendo gente nova, vivendo mudanças, observando lugares, comparando coisas e pessoas, e à noite você seu cérebro trabalha para absorver todas essas novas experiências. Por isso dizem que viajar é a melhor forma de se renovar, se esclarecer e refletir sobre si mesmo e sobre a sua vida. Mas essa parte noturna, apesar de necessária e inevitável, é perigosa: é quando fazemos um “balanço” e começamos a pensar quem somos, o que seremos, o que vamos querer/fazer da vida. Isso acontece especialmente durante intercâmbios, e já aconteceu comigo. Você sente como num mundo particular, como se tivesse passando por uma crise existencial! Você começa a pensar em toda a sua vida, o que você fez (de certo e de errado), o que vai fazer quando voltar, como vai ser – porque você já não é mais o mesmo. Você se pega realmente perdido, e muitas vezes chorando, refletindo enquanto olha pra janela do quarto e admira a vista que ainda tem.

Mas isso é normal. Sim, te garanto! (Inclusive, depressão pós-intercâmbio é um problema comum e diagnosticado! Já falamos disso aqui no blog). Isso quer dizer que você está amadurecendo – e essa é uma das primeiras “auto-decisões” de muitas que você vai tomar durante a sua vida. Mas viajar te possibilita viver isso de maneira mais natural – sem ninguém por perto, você entra em acordo com você mesmo e arca com as suas próprias decisões. E isso você vai usar para cada pequeno imprevisto pelo qual tiver que passar.

Por isso, o famoso “sair da caixinha” é tão importante: te deixa mais independente, mais leve, mais seguro. Experiências que você só vive fora da sua zona de conforto. Não tenha medo de viajar sozinho, de sair de casa por muito tempo, de não conhecer o lugar, de não ter ninguém. Você vai ver como você vai superar tudo isso com o tempo! E não tem prazer maior do que a autonomia: de ser você mesmo, agir como você realmente é, de ter o seu espaço, seu dinheiro, suas coisas, comer o que quiser (e essa parte é boa, hein?!). Mas o mais importante: estar seguro para crescer, e motivado para buscar algo além do esperado!

Saia da sua zona de conforto! Planeje sua viagem, e o hotel você pode deixar com a gente!

 

Imagem: Reprodução.

Deixe o seu comentário

Posts Relacionados