Turismo em Campinas – Roteiro do que fazer na cidade das Andorinhas?

Quem vem à Campinas SEMPRE se pergunta: “mas afinal, o QUE tem pra fazer aqui?” Ou ainda, quando você recebe um gringo, ou mesmo alguém que nunca tenha vindo à cidade, sempre fica a dúvida de onde ir e o que mostrar pra essa galera. Porém, pra acabar com todo o mimimi, dúvidas e lero lero, bolei um roteiro exclusivo pra todas as idades que pode ser feito de graça, sem guia, apenas seguindo o passo a passo que darei a vocês. Vamos lá?
Por onde começar?
1.Princesa D´Oeste: O monumento à Princesa D´oeste comemorou os 200 anos da cidade, fundada em 1774. No ano em que surgiu, Campinas ainda não possuia o nome atual. Já foi oficialmente chamada de: Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso (1774); depois, Vila de São Carlos (1797), e finalmente Cidade de Campinas (1842); período no qual as plantações de café já suplantavam as lavouras de cana e dominavam a paisagem da região. 
O monumento em homenagem à cidade fica na Praça Antônio Pompeu, bem na Av. Anchieta, que divide o centro do bairro Cambuí, e ao lado oposto está a prefeitura da cidade.
2.Beco do Inferno (ou Beco do Mijo): Calma que isso é apenas o nome! Há séculos atrás, a falta de iluminação favorecia a aglomeração de bêbados, prostitutas, pedintes e pessoas que, mesmo com o nascer do dia, pareciam não muito preocupadas com a luz. Era muito usado também por pessoas para urinar, principalmente a noite, e assim levou o nome de “Beco do Inferno”, ou até “Beco do Mijo”. Pra nossa sorte, em 1906 a Câmara Municipal determinou um novo nome: “Travessa São Vicente de Paulo” (A entidade homônima havia prestado serviços filantrópicos continuos de ajuda à pobreza).  Hoje, tornou-se uma verdadeira galeria de arte. A alameda recebeu pinturas e grafites de vários artistas e ela nos conduz de maneira divertida até a Rua Luzitana. 
3.Praça Bento Quirino: O antigo prefeito de Campinas foi considerado um dos melhores que a cidade já viu. A praça, que leva seu nome, possui quatro importantes paradas: a Igreja Matriz, o marco zero, o monumento a Carlos Gomes e o Jockey Clube.
– Igreja Matriz: A primeira igreja da cidade de Campinas, apesar de demolida, ganhou uma nova versão anos depois. Até hoje ocupa um respeitoso espaço no centro da cidade;
– Marco Zero: Exatamente aqui, começou a cidade de Campinas;
– Monumento à Carlos Gomes: Não apenas uma homenagem ao compositor da ópera “O Guarani”, todavia bem ali foi sepultado o artista.
IMG_8712
– Jockey Clube: Ponto de encontro entre a elite e intelectuais da época, o clube surgiu com o fim do Clube Campineiro de Letras.
4.Largo do Rosário: Originalmente chamada de: “Praça Visconde de Indaiatuba”, é pouco conhecido por esse nome, afinal, a igreja de mesmo nome (Nossa Senhora do Rosário ) já não existe mais.
5.Treze de Maio: Recebeu este nome no dia da abolição da escravatura no Brasil, e 15 dias depois, o nome foi oficializado na Câmara Municipal. Cerca de 100 mil pedestres por dia passam por aqui e teve seu apogeu nos anos 80. Claro que, após essa época, sofreu muito com a concorrência de shoppings – mas hoje convive em harmonia com eles.Todo esse comércio corresponde a 10% da economia campineira. Não é pouca coisa não! E bem ali, está a Catedral Metropolitana de Campinas, ou Paróquia Nossa Senhora da Conceição. Ela é a maior construção em taipa de pilão do mundo e levou cerca de 74 anos para ficar pronta, sendo finalizada em 1883. O artista baiano, Vitoriano dos Anjos foi o responsável pelo lindo trabalho em talha de madeira, no estilo barroco baiano.
IMG_8780
6.Rua José Paulino: O homenageado da vez, José Paulino Nogueira, foi um Campineiro que tornou-se vereador e mesmo em 1889, com toda a crise da febre amarela, não abandonou seu cargo (como muitos políticos eleitos da época). Logo depois do surto de 1889, tornou-se governador de Campinas e implantou muitas obras de saneamento, sendo aclamado pela população e tendo realizado grandes feitos como: fundou uma das primeiras grandes indústrias de campinas, a Usina Ester, presidiu a Companhia Mogiana de Estradas de Ferro em 1910 e ainda foi o primeiro presidente do Banco Comercial. Em 1895 ele se foi, porém, sabia que ele deixou um legado tão grande que até mesmo a cidade de Paulínia apenas tem esse nome por sua causa? Paulínia, quando surgiu, teve origem com poucos bairros e advinha o nome de seu principal? José Paulino!
Outra coisa que talvez você também não saiba, é que a José Paulino é conhecida como “A Rua das noivas” pois possui mais de 20 lojas especializadas em festas e casamentos.
7.Mercado Municipal de Campinas: Em 1908 surgia o Marcado Municipal de Campinas. Os grandes mercados das cidades costumam mostrar muito sobre hábitos culturais, gastronômicos e até higiênicos dos locais que visitamos, e por isso, SEMPRE os visito por onde passo. O curioso daqui, foi que o prédio foi construído para servir de armazém para produtos transportados pelas ferrovias. Desde 1982, foi tombado, e hoje é patrimônio histórico e cultural de Campinas.
 
Acabou o roteiro básico pelo centro, mas quer mais né? Então chegou a hora de conhecer três lugares indispensáveis:
8.Estação Cultura: Durante anos e anos aqui foi a estação ferroviária central de Campinas. Porém, em 2001, partiu o último trem rumo a Araraquara e, desde então, a estação apenas voltou a ser utilizada em julho de 2003, quando tornou-se um centro cultural administrado pela prefeitura.
9.Parque Portugal: Em 1972 a prefeitura compra a lagoa de uma família portuguesa e a transforma na Lagoa do Taquaral. A “praia” campineira é a favorita dos locais quando o assunto é corrida e esportes, além de muito lazer. Quatro coisas que adoramos por aqui: o planetário, o pedalinho, o bonde e a réplica (em tamanho real) da nau portuguesa “Anunciação” que trouxe Pedro Álvares Cabral até o Brasil.
10.Torre do Castelo: Um dos pontos mais altos da cidade, tem 27 metros de altura e é aberta a visitação. Lá do alto a vista de Campinas é sensacional e é possível conhecer um pouco mais de sua história. Ainda aqui na torre, existe um grande reservatório de água – devido sua localização estratégica – e ainda uma central transmissora de rádio.
 
Pronto! Já conheceu os principais pontos da cidade, agora está na hora de curtir o final da tarde em um dos meus três distritos favoritos daqui: Sousas, Joaquim Egídio ou Barão Geraldo.
Convidei um italiano e duas finlandesas pra testar este roteiro comigo. Será que deu certo??? Assista o video esta semana no meu canal do Youtube!!!
Tem mais sugestões de roteiro ou lugares legais em Campinas??? Deixa aqui nos comentários! 😉
 
Deixe o seu comentário

Posts Relacionados