Como fazer para ir treinar e estudar nos Estados Unidos? Dicas e sugestões.

college

Depois de uma semana arrumando malas e me despedindo de familiares e amigos, estou de volta ao blog.

Voltar para Reno depois de ter ficado três meses no Brasil não é nada fácil, mas quando penso que estou indo para o meu último ano de natação e faculdade sei que fiz a escolha certa…

Como já disse antes, fazer faculdade e ter a oportunidade de continuar competindo em alto rendimento é um dos principais motivos que fazem com que muitos atletas acabem deixando os seus países. Mas, como fazer isso? Por onde começar? Com quem falar?

Primeiro de tudo você deve analisar se morar fora é algo que você realmente está disposto e que realmente quer fazer. Morar longe dos pais mas no mesmo país é totalmente diferente do que morar à 5.000 km de distância. Você literalmente tem que resolver tudo sozinho; contas para pagar, cozinhar, limpar, passar… Sem falar da saudade! Mas por outro lado, vale muito pena.

Para ser aceito numa faculdade americana você precisa fazer uma série de exames como o TOEFL e o SAT. O TOEFL é um exame que avalia a sua capacidade de usar e compreender o inglês num nível universitário. A prova é dividida em quatro sessões que abrangem as competências linguísticas básicas: ouvir, ler, falar e escrever. O SAT é um exame padronizado nos EUA em que todos os estudantes de ensino médio devem fazer, como se fosse um ENEM brasileiro. Tem questões de matemática, história, química, e a parte de redação. Estudantes estrangeiros não precisam fazer todas as partes do teste, mas se a pessoa ainda não começou a faculdade no seu país de origem e deseja ir estudar nos EUA, o teste é obrigatório.

Idade é outro fator que conta. A partir do momento que você se forma no Ensino Médio, você tem um ano para tentar entrar numa universidade Americana. Depois disso, só começando a faculdade e transferindo as matérias.

No meu caso por exemplo eu já havia feito um ano de faculdade no Brasil, e como quis transferir os meus créditos, eu só precisei fazer o TOEFL. Cada universidade possui uma nota de corte para cada prova. Quanto maior a nota, maior a sua chance de ser aceito. Não se assuste. As notas dos exames não são a única maneira de você ser aceito. Há várias coisas que influenciam nesse processo como a sua habilidade no esporte que você pratica e o seu histórico escolar do ensino médio.

Outro fator, muito importante, que deve ser avaliado é o curso que você deseja fazer. Muitos cursos que você faz nos Estados Unidos, depois que completos, não podem ser transferidos para o Brasil. Alguns deles são medicina, fisioterapia, psicologia, biologia, educação e direito. Por isso, a maioria das pessoas que vão estudar fora acabam fazendo Administração, Engenharia e outros cursos de comunicação.

Depois que você definiu que quer ir, o que quer fazer, e, que e fez os testes, você deve pensar qual cidade ou região você gostaria de morar. Muitas vezes não temos muita opção, mas se você puder escolher, tente ir para um lugar onde será mais fácil se adaptar. Quando eu vim, eu tive a oportunidade de escolher entre Reno e Detroit. A minha melhor amiga morava em Detroit; a escola era maior, a cidade era maior e bem mais fria que Reno. É verdade que numa universidade e numa cidade grande você tem mais coisas para fazer, mas por outro lado, a cidade pequena proporciona uma chance de se fazer amigos com mais facilidade. Esse foi um dos motivos que me levaram a escolher Reno.

Universidade de Nevada, Reno vista de cima. Aproximadamente 20,000 estudantes frequentam a universidade. Não é uma escola pequena, mas também não é considerada uma faculdade grande.
Universidade de Nevada, Reno vista de cima. Aproximadamente 20,000 estudantes frequentam a universidade. Não é uma escola pequena, mas também não é considerada uma faculdade grande.

Ok. Quero morar fora e já tenho alguns lugares em mente. O que faço agora?

No meu caso eu tentei duas coisas. Existe um site de natação que se chama: collegeswimming.com. Lá você consegue ter acesso ao website, email dos técnicos e até aos tempos dos atletas das universidades de primeira, segunda e terceira divisão do NCAA, da NAIA, da NJCAA e da CCCAA. Eu pesquisei as universidades que eu queria, anotei o contato dos técnicos, e fui mandando email para todo mundo. Mandei emai  para mais ou menos 15 universidades diferentes. Recebi muito nãos, alguns talvez, e poucos sim. No fim, acabei fazendo uma escolha diferente. Com a ajuda da empresa de intercâmbio Daqui pra Fora, eu fechei com a Universidade de Nevada, Reno. O legal da empresa é que eles apresentam opções que se adequam mais ao seu perfil, e faculdades onde você possa ter uma chance maior de conseguir uma bolsa de estudos. Além disso, eles cuidam da papelada e da parte burocrática do processo, o que também ajuda muito. Apesar de ser mais seguro e fácil, fechar com eles não é um processo barato e, na minha opinião, é muito possível fazer tudo sozinho. Só é preciso paciência e atenção para não deixar de preencher nenhum documento.

A maioria dos esportes possui um site como o College Swimming. É só jogar no Google que você acha.

Não fique pensando que só as faculdades de divisão I do NCAA é que valem a pena. As outras divisões do esporte universitário são tão disputadas quanto à primeira. É verdade que as chances de ganhar uma bolsa e participar do Campeonato Nacional Universitário são maiores nas outras divisões, mas o treinamento pesado e a seriedade não mudam muito.

A partir do momento que você foi aceito,  esteja preparado para assinar milhões de papéis! É muita papelada mesmo, mas faz parte do processo. Algumas vacinas também precisam ser feitas, assim como o passaporte e o visto de estudante.

Depois disso, é só arrumar as malas e partir para uma das experiências mais marcantes de sua vida!

Raquel e Eu no primeiro jogo de Futebol Americano da temporada da nossa faculdade.
Raquel, uma das grandes amizades que fiz, e Eu no primeiro jogo de futebol americano da temporada da nossa faculdade.

A saudade é grande, mas a vantagem de ser um estudante atleta é que, ao chegar lá, você já tem uma família de 20 pessoas (menos ou mais dependendo do seu esporte) à sua espera.

Prepare-se para muitos desafios, – dos mais bobos como puxar a porta quando se diz “push” até os mais “sérios” como resolver coisas burocráticas – novas experiências, alguns quilinhos a mais na balança, algumas horas estudando na biblioteca, várias “house parties”, beer pong, red cups, grandes amigos e claro, muitas viagens!

Enjoy it!

Lembrando que toda vez que você reserva seu hotel, contrata o seguro viagem, compra um chip de celular, alugar um carro, garante os tickets para passeios e compra suas passagens aéreas pelos links aqui do blog, você estará me ajudando que todo conteúdo desse blog continue sendo  gratuito e que eu possa continuar levando esse projeto a todos os viajantes!

Aproveita e se inscreve no meu canal do Youtube e no meu Instagram para ficar sabendo de mais dicas e novidades sobre viagens além de reviews de companhias aéreas.

 

Por Luiza Vieira. 

 

Deixe o seu comentário

Posts Relacionados