Noronha: do Inferno ao Paraiso

Morro Dois Irmãos 

   Quem diria que uma ilha, isolada 540km de recife, utilizada como presidio de alta segurança  viria a ter a praia mais bonita do Brasil?

   Assim é Fernando de Noronha, arquipélago formado por 21 ilhas e ilhotas, localizado a 325km de Natal e pertencente ao estado de Pernambuco (devido a sua melhor condição de manter a ilha comparada ao Rio Grande do Norte)


Ficha para cadastro e pagamento das taxas na ilha

    Chegar aqui não é fácil, pois existem apenas 3 voos diários para Noronha: dois operados pela Trip, um pela Gol, todos quase no mesmo horário  As saídas são exclusivas de Natal ou Recife. A grande questão em pauta é controlar o número de turistas, que não pode ultrapassar os 420 por dia, algo que com certeza faz todo visitante se sentir um pouco especial!
  Alem da limitação de turistas, uma taxa diária de 43 reais deve ser paga por pessoa, ou seja, para passar 10 dias na ilha, a sua “entrada” sai pela bagatela de 430 reais.

   Calma, afinal tudo tem seu preço  e Noronha que o diga. Para visitar as praias, uma taxa de R$ 65 é cobrada do visitante brasileiro e R$ 130 do estrangeiro. Agora, que tal pagar R$ 9,00 em uma garrafa de coca no mercado? R$ 6,00 por um coco, ou R$ 12,00 por uma coxinha? A vida no paraíso é concorrida, alias, para morar aqui, não basta ser brasileiro, tem que provar parentesco com algum ilhéu ou fazer com que alguma local se apaixone por você, tai a dica pra quem não quiser mais sair da ilha do sol.

Por-do-sol Mirante do Boldró

     Meu plano foi de 5 dias em Noronha: de segunda a sexta na ilha. No primeiro dia, chegamos a tempo de assistir ao por do sol no Mirante do Boldró. Lá todos se reúnem  ilhéus  brasileiros de todos os cantos e gringos curiosos se juntam com o intuito de aplaudir o sol por mais um maravilhoso dia no paraíso.
  De lá, resolvemos ir a Praca Flamboyant, onde encontra-se o restaurante mais antigo: o Flamboyant (que nome original!) onde o peixe na folha de bananeira é integrante obrigatório no menu de todos. Todavia, no primeiro dia a fome era grande, e o letreiro de self-service no outro lado da rua, nos levou ate o restaurante Ousadia, com um excelente preço (39 kilo) quase que uma barganha aqui em Noronha!

Meu pai no mirante da Bahia dos Porcos


     Acordamos cedo na manha seguinte pois no próprio restaurante havia um agente de turismo, e foi assim que fechamos o Ilha Tour. Esse tour é obrigatório para garantir o conhecimento geral da ilha. Ele dura o dia inteiro, e alem das excelentes pessoas que conhecemos, nosso guia era com certeza o mais peculiar. Com um nome tao exclusivo como sua personalidade, Pontual nos mostrou as principais praias: sancho, leão  cacimba do padre, porto e tubarões.

Praia do Sancho
Muito sol nas areias do Sancho!

  
     Minha praia favorita foi, de longe, a Praia do Sancho. Eleita pelo guia 4 Rodas como a mais bela praia Brasileira, o verde e o azul do mar balançam sem conflitos pelas ondas do atlântico sul.
Foi la que, na quarta-feira, resolvi voltar com meu pai para mergulhar. O acesso a praia desafia o visitante, que deve provar real vontade de descer os 127 degraus por uma fenda de mão unica ate que seus pés toquem a macia areia do sancho. A aguá é tão clara, que via-se peixes, tartarugas e polvos a mais de 10 metros de distancia, engraçado como eles tinham mais medo de mim do que eu deles, ate eu ver um tubarão e voltar pra superfície! Todos os visitantes da ilha querem ver um tubarão, até a hora que veem e saem correndo da aguá  #serhumano.

Praia do Sancho vista do Atlântico
Praia da Cacimba do Padre
Muzenza
     Após um dia de muito sol e animais exóticos  hora de voltar para o hotel e relaxar! Mas antes, ter o Bougie apreendido! Como? Sim, em uma ilha com apenas 2 mil habitantes e 700 veículos em circulação  conseguimos alugar um bougie que não pagava seu IPVA ou licenssiamento havia dois anos. E assim, ficamos a pé  na BR 363, que para nossa sorte era a menor do Brasil. Resolvemos então jantar, já que havia um restaurante logo ao lado. E assim caímos no Du Mar. O restaurante local não apenas oferece um cardápio de alto nível  como também um serviço de transfer a todos os seus hospedes que comam por lá. Assim, apesar do preço tão salgado quanto o mar, conseguimos uma carona, não para a casa, mas para o centro balado da ilha, onde apenas dois bares comandam a noite noronhense: Bar do Cachorro e Muzenza. Como não havia ninguém no Cachorro, seguimos para o Muzenza onde nem entrada pagamos, pois uma ilhéu que demos carona nos reconheceu e nem cobrou os 10 reais de entrada. La é possível curtir um samba até o sol raiar, mas como na quinta faríamos o passeio de barco da ilha, as 2 da manhã já estávamos na cama!

  O Flavio passou as 8:15, pontualmente, para nos pegar e levar ate o porto, de onde todos os barcos saem (ah vá?!)
    Fomos juntos com mais 20 turistas explorar as belezas da ilha pelo lado de fora. Com um guia contando os mitos e fatos da ilha que encantava pela beleza, começou a encantar também pelos nativos, solícitos e sempre com um bom papo! 

Porto de Fernando de Noronha

    O barco para para apneia (mergulho livre) na praia do Sancho, e uma hora depois o almoço esta servido a bordo! Se você fizer a reserva com a Marlene, você ganha 25 reais de desconto.

Bate-papo com a Marlene

     A  Marlene tem o melhor passeio de barco da ilha. Não apenas nos recebeu em sua casa, mas contou que trabalhava como guia neste passeio da companhia Morais, e como cativava a todos, o passeio recebeu um novo nome: Passeio da Marlene. Após o passeio, não deixe de mergulhar no Sueste se ainda não o fez. O Sueste é uma bacia onde grande parte das tartarugas vão se alimentar, e além de peixes e arraias, vimos as famosas tartarugas vigiadas pelo TAMAR que passeiam tranquilamente pelas calmas águas da bacia do Sueste. Todas as quartas e sábados, às 16 horas, você pode conferir as marcações de tartarugas feitas pelo TAMAR, com uma mini palestra de 10 minutos, os voluntários conseguem ensinar muito, àqueles que pensam que tartarugas são todas iguais!
   E falando em TAMAR, diariamente as 21 horas, o projeto apresenta uma palestra diferente, e na quinta-feira, a vez foi de Ju Medeiros. Cantor e compositor conhecido na ilha, conta sua historia e passagens curiosas do arquipélago. Seu CD pode ser adquirido por R$ 10,00 ao final da apresentação e o Pelo Mundo conversou de perto com ele! 
  Fato curioso da ilha: todos se conhecem! Beleza que em uma ilha isolada de 2 mil habitantes isso não surpreende, mas digo os próprios turistas, em uma semana já podia me candidatar a vereador: da barraquinha de tapioca aos suíços da pousada ao lado, todo mundo interagia!
  Na sexta-feira, chegava a hora da partida…tomamos um longo cafe-da-manha na pousada Maravilha e apreciamos a linda vista da Bahia do Sueste pela ultima vez. Confesso que tudo naquela pousada é impecável.  Do atendimento, aos quartos e o cafe. Recomendo de olhos fechados!
  A ideia era mergulhar mais uma vez no Sueste, mas como ali não alugam matérias de mergulho, fomos obrigados a mais uma vez aprecias as águas cristalinas da Praia do Sancho ( a unica praia com ducha de água doce, bar, vestiário e ate lojinha para os turistas). A mesma empresa que fez toda a infra-estrutura do Sancho eh a que atua em Foz do Iguaçu  Ha um projeto para que mais duas praias recebam toda a infra-estrutura  como o Sancho já recebeu.

À esquerda os morros dois irmaõs, o Pico no centro, e a Praia do Sancho à direita
O simple aeroporto de FEN

      
   O aeroporto de FEN eh o menor que já estive (e olha que vi aeroporto que jurava ser piada! Mas esse ganha) por isso, é bom mesmo chegar uma hora antes do voo, pois é necessário fazer o “check out” da ilha e responder sua pesquisa de satisfação.
       Na minha opinião, a natureza foi muito generosa com Noronha, praias paradisíacas e água cristalina. Quanto a infra-estrutura, a falta de padarias, mercados e as ruas esburacadas preocupam os turistas que são surpreendidos com a rusticidade de um lugar tao bem quisto pelos locais e cada visitante que creio, como eu, se apaixonou pela ilha. O Pelo Mundo foi, aprovou e com certeza volta a Fernando de Noronha.


Museu dos Tubarões
Capela da São Pedro 

Por-do-sol visto do Porto I

Por-do-sol visto do Porto II

PRANCHINHA é também uma aventura imperdível!

Mais uma pedaço de Noronha visto do mar

Começando o dia na Pousada Maravilha

Fim de tarde: Posada Maravilha

E não encontramos nenhum famoso na Ilha,  mas por sorte encontrei a XOXA na entrada da praia!b

Até a próxima, Fernando!!!


Deixe o seu comentário