O QUE FAZER NA ISLÂNDIA? HOTEL, RESTAURANTES E PASSEIOS

Acabei de fazer a viagem mais incrível da minha vida! Neste minuto me encontro dentro do avião enquanto, com muito pesar, deixo a cidade de Reykjavik.


   

Visitar a Islândia foi uma experiência tão fantástica que ainda não sei por onde começar. Foi sair da dúvida inicial de sobre “o que fazer na Islândia” para “o que NÃO deixar de fazer na Islândia?”.

Foram oito dias explorando este país e passando as mais diversas sensações. Senti na pele as quatro estações do ano em um único dia. Havia sol, depois neve, frio e, após isso, chovia e ventava como no final do outono. Muitas sensações e muito pouco tempo para absorver tudo aquilo.


   

A Islândia tem apenas 320 mil habitantes e é um país de difícil acesso para nós, brasileiros. Não existe voo direto e, para chegar até lá, tive que ir para Paris e, da França, pegar um voo para Reykjavik – que durou mais 3 horas e 30 minutos.

Como a Islândia é um destino pouco explorado e conhecido aqui no Brasil, contei com a ajuda a Thane, uma amiga minha que tem uma agência de viagens de mesmo nome. A Thane Viagens me ajudou bastante na hora de achar voos legais e ainda montar meu roteiro com passeios pelo país. Até falei com ela pra que qualquer um dos meus leitores e viajantes que procurarem por ela tenham um desconto especial! 🙂

Mas vamos falar sobre essa viagem incrível e sobre o que fazer na Islândia? Então vamos começar pelo meu roteiro:

DIA 1 (quinta-feira): A CHEGADA NA ISLÂNDIA
Cheguei às 23:45 de uma quinta-feira no aeroporto de Keflavik e, no desembarque, um funcionário da Sad Cars (empresa onde aluguei meu carro), estava nos esperando logo na saída.



Fomos em uma van até a locadora, retiramos o carro e dirigimos até o nosso hostel chamado Reykjavik Downtown Hostel.

DIA 2 (sexta-feira): EU VI A AURORA BOREAL E ME APAIXONEI POR REYKJAVIK
Acordamos cedo e fomos encontrar o Luke (brasileiro e Youtuber que vive no país) e ficou de nos mostrar a capital da Islândia. Se quiser saber o que fazer na Islândia e Reykjavik, ou onde comer em Reykjavik, basta clicar AQUI.



O melhor do dia, no entanto, foi ter visto a aurora boreal por volta da meia noite. Existem vários aplicativos e sites que mostram as chances de você conseguir ver a aurora boreal no país. Ele se chama AURORA.


DIA 3 (sábado): HOSTEL EM VIK
Por volta das 11 horas da manhã, caímos na estrada. Como o país não é muito grande, ele tem apenas uma rodovia nacional, a N1. Seguimos de Reykjavik até a cidade de Vik (uma viagem que dura cerca de 180km), mas não conseguimos fazer o trajeto em menos de 5 horas.



Não houve acidente, pista fechada ou atrasos nossos. Apenas queríamos aproveitar cada cenário da viagem e parávamos (literalmente) de cinco em cinco minutos para tirar fotos, ou simplesmente apreciar a perfeição da natureza.
Ao chegar em Vik, nos hospedamos em um hotel da Hi Hostels, o único da cadeia de hostels na cidade. Esses albergues tem quartos privativos e funcionam como uma espécie de chalé, com café-da-manhã e recepção.
Apesar de não ser barato (cerca de 300 dólares uma noite em um quarto privativo), é tudo muito simples, não apenas no hostel, mas em grande parte das acomodações da Islândia. O estilo escandinavo – super minimalista – está presente em todos os cantos.

DIA 4 (domingo): CONHECI A MAIOR GELEIRA DA ISLÂNDIA
Como estávamos em Vik, decidimos pegar estrada rumo ao extremo leste da Islândia e visita o maior glacial da Europa chamado Vatnajokull. Ele é realmente muito grande e, como muitos glaciares, ele tem vários vulcões embaixo de todo aquele gelo.
Antes de chegar lá, passamos pelo Canyon Fjadrargljufur.
Vale a pena pelas fotos. Tanto o Glacier Vatnajokull e o Canyon Fjadrargljurur tem que estar na sua lista de o que fazer na Islândia.


ATENÇÃO! Caso queira reservar seu hotel na Islândia, comprar seu seguro viagem ou adquirir um chip de celular que funciona em mais de 140 países, aproveite para fazer pelo links aqui do blog. Além de você me ajudar a manter o blog com dicas grátis, você não paga nada mais por isso! 🙂

DIA 5 (segunda-feira): O VERDADEIRO GEYSIR DA ISLÂNDIA
Almoçamos em Vik uma carne de cavalo (comumente servida em restaurantes do país). Confesso que achei muito porosa e não gostei.



Seguimos, então para Reykjavik, porém parando todo o tempo pela estrada.
Mesmo tendo em vista que faríamos o Golden Circle no último dia da viagem, aproveitamos para já visitar o famoso Geysir.


Voltando para Reykjavik, ficamos hospedados no Loft Reykjavik Hostel, – também da Hi Hosteling International. Ele é super central e tem um estilo super “boutique”.


DIA 6 (terça-feira): O PASSEIO MAIS INCRÍVEL DA MINHA VIDA
Infelizmente, o tempo não cooperou. Porém, na terça-feira, era o momento de ver a Islândia de cima, com os aviões da Atlantsflug e era o dia pelo que mais esperávamos.



Mesmo não sendo possível levantar voo, nos sugeriram o passeio de Super Jeep por vulcões que fizemos com a companhia Into The Wild. Eles são especialistas neste tipo de passeio e a experiência foi INCRÍVEL! Apenas um dos dias mais incríveis da minha vida. No meu Instagram: @EstevamPeloMundo tem várias fotos deste dia e mais sobre o que fazer na Islândia.
A noite, fomos jantar no restaurante Bryggjan Brugghús Bistro and Brewery. Eles são um restaurante que produz a própria cerveja. Você pode jantar e depois conferir como ela é feita.



DIA 7 (quarta-feira): BLUE LAGOON E O MELHOR RESTAURANTE DA ISLÂNDIA
A Blue Lagoon era um daqueles lugares que, há anos, ocupava uma das primeiras posições em minha listinha de “lugares parar ir antes de morrer”. Com certeza visitar a Blue Lagoon tem que estar na sua lista de o que fazer na Islândia.



Super vale a visita, e, apesar de não ser uma lagoa 100% natural, a água é famosa por ter propriedades medicinais.
Para finalizar a viagem, foi hora de jantar no restaurante Apotek e provar o menu degustação de 7 pratos com direito à carne de puffin (ave local da Islândia) e um bolo de Skyrr sensacional!


DIA 8 (quinta-feira) O QUE VER NO GOLDEN CIRCLE?
No último dia da viagem, decidimos explorar o famoso Golden Circle. Vimos como são feitos os pães típicos da Islândia, o Geysir e visitamos as placas tectônicas que dividem a Europa da América. Foi inesquecível. Tudo ficará pra sempre em minha memória e meu coração.


Se gostou do roteiro ou tem alguma dúvida, pode deixar aqui nos comentários que será um prazer responder!
Não esqueça de nos seguir no INSTA: @estevampelomundo e acompanhar tudo no Youtube!

   Nesta série de posts vou falar sobre:

  • COMO CHEGAR NA ISLÂNDIA?
  • O QUE FAZER NA ISLÂNDIA?
  • O QUE FAZER EM REYKJAVIK?
  • ONDE ALUGAR UM CARRO NA ISLÂNDIA?
  • ONDE COMER EM REYKJAVIK NA ISLÂNDIA?
  • ONDE SE HOSPEDAR NA ISLÂNDIA?
  • COMO CONTRATAR PASSEIO NA ISLÂNDIA?
Fiquem de olho nos próximos posts!

Posts Relacionados