Conexões longas: sair ou não?

Você já deve ter se feito essa pergunta, ou pensado…
“Ah, mas eu tenho 5 HORAS, 6 HORAS, 7 HORAS em tal país….posso sair?”
Posso te falar a verdade? O aconselhado é sempre não deixar o aeroporto.
Vou explicar o motivo:
As questões de aeroporto são muito precisas. Por exemplo, se você tem, sei lá, 7 horas no Aeroporto de Santiago do Chile. Dá pra ir lá fora e explorar as cordilheiras? Não, infelizmente! haha. Isso porque você levaria cerca de 1h30 (com sorte, sem imprevistos) para percorrer o trecho aeroporto-civilização (é só você pegar um exemplo aqui no Brasil, como Guarulhos ou Congonhas. Ambos são super afastados da cidade e principalmente do centro!). Aeroportos são sempre afastados da cidade e dos passeios, e esse é o principal motivo pelo qual não é aconselhado sair (e fora que com a distância esse rolê fica mais caro, né?).
Além disso, você tem que contar com o tempo que dura o seu passeio, a volta ao aeroporto, e todos os trâmites (fazer identificação, passar pela imigração, pelo raio-x etc). Só nessa brincadeira, você perde de 3 a 4 horas – ou seja, com muita sorte, quase o seu horário inteiro.
Mas não se esqueça: você nunca terá 7 horas. O seu avião sai em 7 horas, e isso significa que você tem 5h30, 6h no máximo (porque é sempre seguro chegar pelo menos de 1h a 1h30 antes do voo). Portanto, se você está pensando em se aventurar, faça as contas e não tenha medo de pecar pelo excesso: conte como se o seu passeio fosse durar em média 5 ou 6h.

Tá, mas o que devo fazer então?

Você vai me matar, mas…você deve fazer o básico. Não tem segredo: vá comer, explorar o aeroporto (se ele for pequeno, eu sinto MUITO MESMO :x), leve bons livros com você, ou compre novos, ouça música, assista filmes, coloque os seriados em dia. Abuse do menino Spotify (o olho até brilha *-*), ouça aquelas músicas antigas, aquelas que você tem vergonha de falar que gosta, dance, converse com a pessoa do seu lado, ensine a coreografia, faça amigos estrangeiros.
“Ah, mas eu sou tímido(a)”…
Ligue o Tinder.
“Ah, mas nem trouxe meu note pra ver os seriados e tals…”
Vai assistir a Ana Maria Braga do país na televisãozinha da lanchonete.
“Já rodei o aeroporto inteiro….”
Desmonta o secador do banheiro pra ver como funciona, vende sua arte no aeroporto, rouba o wi-fi e dá “oi sumido” pro crush… Bota a criatividade pra funcionar!
É o jeito, né? Vida que segue. Mas acredite, é MUITO melhor do que correr o risco de perder o seu voo! (E eu prometo que vou tentar te ajudar fazendo um post com sugestões de livros, filmes e uma playlist bem legal de viagem!).

E se a minha conexão for longa?

Nesse caso, podemos abrir uma exceção. Em conexões com duração a partir de 10h, até rola programar um passeio sim, mas bem programado: veja bem para onde vai, qual o tempo gasto em média e tenha tempo de folga para voltar. Ah, e sempre leve sua bagagem de mão com você!

Nada de passeios muito ousados – prefira o tradicional almoço/jantar local no centro, uma exposição tranquila num museu, uma feira de rua. De preferência, no centro ou em locais de fácil acesso de volta ao aeroporto.
Bom, espero ter te ajudado! QUALQUER DÚVIDA sobre QUALQUER COISA, é só deixar um comentário que eu te respondo!
Até mais!
  • Laiana Silva

    Muito bom o post! Em Julho eu irei para Dublin passar um mês. Na ida tenho escala de 13h e na volta 23h. Será que dá pra fazer aquele tour turístico genérico na ida e na volta conhecer os estúdios de Harry Potter?? Sonhoooo! hehe. Desde já grata!

    • Lucas Estevam Ferreira

      Oi Laiana! o tour pode ser feito sim, mas lembre-se que fica muito corrido. Ou iria apenas ao centro de Londres e voltava ao aeroporto na ida. Na volta, se tiver 23 h de conexão da pra fazer tranquilo o tour 🙂 bjs, Estevam

      • Laiana Silva

        ***pesquisando roteiros já***
        Obrigada, moço! <3