Mistérios da aviação: o pouso perfeito

Olá viajante! Você já parou para se perguntar como os pilotos de avião realizam um pouso perfeito? Não é tarefa fácil, e o piloto da KLM, Jonathan Franklin, nos deu 5 dicas essenciais que vamos compartilhar hoje com você!

pouso perfeito 1

O pouso é uma das fases que exigem mais atenção em um voo. O procedimento para aterrissar é uma das primeiras coisas que os pilotos aprendem durante a sua formação, já que a prática requer uma série de cuidados. Entretanto, não existe pouso perfeito. O mais próximo que se chega disso é aterrissar de forma segura e tranquila.

Um pouso suave pode não ser, necessariamente, um bom pouso

Você sabia que um pouso suave não é necessariamente um bom pouso? Mesmo sendo mais confortável para os passageiros, não é um “”pouso perfeito. A menos que as condições estejam perfeitas e a pista seja longa, um pouso suave pode ser algo ruim. Isso porque a aterrissagem é a primeira oportunidade que o piloto tem de despejar toda energia cinética que mantém a aeronave no ar. Se a aterrissagem for muito suave, a energia não se dispersará com tanta eficiência, e isso demandará atenção especial.

Ao mesmo tempo, também é melhor para o trem de pouso que não seja suave. Isso já que o ponto inicial de contato dos pneus  irá raspar ao longo da pista, antes que o atrito gire as rodas na mesma velocidade da aeronave.

pouso perfeito 2

Pistas molhadas necessitam de um pouso “positivo”

Mais uma vez, a menos que seja muito longa, se a pista estiver molhada, é importante fazer uma aterrissagem “positiva” (firme). Por conta da velocidade do pouso (geralmente entre 220 e 280 km/h), a água da pista não consegue se dispersar por baixo dos pneus em um pouso suave, e o trem de pouso vai patinar na superfície da água. Assim como acontece com os carros em dias chuvosos, o avião também pode sofrer com a aquaplanagem. Então, se estiver chovendo o “pouso perfeito” só será possível com um pouso firme.

O pouso não termina até que você tenha reduzido o avião à velocidade de taxiamento

O pouso não termina quando o avião toca o solo. Embora seja raro qualquer problema acontecer após isso acontecer, a aeronave ainda está em alta velocidade. Qualquer rajada de vento mais forte, por exemplo, pode causar mudanças bruscas. É por isso que, quando o avião pousa, o piloto ainda utiliza os controles de voo para manter a aeronave centralizada e colada na pista até estar em uma velocidade bem mais reduzida a velocidade de taxiamento.

VAI VIAJAR?  RESERVE SEU HOTEL NESTE LINK PELO MELHOR PREÇO QUE VOCÊ ESTARÁ AJUDANDO O BLOG A SEGUIR CHEIO DE DICAS LEGAIS SEM PAGAR NADA A MAIS POR ISSO! 🙂

O freio do trem de pouso é a forma mais eficaz de reduzir a velocidade do avião durante o pouso

Muita coisa acontece logo após o pouso. Os spoilers (mecanismo de redução de velocidade) se abrem nas asas para funcionar como “quebra vento”, os pilotos engatam o impulso reverso do motor (desviando o ar que passa pela turbina, fazendo com que ele saia pelos painéis que se abrem ao longo dela) e assim que a roda dianteira também estiver no chão, é possível sentir os pilotos acionando os freios das rodas principais. Esta é a ferramente mais importante da frenagem para que se tenha um pouso perfeito. As demais são essenciais apenas nos primeiros segundos, ficando o trabalho principal para os freios do trem de pouso.

Pouso em piloto automático ainda precisa de um humano

Você sabia que o piloto automático só é utilizado na aterrissagem em situações de má visibilidade (neblina e nevoeiro)? Isso significa que todo o trabalho para que se tenha um pouso perfeito é feito pelos pilotos. Na verdade, as limitações do vento no pouso são drasticamente reduzidas com uma aterrissagem automática, então, temos sorte que é muito raro estar nublado e com ventanias ao mesmo tempo.

O piloto automático, na realidade, utiliza algoritmos de controle com base em informações de rádios de navegação em terra e nos sensores de ar no avião. Não existe sistema incorporado capaz de prever eventos que possam envolver a aeronave.

Inclusive vale ressaltar que dizer que “pilotos são preguiçosos e utilizam piloto automático o tempo todo” é um mito! No caso da utilização do piloto automático, um dos pilotos está em guarda reproduzindo os procedimentos manuais. Isso para garantir um pouso seguro caso ocorra alguma eventualidade.

Próxima vez que voar com a KLM, não se assuste caso não pareça ter sido um pouso perfeito e se lembre das dicas que demos a vocês!

Até a próxima, e siga a gente nas redes sociais!

Instagram: @bellamlevy

Snap: LucasEstevam1

Insta: @EstevamPeloMundo

Face: Estevam Pelo Mundo

Youtube: Canal Estevam Pelo Mundo

Posts Relacionados