O Reino Unido após o referendo

Olá, viajantes do meu mundo! Tudo bem com vocês? Bom, como comecei a falar com vocês sobre o referendo do Reino Unido e a União Europeia, preciso dar continuidade aqui. Falei no snap do Estevam o dia que o resultado foi anunciado, 6ª feira de manhã; porém para aqueles que não acompanharam vou recapitular.

Dia 23 de Junho de 2016 o Reino Unido (Escócia, Inglaterra, Pais de Gales, Irlanda do Norte e Gibaltra) votaram sobre a participação do Reino Unido na União Europeia. Eu, Veri, sou economista, então vou explicar – desculpe os termos técnicos e econômicos, sobre o pré referendo e o pós referendo.

O que é a União Europeia (UE)?

A União Europeia é um bloco econômico formado por 28 países, como por exemplo: França, Alemanha, Espanha, Portugal, Itália, Irlanda, Reino Unido, etc.

O que significa fazer parte da UE?

Com exceção ao Reino Unido, todos os outros países que fazem parte tem o Euro € como moeda, movimentação de pessoas e bens livre. Este países também tem suas legislações, porém para comprar ou vender bens e serviços, os mesmos precisam estar de acordo com o regulamento da UE. Essa movimentação de negócios, bens, serviços e pessoas beneficia a maioria dos países membros, principalmente pois em termos de alíquotas e tarifas (taxas e impostos) de importação e exportação são os mesmos em todos os países.

Qual o problema do Reino Unido com a UE?

Até o dia do referendo havia 2 campanhas – “permanecer” (remain) e “sair”(leave). A campanha do “sair” levantou pontos como soberania, imigração, controle de leis, e patriotismo. Muitas pessoas acham e acreditam que fazendo parte da UE o Reino Unido não tem muito controle sobre as legislações e acordos criados pelo órgão. Da mesma forma que muitos dos eleitores que votaram “sair” acreditam que a falta de controle na imigração é um problema, pois coloca pressão nos serviços públicos, acomodação, segurança, educação, etc. Além disso, os políticos desta campanha abordaram vários pontos sobre o custo e gastos em ser membro da UE. Sendo assim, o primeiro ministro (David Cameron) como já havia prometido uma petição/votação sobre esse assunto, dia 23 de junho foi a data da votação.

União Europeia - o referendo

O resultado?

Aproximadamente 33 milhões de britânicos votaram dia 23, e a campanha “sair” ganhou com 52% dos votos (17 milhões de votos).

O que isto significa?

O Reino Unido irá oficialmente deixar a UE; porém esse processo vai levar pelo menos 2 anos. Por quê? A saída do Reino Unido precisa ser feita de forma formal. Sendo assim, o primeiro ministro do Reino Unido (até outubro David Cameron) precisa assinar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa.

O que isso significa para os europeus que moram no Reino Unido?

Até este artigo ser assinado e oficializado tudo permanece do mesmo jeito; porém uma vez que esse artigo é assinado o Reino Unido negociará com os países membros da UE os novos acordos de importação, exportação, tarifas, impostos, leis, novas regras de imigração. Eles também negociarão o que acontecerá com os 2 milhões de europeus que moram no Reino Unido, e também como ficará a situação dos britânicos que moram na Europa.

O que isso significa para os europeus e pessoas com cidadanias europeias?

Por hora tudo permanece igual; porém quando as negociações começarem o Reino Unido determinará os critérios os quais os cidadãos da UE serão permitidos de entrar aqui. Isso significa que o sistema de visto, por exemplo, pode ser implementado, de forma que um europeu só pode entrar no Reino Unido a estudo (com documentação apropriada) ou a trabalho. Isso também implica na mobilidade internacional, por exemplo, um funcionário de uma empresa na Espanha com escritório no Reino Unido pode transferir seu funcionário para trabalhar aqui sem menores problemas. Com as mudanças, existe a possibilidade de que essa transferência ocorra somente de forma temporária ou com prazo determinado.

O que isso significa para alguém que não mora na Europa?

Se você investe na Europa, tem familiares aqui, isso significa um período de duvidas, incertezas. Economicamente e financeiramente falando, incertezas e duvidas resultam em investimentos mais “tímidos”, moderados, pois ninguém sabe exatamente o que irá acontecer. Esta incerteza coloca pressão na economia, podendo afetar taxas de inflação, juros e câmbio, e no fim das contas isso afeta o bolso da maioria das pessoas. Porém, vale lembrar que a incerteza sobre as ações do Reino Unido tem impacto internacional, pois todo investimento feito internacionalmente é feito em dólares; portanto, você viajante sentirá no seu bolso no compra e venda de dólar, euro e da própria libra. Você também pode sentir no seu bolso na questão de bens importados e exportados para UE e para o Reino Unido, porém a médio prazo pois preços levam um período para se ajustarem as mudanças econômicas e políticas.

Vale ressaltar que devido a saída do Reino Unido, há uma grande possibilidade de reformulação da UE como um todo. Atualmente para viajar para o Reino Unido a turismo, você é sujeito a aprovação da sua entrada no aeroporto, ao contrario dos EUA, o Reino Unido ainda não exige um papel de “visto” colado no seu passaporte; porém isso pode acontecer, pois assim eles podem ter mais controle de QUEM entra no país mesmo a turismo.

Bom, é isso da minha parte, espero que tenha ajudado.

Beijo grande,
Veri