Andorra: O surpreendente pequeno país

Por Gusti Junqueira

Incrustado nas montanhas dos Pirineus entre Espanha e França se encontra um pequeno país chamado: Andorra. O que? Um país independente? Sim, não é preciso se sentir envergonhado por nunca saber que existia um país naquela área.

Quando fiquei sabendo de Andorra, talvez mesmo depois de conhecer um bocado de países na Europa, minha reação foi algo parecido: ”Como eles se tornaram um país e eu não fiquei sabendo?” Como se Andorra fosse uma região que conseguiu independência recentemente, o que não é o caso.

Andorra foi reconhecida como um país pelas Nações Unidas em 1993, mas a verdade é que é um país bem antigo. Segundo as lendas, Andorra foi fundada em 805, mas foi entre 1278 e 1288 que a pequena nação foi oficializada como o Principado de Andorra com a assinatura de um tratado que não parece ter mudado muito até os dias de hoje.

Desde então, basicamente o sistema político único (e aparentemente feudal) faz com que Andorra tenha dois chefes de estado: Que hoje em dia é o bispo de uma região da Espanha, La Seu d’Urgell e o próprio presidente da França! Aparentemente, esse sistema bizarro que por muito tempo dividiu o poder entre rivais históricos, os condes franceses e os bispos catalães faz de Andorra o país com o maior período de paz do mundo, 700 anos, segundo o próprio departamento de turismo.

Quem conhece Andorra ou pelo menos já ouviu falar tem duas palavras em mente: Esqui ou compras. Para os experientes em esqui, Andorra tem as melhores condições de neve e estações de esqui dos Pirineus e embora eu tenha descoberto minha paixão por neve e snowboard alguns anos atrás, não fui isso que eu fui buscar em Andorra, muito menos compras, apesar de ser uma zona franca.

Minha visita aconteceu no fim de Outubro, durante a baixa temporada, quando estava frio demais para caminhar em suas montanhas e florestas (que cobrem 90% dos seus 468km2) mas não o suficiente para nevar e conhecer suas estações de esquis.

Durante minha visita acabei fazendo amizade com dois andorros e como sempre não há nada melhor do que fazer amizade com os locais para conhecer mais a fundo uma cultura. Um deles era ator e acabou me convidando para o último ensaio para a apresentação de sua peça teatral: Alice no País da Maravilhas e mesmo sem entender muita coisa do que se falava durante a apresentação em catalão, o idioma oficial do país, eu saí de Andorra com a impressão de ser o verdadeiro país das maravilhas.

 

O que fazer:

No verão: Trilhas, mountain bike, escalada, esportes radicais como parapente e bungee jump junto à sua natureza exuberante e para minha surpresa: Cirque Du Soleil de graça! Financiado pelo principado desde 2013, a companhia circense do Canadá prepara espetáculos únicos para atrair turistas ao mini-estado.

No inverno: Esqui e snowboard.

Compras:

O mini-país possui mais de 1000 lojas, a maioria na cidade de Andorra la Vella e estão abertas todos os dias de 9h as 20h com preços competitivos devido sua política de isenção de impostos, que atraem grande parte dos visitantes do país.

Cultura:

Se a história única desse país chamou sua atenção, não deixe de conhecer a Casa de la Vall, uma das construções mais emblemáticas de Andorra e considerado o menor parlamento da Europa construído em 1580.

Como chegar:

Andorra não possui aeroporto e as principais cidades mais próximas para ir de ônibus ou de carro são: Barcelona (200km), Girona (219km) e Toulousse (196km).

Vistos:

Andorra não exige visto de brasileiros – nem de outras nacionalidades, mas como para visitar o país é necessário passar pela França ou Espanha (a não ser no seu helicóptero privado) subentende-se que é necessário poder entrar na União Europeia. (Brasileiros não precisam de visto para a UE).

Andorra-Gusti.jpg

Andorra La Vella, vista de cima de uma de suas estradas ziguezagueantes

Andorra-Gusti-7.jpg

Uma das igrejas romanescas de centenas de anos. Observe como até o telhado é construído de pedras

 

Andorra Go Andorraworld

Ruas extremamente limpas, pessoas educadas e simpáticas, infra-estrutura de estradas, túneis e pontes complexas desafiando o terreno montanhoso. As cidades em vales, incrustadas entre lindas montanhas

Posts Relacionados