O ROTEIRO (QUASE) PERFEITO DE UM DIA EM LONDRES

003

Londres ama um burburinho. A capital inglesa se reinventa a todo instante, é algo intrínseco da cultura britânica. Londres sempre ditará moda, e não à toa, é a cidade mais visitada do mundo atualmente, e a mais desejada.

Londres oferece a maior malha aérea do continente, e dali se consegue boas barbadas para qualquer cidade europeia, e não dificilmente até para o Oriente Médio e a Ásia, já que muitas companhias usam os cinco aeroportos internacionais da cidade, como base de suas operações.

Do Brasil, com a entrada da TAM (futuramente LATAN) a Oneworld, ficou mais fácil fazer stopover em Londres, já que agora a companhia oferece diversos voos para Europa com conexão em Heathrow, e geralmente os voos são mais baratos do que comprar somente o voo direto para lá. A British Airways também voa para a Europa com conexão na Inglaterra.

Em tempos de crise, com a libra nas alturas (mais nas alturas do que o habitual) viajar para o Reino Unido requer mais planejamento, mais antecedência, e mais dinheiro. Mas não acredite no cliché de que é mais caro viajar para o Reino Unido do que para a Zona do Euro. Gastos em viagem é algo tão pessoal quanto escolher corredor ou janela. Mas vale a pena, desde o planejamento da viagem, ainda no Brasil, montar uma planilha financeira de acordo com os seus anseios enquanto viajante. Destinos fora de Londres são mais baratos. Edimburgo, na Escócia, tem preços bem parecidos com os de Londres.

Destinos tipicamente mais baratos no continente (Portugal, Espanha, Itália, Grécia, República Checa, Hungria, e Leste Europeu) já não são o que eram antes, com o câmbio desfavorável a nós brasileiros.

Passar apenas um dia em Londres é um insulto. Nem dias, nem semanas, nem mesmo meses serão suficientes para conhecer a cidade, o que a torna um certo hub de todo viajante que volta para a Europa. Mas esse for o seu caso, eu traço o roteiro, do meu dia perfeito em Londres:

8 HORAS: Comece o dia tomando um chá em qualquer Costa Coffee (costacoffee.co.uk) que eu encontre pela frente, e pegue o tube, o metrô londrino, até Westminster. Ali eu pare para admirar o Big Ben e as Houses of the Parlament e atravesse a rua até a Westminster Abbey (www.westminster-abbey.org). Se você quiser muito conhecê-la terá se desembolsar £ 20 (R$ 115) para passar poucos minutos. Então ouça as nove batidas do Big Ben.

9 HORAS: Siga a pé pela Whitehall até Trafalgar Square, um dos lugares mais vibrantes da cidade, e entre na The National Gallery (nationalgallery.org.uk), gratuita. Procure por Da Vinci.
10 HORAS: Siga pelo The Mall e se sinta parte da Família Real, na mais elegante avenida da cidade. Entre no St. James Park e respire o ar fresco e se deslumbre com a delicadeza dos jardins ingleses. Vá até o Green Park e chegue a tempo no Buckingham Palace (https://www.royalcollection.org.uk/visit/the-state-rooms-buckingham-palace).

11 HORAS: Enquanto aguarda mais meia hora para a tradicional cerimônia da Troca da Guarda, tente sua melhor foto, e fique perto dos portões para conseguir enxergar alguma coisa em meio à multidão. Quem sabe você encontra a Rainha?

MEIO DIA: Almoce em Knightsbridge e depois deite no gramado do Hyde Park. Depois passe por Mayfair, e por suas mansões, de um dos bairros com o metro quadrado (talvez o mais) caro do planeta.

13 HORAS: O Natural History Museum (http://www.nhm.ac.uk), gratuito, é um espetáculo arquitetônico. Passe alguns minutos ali e siga para o VIctoria and Albert Museum (
www.vam.ac.uk), também gratuito, a maior coleção de Arte Decorativa do mundo. Saia e procure o Royal Albert Hall (www.royalalberthall.com), uma das casas de espetáculo mais famosas do planeta, e admire sua fachada.

14 HORAS: Entre na Harrods (www.harrods.com), a mais famosa loja de departamento do mundo e faça comprinhas. Pegue o tube em Knightsbridge até a estação Borough, e siga as placas até o Borough Market.

15 HORAS: Passe por quantos estandes puder, e experimente a tradicional culinária inglesa, e por que não a mundial? E se perca nos becos, entre os cheiros e sabores e a arquitetura, que o transportarão para um filme medieval. Caminhe então em direção ao Rio Tâmisa.

16 HORAS: Sinta o vento do Tâmisa e aprecie a arquitetura do Shakespeare’s Globe (www.shakespearesglobe.com), uma reconstrução fiel do Teatro Shakespeariano que ali existiu. Entre na modernosa Tate Gallery (www.tate.ork.uk), gratuito, e aprecie o melhor da Arte Contemporânea. Na saída, não deixe de tirar fotos na Millennium Bridge.

17 HORAS: Cruze a icônica London Bridge, o cartão postal da cidade (depois do Big Ben) e passeie pelos terrenos medievais da Tower of London (www.hrp.org.uk/TowerOfLondon)
Se quiser entrar, chegue mais cedo e desembolse £ 25 (R$ 145). Depois siga as placas até a St. Paul’s Cathedral (https://www.stpauls.co.uk), onde Diana se casou.

18 HORAS: Pegue o metrô em frente a Catedral e vá até a estação Leicester Square. Você chegou ao coração turístico da cidade, cheio de lugares bacanudos, espremidos entre o West End, o Soho, Chinatown e Covent Garden. O West End concentra os Teatros onde os grandes musicais do mundo chegam primeiro, o Soho tem uma vida noturna agitada, com seus pubs e boates. É ali que a cena gay da cidade acontece, e Chinatown oferece o melhor da culinária oriental, com ares de Hong Kong, ex-colônia britânica. Explore todos esses microcosmos e jante por lá. Escolha um musical, ou um pub, ou boate, um restaurante classudo. Se quiser uma boa vista da cidade, vá até a London Eye (https://www.londoneye.com) e pague £ 20 (R$ 115) para meia hora na antes maior roda-gigante do mundo. A noite em Londres é democrática, escolha a sua!

Se despeça da cidade com um até logo. É a despedida mais difícil para qualquer viajante apaixonado por esta cidade.

Ah!!  E se precisar de um hotel em Londres, é só clicar aqui 🙂

Posts Relacionados