COM GUIA OU SEM GUIA, ESSES SÃO OS MELHORES DESTINOS PARA 2016

guia_viagem

Guias de viagens se tornaram companheiros pesados e nada práticos em qualquer viagem. Mas ainda é encantador cruzar as estantes de livrarias e apreciá-los.

Por muito tempo eu bati os pés contra a tecnologia durante minhas viagens. Sempre usei em emergências o computador do hostel, do hotel ou de qualquer viajante que eu cruzasse. Eu me sentia mais livre e mais desconectado do mundo sem meu celular ou notebook. Mas uma simples emergência como ter um despertador para me acordar no horário, ou uma alteração de itinerário de última hora, me fizeram repensar, e hoje levo meu Ipad e meu celular, ainda com muita relutância.

Hoje em dia a infinidade de blogs, fóruns, vídeos e aplicativos compensam levar o celular ou o tablet para qualquer viagem. A infinidade de dicas e troca de experiência é recompensadora.

Os guias migraram para o formato digital, e aquelas centenas de páginas com um index nada conciso ganharam a facilidade do toque, da barra de pesquisa, de chegar aonde se quer mais rapidamente.

O melhor guia impresso é sempre um mistério. Acho que não existe uma resposta certa, nem um guia melhor que o outro. Isso vai variar de acordo com a experiência que o viajante procura nessa ou naquela viagem.

Em alguns destinos longínquos e exóticos, o seu guia pode ser o seu melhor amigo, por mais peso que ele ocupe na sua bolsa.

Os guias de viagens se tornaram algo comercial demais ao longo dos anos, e a idoneidade e veracidade de muitos deles é questionada pela rede mundial de viajantes. Será que afinal o escritor esteve mesmo naquele país? Espero que sim. Espero que pelo menos, se ele mão foi, que tenha pesquisado as informações certeiras!

Viajei com uma amiga que ligava o geolocalizador do celular para traçar caminhos tão curtos e óbvios em qualquer mapa impresso. Mas ela não confiava no mapa, e ligava o google maps a cada cinco minutos.

O melhor momento para qualquer viajante é planejar sua próxima viagem. Mas viagens minuciosamente planejadas tendem a ser entediantes. Deixar se perder por caminhos e ruelas pode fazer sua viagem a mais fantástica de todas.

Entre todos os guias, o mais respeitado é o Lonely Planet, que acaba de divulgar as melhores apostas para 2016.

Botswana na África é o destino da vez, segundo a publicação. Pode soar distante demais e exótico demais para estar na wishlist de qualquer viajante brasileiro, mas destinos assim podem mudar nossas vidas.

O Japão segue em segundo lugar de melhor país para se viajar. Tóquio pode ser a porta de entrada para brasileiros querendo percorrer a tão sonhada Asiatrip, em um país milenar, que dita tendências. A oferta de voos com conexão nos Estados Unidos tornou o Japão mais perto e mais barato.

Curiosamente os Estados Unidos aparecem na terceira colocação. É um país gigantesco, com cidades incríveis a se descobrir, fora do eixo comum Nova York – Orlando – Miami – Los Angeles – Chicago. Por que não ir a Portland, ou Seattle?

A pequena ilha de Palau pode ser uma aventura, e ganhou o quarto lugar. Em quinto lugar vem a Lituânia, um pequeno país que muita gente nem faz ideia de que exista, e que pode ser o melhor destino até para quem já se cansou de ir para a Europa. O país pode ser a porta de entrada para se descobrir uma nova Europa.

Em sexto, a Austrália, um dos destinos mais queridinhos dos brasileiros oferece praias e badalação em meio à paisagens deslumbrantes e um dos povos mais simpáticos do mundo. O voo pela Qantas, com conexão em Santiago do Chile, encurtou bastante a viagem. O visto também se tornou muito mais fácil, para quem viaja a turismo.

Em sétimo, a Polônia, um dos destinos mais baratos do leste-europeu, e um país cada vez mais aberto para o turismo, pode ser um dos destinos da sua trip pelo leste europeu, oferecendo desde uma capital cultural até turismo de neve.

Para nossa alegria, nossa vizinho Uruguai levou a oitava posição. O mundo está de olho nesse pequeno país, com sua liberdade, gastronomia, cultura e diversão.

Em penúltimo lugar, a Groenlândia pode parecer um pouco longe demais para nós, mas é dona de um turismo natural de paisagens fantásticas, competindo com a Islândia.

Por último, a pequena ilha Fiji completa a lista, dos mais aventureiros, em busca de um destino único.

Kotor (Montenegro), Quito, Dublin, George Town (Malásia), Rotterdam, Mumbai, Fremantle (Austrália), Manchester, Nashville e Roma são as cidades em que o Lonely Planet aposta para as melhores viagens em 2016.

Com guia, sem se perder… Ou sem guia, deixando-se perder, escolha seus próximos destinos, porque o primeiro passo para se viajar é sonhar ainda acordado aqui no Brasil.

 

Imagem: Reprodução.

Posts Relacionados