5 lugares para se apaixonar com a Croácia

“Qual o país mais bonito que você já conheceu?” É uma pergunta difícil de responder, mas confesso que a palavra Croácia, faz a língua coçar. Descubra os 5 principais lugares que me fizeram apaixonar com esse país:

A cidade murada de Dubrovinik, Croácia

A cidade murada de Dubrovinik

Por que viajar para a Croácia? Antes que eu te convença com os lugares considere isso:

Se você é um dos que está “preso na realidade”, buscando as férias dos sonhos, descanso, ver coisas bonitas, praias fabulosas, se desligar dos problemas do dia a dia com pinceladas (ou balde se preferir) de cultura e história aqui e ali, ou mesmo festas incríveis e concertos de música de tirar o chapéu, a Croácia pode ser o lugar que você está buscando!

É um país relativamente barato (principalmente comparado com países da Europa Ocidental), pequeno (você não perde muito tempo se locomovendo de uma cidade à outra) e cheio de atrações distintas. Suas ilhas banhadas pelo mar Adriático tem suas águas límpidas e cores dos sonhos. Suas cidades medievais te transportam no tempo com suas muralhas de pedras contrastando com o anil de seus mares e o agito de suas festas. História, cultura, lazer e algumas das paisagens mais impressionantes do mundo em um só lugar. As razões para visitar a Croácia na verdade são várias, mas os lugares que visitei e que listei a seguir são na verdade os maiores motivos para você considerar esse país para as suas férias de uma a duas semanas.

1. Parque Nacional dos Lagos Plitvice

No mesmo dia que cheguei na Croácia, fui para esse lugar encontrar com Pedro, um amigo que conheci quando o hospedei pelo couchsurfing (as melhores dicas sobre o couchsurfing nesse link), na Flórida e seu amigo Alfredo. Como eu vinha da Eslovênia e eles da Itália e sem acesso à celular ou internet, não tinha muita esperança de encontrá-los para conhecermos o parque juntos mas assim que cheguei acabei os encontrando na fila da entrada do parque!

Cachoeiras do lago Plitvice

Uma das primeiras paisagens a se ver, menos de 5 minutos de caminhada da entrada do parque é essa mesma. Sem suspense, sem esforços e tham-ram! Você coça os olhos para ter certeza que está vendo o que está bem diante dos seus olhos.

Os Lagos Plitvice são um dos primeiros lugares naturais a entrar na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO. É um parque nacional muito bem conservado e estruturado, isso significa que você não vai se sentir em um lugar tão selvagem quanto algumas fotos sugerem. O parque é todo esquematizado num sistema de trilhas em plataformas de madeira, ao redor dos 16 lagos de água que parecem piscina e das cachoeiras naturais que os interligam. No verão há tantos turistas  que é necessário seguir em fila indiana e esperar a sua vez para conseguir tirar algumas dessas fotos. A tentação de nadar nesses lagos é grande mas as regras são claras para a nossa frustração: Não é permitido entrar na água. Provavelmente é assim que conseguem manter essas águas cristalinas e protegidas. Mas não se preocupe, o que não falta na Croácia são águas de cor azul-turquesa para um banho!

croacia 2

Essa foto não consegue capitar nem uma parcela do que está acontecendo. Você vê as cachoeiras por todos os lados inclusive essa que passa por baixo e entre seus pés. Observe a cor verde da água brilhando com os raios de sol lá embaixo.

croacia 4

De cachoeiras dramáticas a lagos tranquilos, as cores e o cenário não param de impressionar durante as 3 ou 4 horas de caminhada pelo parque.

2. Split

Essa cidade estava nos planos apenas como ponto de partida para as ilhas da costa da Dalmácia, mas ela acabou surpreendendo. Começamos a caminhar durante a noite seguindo o movimento de pessoas e as luzes que iluminavam paredes de aparência milenar ao longo do porto. Acabamos entrando numa espécie de cidade murada bem perto da costa e nos surpreendemos com o movimento de gente, concertos, bares e restaurantes funcionando em contraste com aquele espécie de museu a céu a aberto. Estávamos sem saber, dentro de um palácio romano construído à uns 1800 anos anos atrás! No dia seguinte quando comíamos alguma coisa do lado de fora ao longo de seus muros, encontramos por coincidência andando a esmo, meu amigo Júlio com quem estudei na UFMG. O plano era encontrar com ele apenas no próximo destino, a ilha de Hvar.

 Palácio de Diocleciano

Interior do Palácio de Diocleciano. Uma verdadeiro labirinto todo murando onde pessoas vivem, comem, cantam, dançam e divertem os turistas.

3. Ilha de Hvar.

Quando chegamos nessa ilha e desembarcamos na cidade de Hvar, o movimento de gente, as músicas e as festas rolando no meio do dia quase nos impediram de perceber que estávamos com os pés numa cidade medieval. Hvar town é talvez a cidade mais animada das ilhas croatas e pensávamos que tínhamos reservado um apartamento ali mesmo até que descobrimos que não, ainda tínhamos que tomar um ônibus por 30 minutos para chegar ao nosso destino. Sem saber muito o que nos esperávamos quando chegamos na cidade de Stari Grad, o significado do seu nome fez todo sentido: Uma verdadeira “cidade velha”! Sem saber ficaríamos hospedados na cidade mais velha da Croácia e uma das colônias mais antigas de toda a Europa! Ela tem sido habitada desde que os colonizadores gregos chegaram por lá por volta de 384 AC.

construções em Stari Grad, Hvar, Croácia

As ruelas medievais de Stari Grad, Hvar e suas construções em pedras brancas fazem o charme da cidadezinha.

O centro de Stari Grad e sua marina, Hvar, Croacia

O centro de Stari Grad e sua marina

velhinha descansando em um banco na cidade de Staria Grad, Hvar, Croácia

Acho que de todas as fotos que tirei da cidade, essa talvez é a que melhor capta a essência dessa cidadezinha medieval

Alugamos um carro em Stari e Grad e fomos explorar a ilha. Essas construções estão entre a montanha e o mar na ilha de Hvar.

Alugamos um carro em Stari Grad e fomos explorar a ilha. Essas construções estão entre a montanha e o mar na ilha de Hvar.

Praia na ilha de Hvar,  Croacia

Alguns minutos de caminhada ao longo das pedras te leva a praias como essa. Pena que não são tão secretas assim! Hvar, Croácia

Hvar, Croácia

Parecem paraísos privados não? Hvar, Croácia

  4. Korcula:

Bem pertinho do continente essa é uma outra cidade protegida por muros históricos na ilha de mesmo nome. Chegamos lá sem saber onde nos hospedar, se quiser saber mais sobre essa aventura clique aqui.  Foi daqui que escrevi esse post sobre “estar presente quando o ritmo da viagem está frenético” enquanto o visual da ilha tentava me desconcentrar. Observe essas fotos e tire você mesmo suas conclusões:

Praia em Korcula

Uma das prainhas ao longo da cidade de Korcula

Outra prainha e a marina de Korcula na Croácia

Outra prainha e a marina de Korcula na Croácia

 

Guarda-chuvas, Korcula, Croácia

Esses guarda-chuvas estavam expostos bem ao lado do apartamento que alugamos na ilha, mas só os vimos no último dia! Esquecer de olhar para todos os lados pode te fazer perder surpresas e fotos bacanas nas viagens! Eu pendurado em um deles numa foto do Instagram!

5. Dubrovinik

Essa cidade é a pérola do turismo da Croácia e não por menos. Todos os adjetivos, cores e história que vimos nas ilhas e lugares anteriores são extrapolados nessa cidade. Não parece ser à toa que parte de Games of Thrones, um seriado que se passa nos tempos medievais, foi gravado entre suas fortalezas e construções ancianas. Por mais que seja a cidade mais cara da Croácia é imperdível conhecê-la mesmo que o orçamento esteja apertado!

Dubrovinik, Croacia

Essa é a praia mais perto da cidade velha e aparentemente a mais popular

dubrovinik praia beach

A mesma praia vista de outro ângulo com a vista da cidade murada de Dubrovinik ao fundo.

croacia 20

Para ter esse visual você pode pagar uns 20 euros para subir de teleférico ou fazer como eu, subir por essas trilhas a pé mesmo! Eu tinha um pouco mais de uma hora para subir e descer correndo (pondo os bofes para fora) para encontrar meus amigos que preferiram andar pelo topo das muralhas da cidade velha. (Que tinha que pagar e o vagamundo mão de vaca aqui preferiu o que era de graça mesmo)

Algumas dicas para a sua visita e uma ideia de roteiro para estadia de uma a duas semanas:

A melhor época para visitar a Croácia é entre Abril e Setembro e existem diversos voos para a capital Zagreb, Split e Dubrovinik de várias cidades europeias. Para se locomover entre Split; as ilhas como Hvar e Korcula; e Dubrovinik existem diversos serviços de balsa para o translado. Os lagos Plitvice ficam de 4 a 6 horas de ônibus de Split e de 2 a 3 horas  da capital Zagreb.

Um roteiro bom e econômico para quem começa na capital Zagreb é pegar um ônibus de manhã bem cedo para o parque e assim que chegar lá comprar a passagem de ônibus para o mesmo dia partindo para Split pela tarde. Ao redor do parque Plivtice não tem muito o que fazer e as acomodações não são muito econômicas.

1, 2 ou 3 noites em Split podem ser o suficiente para então pegar uma balsa até Hvar e lá passar pelo menos 2 noites (em Hvar ou Stari Grad, aconselho alugar um carro para explorar a ilha).

De Hvar, uma balsa para Korcula, 1 ou 2 noites de estadia no mínimo antes de seguir para Dubrovinik também de balsa e aproveitar o resto da viagem (2 notes no mínimo). Dica de acomodação barata: Botel Dalmatia, um barco transformado em hotel estacionado um pouco afastado da cidade histórica. Nesse post conto os desafios de buscar por acomodação barata no pico da temporada de verão.

Se tiver mais tempo e vontade de conhecer outros países e lugares aconselho seguir de Dubrovinik para Kotor no Montenegro e/ou Mostar na Bosnia e Herzegovina.

Esse post é uma adaptação do meu texto no vagamundagem: Croácia o país perfeito para suas próximas férias. [hr]

Comentários? Dúvidas? Escreva aqui embaixo!