Viña del Mar: o paraíso chileno

A maioria das pessoas quando escolhem seus destinos turísticos de férias acabam por pensar em destinos europeus ou a clássica Disney. Mas, às vezes, é melhor fugir do clássico mainstream e aproveitar preços mais em conta e destinos tão legais quanto  – ou às vezes até mais. É o caso deste local que vamos falar um pouco hoje, Viña del Mar, no Chile.

Fundada no final do século XIX por José Francisco Vergara – proprietário de duas fazendas existentes ali no local – a cidade conta com vários destinos turísticos e bastante história. Uma dessas fazendas se chamava justamente Viña del Mar. Após um terremoto no início do século passado, boa parte das famílias que viviam na fazenda ao sul – Las Siete Hermanas – se mudaram para o norte, distante apenas nove quilômetros.  Falando em distância, a cidade está pertinho de Santiago – capital chilena: cerca de uma hora de carro. É um dos típicos destinos de quem vai a Santiago, haja vista que se gasta menos tempo nesse bate-volta do que num tour pela capital (e é muito mais interessante poder visitar outro local).

Praias e outras atrações

Viña é discutivelmente um dos destinos preferidos dos turistas do Cone Sul e é conhecida como “a cidade jardim” (já explicaremos). Sendo um destino assim, a cidade é também um típico município que tem sua economia em sua maior parte baseada no turismo – com efeito, há uma ótima estrutura de gastronomia, hotelaria e etc numa cidade planejada (os edifícios históricos estão plenamente harmonizados com os modernos que se localizam nas orlas das praias). Falando nelas, são 3,5km de praias – sem contar aquelas que ficam fora do perímetro da cidade.

Muitos pensam que por estar no sul da América do Sul, Viña del Mar é uma cidade gelada. Mesmo estando na parte das águas geladas do Pacífico, o clima de balneário não deixa a cidade ao longo do ano. Conquanto a temperatura média fique entre 10 e 22ºC no verão, em dias ensolarados ela passa facilmente dos 30ºC – temperatura ideal para praia, convenhamos. No inverno, porém, vale avisar que as temperaturas ficam em média abaixo dos 10ºC, sendo um inverno bastante rigoroso. Não precisamos avisar, com efeito, que é preciso fazer reserva adiantada para o verão, dado que no inverno a cidade fica bem mais vazia.

O Castelo Wulff é uma das atrações históricas de Viña del Mar

Por fim, vale a pena falar de eventos turísticos que ocorrem na cidade anualmente – outros pontualmente, contudo. Isso se deve principalmente à vocação turística da cidade – por conseguinte, fica mais fácil atrair mais pessoas para tais eventos. Os destaques vão para o Festival Internacional de La Canción, que acontece em fevereiro, e o Festival de Cine de Viña del Mar, em novembro.  O primeiro é um dos mais importantes festivais de música em língua espanhola. O segundo é um celeiro de filmes no cone sul – cuja indústria cinematográfica está há muito avançada. Além disso, neste ano ocorrerá mais uma edição (em março, no fim do verão) do PokerStars Latin American Poker Tour. Trata-se de um dos eventos de um tour de poker estritamente latino-americano e com sedes apenas latino-americanas – ocorrem outras versões do evento na Europa e na Ásia, por exemplo, com sedes locais. No caso do LAPT, Viña del Mar é uma das sedes justamente por seu potencial turístico –  a exemplo de outras sedes, como as Bahamas e Punta del Este.

Cidade Jardim

Por ser uma cidade planejada, Viña del Mar tem uma preocupação extra com o urbanismo e com a vegetação que encobre a cidade. Não a toa recebe o apelido de Cidade Jardim. Logo na entrada da cidade você já consegue ter contato com isso, dado o Reloj de Flores, sempre cercado de turistas e que é com certeza um dos pontos turísticos da cidade. A cidade também conta com um Jardim Botânico – algo notável para um município de 300 mil pessoas.

Outro destaque – mas este deve dar um trabalho extra para se visitar, dado que está a 40km da cidade – é o Parque Nacional La Campana. Ele foi visitado pelo cientista Charles Darwin. À época, Darwin definiu o morro La Campana como um dos locais com mais diversidade de fauna e flora dentre todos que o cientista visitou. Obviamente o período mais apropriado para visitas é na primavera, dado que no verão há risco de incêndios florestais – cuidado com isso.

De uma forma ou de outra, vale a pena dar uma passada em Viña caso você esteja em Santiago a turismo ou se arranjar um tempo a trabalho. Não irá se arrepender.

 

Imagens: Reprodução.