Final de Semana em Viena com – Roteiro completo para viajar a capital da Áustria

Foi demais voltar a cidade de Viena durante a época de festas natalinas. Mesmo tendo conhecido a capital austríaca durante o verão, fiquei impressionado com sua beleza durante o inverno. Parece que tudo fica mais “mágico”. As carruagens circulando pelas lindíssimas ruas, entre prédios de estilo imperial, cheio da pompa, bem como os figurantes, que encarnam grandes artistas da música clássica europeia, como Mozart, Vivaldi ou Strauss. Tudo isso faz parecer com que voltemos no tempo. Aliás, Viena é a única cidade onde uma carruagem no meio da rua NUNCA estará fora do contexto.

Onde ficar: Conheci nesta viagem dois lugares bem diferentes: um é uma rede de albergues chamada Wombats. Um dos melhores em que já fiquei. O outro, um hotel 5 estrelas, famoso (que por sinal tem um delicioso café logo na entrada), o Imperial Hotel. Ambos excelentes, mas diria que o Imperial é legal com família (e dinheiro) e o Wombats pra jovens que curtem um agito com preço justo.

O que fazer? Dessa vez, tive a honra de receber um roteiro da Vivi. A Vivi morou em Viena durante seis meses, então CLARO que além de ter usado boa parde de suas dicas, fiz questão de trazer o MELHOR que achei da cidade, baseando-me nas dicas dela e nas minhas experiências pela capital europeia de música erudita.

IMG_3586

Sobre os palácios: Vá ao maior palácio da cidade, o  SCHOENBRUNN (que é o mais afastado, mas demora uns 20 minutos de metro pra chegar). Pegue a linha verde (U4) e desça na estação de mesmo nome. As fontes não vão estar congeladas no outone, mas acho que o jardim não estará no seu auge por ser outono ou inverno, mas não deixa o lugar menos bonito, apenas com outra atmosfera. Tem um jardim “labirinto” e um zoológico lá também, mas o legal mesmo é andar pela área e subir um morrinho, onde vc vai sentar na grama e ter uma visão de Viena… podem até levar uma toalha e alguns petiscos para fazer um mini piquenique lá em cima, com a vista da cidade inteira (isso se o tempo permitir, claro). Ah! Lembre-se de olhar sempre a previsão do tempo. As últimas duas vezes que estive em Viena peguei apenas UM único dia de sol, e vários de chuva, por isso, um guarda chuva nas estações mais frias pode ser uma boa pedida.

O palácio Belvedere é menor e não é nada demais, é divido em 2 “casas” (Obere e Untere Belvedere). O jardim é lindo, e hoje em dia esse palácio é um local de exposições. Por isso, verifique qual exposição vai ter lá! A Vivi comentou que foi a exposição do Klimt, mas eu optei por curtir os mercados de natal, já que tinha apenas 3 dias na cidade, mas sobrando tempo, vale, sim, a pena.

O palácio do centro é o Hofburg e possivelmente vai passar por ele todo dia… as exposições que têm dentro deste palácio são de coisas (roupas, utensílios, fotos, história) dos Habsburg (família do império austro-húngaro). O Sissi Museum é legalzinho também,  ele conta a historia da Kaiserin (todos são apaixonados por ela), mas é BEM dispensável… não aconselho perder o tempo em nenhuma dessas exposições caso não tenha interesse neste assunto (é bem turístico, e na verdade você só vê talheres, mesas, porcelanas, roupas…).

Outros pontos turísticos:

Stephansdom: No centro tem a Stephansdom (catedral) que fica na Stephansplatz , um centrinho “menor” de compras e é muito gostoso de andar e tudo mais. Vale muito a pena dar uma conferida na Stephansdom. No lugar rola uma iluminação psicodélica na catedral, e a projetam para fora durante a noite.

Oper + Sacher Torte no Sacher Hotel Café: a ópera de Viena é linda e fica bem no centro, no Ring. Tem uma estação de metro na frente e não precisa nem ficar até acabar se você não gostar da programação do dia. Tem os tickets caros, mas tem uns bem acessíveis de 20 e até 10 euros. Nada mal pra curtir boa música num lugar lindo desses! Mas a dica de ouro pra quem não curte ópera ou quer apenas dar uma espiadinha lá dentro são os “standing tickets” que são vendidos 2 horas antes de cada apresentação lá na própria ópera e custam no máximo 4 euros! Para comprar os “standing tickets”, faça fila num guichê que tem do lado esquerdo da entrada da ópera. Vc fica no topo do teatro e de pé, é claro, mas tem uns lugares pra apoiar. É legal comprar esses ingressos so pra ver o lugar e assistir um pouquinho da peça e depois ir embora. Mas com certeza se tiver tempo e gostar de ópera, compre um assento mesmo.

Saindo da opera: ir ao café do Sacher Hotel (fica na próxima esquina a direita, saindo da ópera) e experimentar a torta de chocolate mais famosa e tradicional da cidade, a Sacher Torte – mas QUAL não foi minha surpresa ao pagar 5 Euros por um pequeno pedaço de torta de chocolate com geléia de damasco. Nada como um bom marketing pra me seduzir hahaha (bem que a Vivi me avisou: “não crie muita expectativa, nada mais é do que uma torta de chocolate com geleia de damasco”). hahaha 😛

IMG_3529 IMG_3574

ROTEIRO DO PASSEIO NOTURNO E DIURNO DOS SONHOS – A PÉ: 

Viena é uma cidade extremamente “andavel” – e eu amo lugares assim. Sem brincadeira, faça isso que estou prestes a contar. Dica da Vivi que eu assinei embaixo. FAÇA. Desça na estação Rathaus do metro e vá para a frente da Rathaus (“prefeitura”- vc vai ter que andar uma ou duas quadras, mas é só olhar pra cima e ver uma torre alta e pontuda. Lá é a prefeitura e é bem bonita. No inverno, tem pista de patinação no gelo e barracas de vinho (na verdade isso já começa no final do outono). Tem um parque pequeno na frente. Chegando lá, vire as costas para a Rathaus e siga a direita, andando pela avenida (o Ring). Vc passará pelo parlamento, que é bonitinho também, e tem uma estátua de ouro na frente, mas nada para fazer lá dentro.

Durante essa caminhada o Volksgarten vai estar a sua esquerda, e lá tem um jardim com milhares de flores, e rosas de todas as cores! é lindo, mas se vocês olharem do portão e não verem que está florido, não precisa perder muito tempo ali que não tem nada demais… continue andando e vc vai chegar no Hofburg! De uma passada lá, ande pelo jardim, veja como ele é lindo. O gramado costuma ficar cheio de gente lendo, conversando, etc.

Aiiii, voltem para a avenida da qual vocês vieram, o Ring.

Saindo do Hofburg em direção ao Ring, vcs verão um jardim numa praça, que é a Maria Theresien Platz… de cada lado dessa “praça” tem um prédio simétrico ao outro e são dois museus bem legais. Eu fui no da esquerda, que é o Kunsthistorisches museum (museu da história da arte), e ele é bem geral, mas n tem nenhuma obra mega famooosa nem nada do tipo, mas é lindo por dentro (um dos museus mais bonitos que ja fui) e eu gostei bastante da exposição sim.

Enfim, atravessem essa praça e cheguem no meu lugar predileto em Viena, o Museumsquartier!!!

Sou apaixonada por esse lugar! É um complexo de museus que tem uma praça no meio, com uns cafés, um restaurante, uma fonte e uns bancos lindos… todos os jovens se reúnem nesse lugar a noite, como “esquenta” pra balada, no final de semana fica lotado, e ali é um bom lugar para descansar um pouquinho.

Vejam qual exposição agrada mais e não percam! Destaque para o Leopoldmuseum e para o Kunsthalle (eu escolheria uma exposição em algum desses dois). O MOMAK é bem famoso, mas ele estava em reforma na época em que morei lá, então não sei opinar sobre ele. Enfim, a atmosfera nesse lugar é demais. Aproveitem que tem um Vapiano (ver abaixo onde eu falo de comida) na rua Theobaldgasse, e almoçem por lá!

Prater: O Prater é um parque e um parque de diversões antiguinho e bem bonitinho, mas nada que vá valer a pena perder muito o tempo… a não ser a roda gigante no por do sol!!! Passeio romantico e levemente clichê, mas recomendo! Tem uma vista linda da cidade. Não precisa pagar p entrar no parque, pode ir la so pra passear…

Compras: Mariahilferstrasse. Mas ela é gigantesca, então desça no meio dela, lá pelo metro Neubaugasse ou Zieglergasse (linha laranja).

COMILANÇAS:

1-)Vcs não podem perder o Wurst (“salsichão alemão”) que é vendido numas barracas de rua que ficam nas travessas da Stephansplatz – pode comer que “é limpinho” kkk;

2-) O melhor Kebab pelas ruas/metros de Viena! SÉRIO, até EU comia o kebab das ruas, e é demais e é limpinho também. Dica: pedir sem pimenta (“ohne scharf” – que se fala mais ou menos “ône charf”);

3-) o prato mais tradicional é o wiener schnitzel, que é só uma bisteca a milanesa, então não é grande coisa;

4-) Restaurantezinho Nordsee (tem em vários lugares), é bem gostoso e não é tao caro, tem peixes etc mas não é para um jantar – é uma alternativa mais saudável pra um fast food, por exemplo.

5-) VAPIANO!!! Tem alguns na cidade, mas é meu predileto! preço super honesto e o carbonara de lá é simplesmente o melhor que já comi!

6-) doceria Demel. Fica na Kohlmarkt 14, experimentem uma das tortas (a mais famosa chama Anna Torte). Uma boa idéia é passar nessa doceria depois de visitarem a Stephansdom, pois é nas redondezas.

7-) Naschmarkt = o Naschmark é um mercado  que fica perto do Karlsplatz, e durante a semana é legal pra tomar um café da manha etc, mas é um mercado de rua normal, sabe, como uma grande feira mais organizada. MAAAS a noite, numa das pontas dele (não me pergunte qual!) abrem pequenos restaurantes muito charmosos e com preços beeem acessíveis! E uma cozinha mais contemporânea, tem várias opções, é muito legal e muito gostoso! Esses restaurantes são frequentados pelos locais e foi um “achado” pra mim! Se informem melhor da localização (e se funciona no outono também) no hotel que não tem erro!

😎 Café Sperl na Gumpendorfer Strasse, 11 – o café mais tradicional de Viena! Parada obrigatória para um café da manhã ou chá da tarde.

Baladas: Eu não sai em baladas, mas a Vivi disse que supostamente a mais top chama Passage, mas eu não foi e tem muita gente metidinha pelo que falaram. Volksgarten, evite.  A Pratersauna mas é bem alternativa, mas legal! Uma boa opção tambéml é o Palais Kinsky, mas é mais normal mesmo, e a Flex é muito boa! Tem uma musica eletrônica mais pesada mas é bem legal. A Fluc é BEM alternas e é literalmente underground.

Espero ter ajudado, e fiquem a vontade para mandar mensagens (até mesmo lá) para perguntar mais detalhes, etc!

 

Roteiro baseado em minha viagem com as dicas recebidas por Viviana Moreira