"Se eu pudesse, iria pra qualquer lugar" – Você pode, mas não sabe

Foto: Magdalena Wosinska/Corbis
Foto: Magdalena Wosinska/Corbis

Ontem mesmo eu estava falando com uma amiga sobre viagem (como não, né? É um assunto recorrente na minha vida, diga-se de passagem) e, pensando em qual poderia ser nosso próximo destino, ela brincou “vou pra qualquer lugar”. Naquele momento, dei risada.

Agora, pensando melhor, acho que ela falava sério.

Acho, na verdade, que ela falava tão sério, que nem ela percebeu, porque também deu risada depois. Talvez a maioria das pessoas falem isso e nem percebam o quão realmente sério pode ser o que estão dizendo. E afirmo “a maioria das pessoas”, porque sei que não são poucas as que dizem frases como essa todos os dias.

Pelo menos uma vez por dia, ouço coisas como “ai, que vontade de estar viajando agora”, “queria estar em qualquer lugar do mundo que não fosse aqui”, “que inveja raiva dessas pessoas que estão viajando e ficam postando foto, enquanto eu to aqui, trabalhando” ou “se eu pudesse, largaria tudo e iria viajar” (ontem mesmo eu falei essa).

Com o parágrafo anterior concluímos que: vontade é o que não falta.

Então sabe o que falta? Atitude. Falta menos falar e mais fazer. Falta enfiar na cabeça, de uma vez por todas, que você pode SIM largar tudo e ir viajar. Você pode sim ser a pessoa que tira fotos e posta e faz inveja a todos os que estão trabalhando. Acontece que você não é tão maluco (a) e não quer correr riscos.

Porque você sabe que, se fizer isso, poderá: a) perder o emprego; b) perder o salário; c)… Não pensei na terceira possibilidade, mas aqui cabe qualquer um dos motivos pelos quais as pessoas “racionais” não cometem uma loucura dessa.

O que eu quero dizer com tudo isso é que poder, você pode. Então, em vez de reclamar da rotina e clamar por uma viagem, já vá programando suas próximas férias. Pense em algum lugar legal que gostaria de conhecer, pesquise as opções de hospedagem, os preços, os gastos com a viagem. Programe-se! Já que você é um ser puramente racional e não maluco, este verbo deve ser o seu preferido.

Se você quiser, inclusive, temos várias e várias dicas aqui no blog. Dos lugares mais tranquilos aos mais badalados, passando pelos mais inusitados, espalhados pelos quatro cantos do planeta (mesmo que o planeta não tenha exatamente “cantos”. Você me entendeu).

Caso contrário, pode ser que, em plenas férias, você continue exalando frases como aquelas do início, como se estivesse ainda trabalhando.

Posts Relacionados