Como ir e o que fazer em Santiago: Capital europeia na America Latina


   Se você sobreviveu a turbulência, a viagem ao chile já começa com o deslumbramento perante as Cordilheiras dos Andes. A vista é realmente maravilhosa,  e chegando ao aeroporto, nota-se boa organização e receptividade do povo chileno perante o estrangeiro.
Centro de Santiago
  Saindo do aeroporto, lembrei-me muito de Bucareste, na Romênia, onde o excesso de taxistas e os motoristas de vans e translados na saída do aeroporto garantem que qualquer turista se assuste e se sinta no mínimo violado, e exatamente por isso, recomendo que leia um pouco sobre como ir do aeroporto até o centro de Santiago.
Os Andes pela janela…

A dica pra ja economizar uns 20 mil ,ou até mais pesos, é tomar o ônibus da TourBus ou da Centro Puerto até a estação de metro Pajaritos e de la seguir até seu destino!

Casa da Tati!

No meu caso, o destino final era a cidade de Valparaíso, onde iria encontrar uma grande amiga que conheci quando morava no Canadá.

No meu caso, a bateria do celular acabou (ah, que INESPERADO!), e lá estava toda a informação de como chegar até meu destino final.  Mas para minha sorte, encontrei dois chilenos muito bacanas e um me deu até o seu blackberry pra eu pegar o telefone da Tati ( minha ex professora de marketing) que mora em Santiago, e assim ela me resgatou e passamos a tarde jogando conversa fora e rindo bastante com seus vizinhos chilenos enquanto observávamos as cordilheiras em seu “quintal”.

Plaza de Armas

 De lá, parti para o International Hostel Santiago, na rua Cienfuegos, 151 e encontrei a Lauren que ia me garantir um show de risadas nos próximos dois dias. Além da minha mais nova amiga canadense, Lauren, encontrei também um casal de brasileiros, que após 10 dias na Argentina vieram para o Chile conhecer santiago.

    No dia seguinte, partimos para o Free Tour de Santiago. Eu sei que sou suspeito, mas recomendo (e muito) o tour e o guia: Felipe. Um chileno bem hippie e que entende tudo da historia de Santiago.

Monumento a Pedro de Valdivia

Durante o tour de quase 4 horas, recorremos:

Plaza de Armas, Catedral, Municipalidad, Correos

(Praça principal da cidade, catedral e os correios)

Museo de Arte Pre-Colombino (Museu de Arte Pré Colombiana)

Antiguo Congreso (Congresso antigo)

Corte Suprema (Corte Suprema)

Palacio La Moneda (Casa da Moeda)

Bolsa de Comercio 

Teatro Municipal

Cerro Santa Lucía (Morro Santa Lucía)

Barrio Lastarria 

Museo de Bellas Artes 

Parque Forestal 

Plaza Italia 

Barrio Bellavista 

Casa de Pablo Neruda 

Cerro San Cristóbal (Morro de San Cristóbal)

E você ainda pode degustar o famoso Pisco chileno e o “mote con huecillo” que com certeza vale o pena!
Pisco Chileno (Foto: Reprodução)

O Pisco trata-se de uma forte combinação de uvas incolores, que foi desenvolvida na Espanha no seculo XVI. Tanto o Peru quanto o Chile se dizem verdadeiros “donos” da bebida. Muito se discute sobre as raízes do pisco, mas, na realidade, enquanto pudermos bebê-la, quem se importa com sua real origem?

   Não esqueça de subir no cerro são Cristóvão e cerro santa Lucia, se o tempo estiver bacana. Lá de cima, Santiago fica maior ainda!! A cidade é realmente linda, limpa e organizada. Fiquei surpreso ao compara-la com alguns dos países que já conheci na América Latina. Fica fácil dizer que é a Capital mais “europeia” (com uma FORTE mentalidade de consumo americana) que conheci.

Santiago do Alto! (Foto: Reprodução)

A vida noturna fica por conta do bairro Bellavista, onde a festa vai até o sol raiar!! Minha sugestão?  Tire uma noite para curtir o ritmo latino da Maestra Vida”, onde até os baristas dançam com a animada musica ao vivo.

Mais sugestões:

E você? Já foi pra Santiago? Tem dicas legais de lá ou gostaria de ver dicas sobre algum destino especial? Manda um e-mail pra mim contato@estevampelomundo.com.br ou me segue no Instagram: @lucasestevam_ será um prazer falar de viagem com você!

Por Lucas Estevam