Em Busca do Vale Encantado Californiano – Yosemite e suas belezas

Se você gosta de fazer trilhas, escalar, de acampar e de ficar perto da natureza, o Yosemite National Park é uma visita obrigatória para você!

O Parque Nacional localizado na Califórnia é um dos pontos turísticos mais visitados pelos americanos e também por estrangeiros durante as férias de verão que vai de Maio à Agosto.

Eu visitei o Parque em Agosto de 2013 e tive uma experiência incrível, mas admito que poderia ter sido melhor ainda se tivesse me planejado mais.

Esse imenso parque escavado por geleiras no centro-oeste da Califórnia, ocupa uma área de aproximadamente 3 000 km² com inúmeras montanhas, penhascos e cachoeiras. O parque é enorme mas as principais atrações estão localizadas no Vale de Yosemite, que recebe quase 4 milhões de visitantes todos os anos.

Vale do Yosemite visto do mirante Glacier Point. À esquerda está o Half Dome, uma daas principais atrações para os amantes da escalada. À direita estão as principais cachoeiras de Yosemite, Vernal and Nevada Falls.
Vale do Yosemite visto do mirante Glacier Point. À esquerda pode-se ver o Half Dome,  uma das principais atrações para os amantes da escalada.

Antes de ir para o parque, a primeira coisa que você precisa fazer é reservar um hotel ou um camping. Apesar do frio e da simplicidade, eu particularmente acho que acampar te proporciona uma experiência muito mais bacana e legítima de estar em contato com a natureza. Atenção, faça a sua reserva com pelo menos 6 meses de antecedência. Assim você consegue escolher um camping por preço mais barato e  melhor localizado. Para os despreparados, existem acampamentos onde o primeiro a chegar é o primeiro a ser servido, mas eu não contaria com a sorte.

O nosso acampamento em North Pines. O lugar é muito bacana, tem um banheiro comunitário e eles também oferecem um grelha.
O nosso acampamento em North Pines. O lugar é muito bacana, tem um banheiro comunitário e eles também oferecem um grelha.

Fiz a reserva para meus amigos e eu com dois meses de antecedência, e acabamos ficando uma noite no “North Pines” camping, localizado no vale do Yosemite, e duas noites no acampamento Tuolomne Meadows, que fica a mais ou menos 1h30 do vale. Nos dois lugares gastamos mais ou menos $10,00 por noite por pessoa. Se você não tiver os equipamentos para acampar, não se preocupe, existem lugares que oferecem tendas normais e até tendas com aquecedor.

Os dois sites abaixo são ótimos para ter uma noção da localização e disponibilidade dos acampamentos:

Recreational.gov
Yosemite Park

Foram mais ou menos 4 horas e meia de viagem de Reno até Yosemite, mas no meio do caminho não faltaram lugares para parar e tirar foto.

Foto tirada na estrada poucos minutos antes da chegada ao Parque Nacional de Yosemite, Califórnia, em Agosto de 2013.
Foto tirada na estrada poucos minutos antes da chegada ao Parque Nacional de Yosemite, Califórnia, em Agosto de 2013.

Chegando lá, já encontrei o meu primeiro desafio: montar a barraca! Eu nunca tinha acampado antes e não tinha muita idéia de como tudo funcionava. Depois de levantar acampamento foi a hora de fazer a fogueira porque sim, lá faz muito, muito frio à noite. Depois de uma hora, e com a ajuda de nossos vizinhos, conseguimos a façanha.

Se você está pensando em como se faz para tomar banho…Digamos que essa não é uma prioridade quando se está acampando. Alguns campings possuem chuveiro mas como o nosso não tinha, tomamos banho à moda antiga mesmo, no rio!

Comida é um fator muito importante quando se vai acampar. Tente levar coisas práticas que não exijam que se suje muito, como sanduíches, bolachas, e etc. A vantagem de se levar isso é que você também pode levar lanches para comer durante as trilhas que duram de 3 até 14 horas. Ah, não se esqueça de levar pelo menos uma garrafinha de água com você.  Conforme você vai subindo a montanha, a altitude é maior, e é importante se manter hidratado.

Essa foto foi só o começo da trilha!
Essa foto foi tirada no começo da trilha porque no final a cara já era outra, haha.

Durante a noite a comida e os produtos perfumados (sabonete, shampoo, papéis de bala, e até bebidas enlatadas e fechadas) devem ser guardados em um armário (bem resistente) a prova de ursos! Sim, eu disse ursos.  Por possuírem o olfato muito aguçado, após o entardecer, eles aproveitam pra ver se alguém esqueceu algo do lado de fora das barracas para comerem. Os números de incidentes não são tão altos assim, mas alguns até tombam e arrombam carros. O assunto é tão sério que na segunda noite os guardas do parque nos acordaram ás 2h00 da manhã porque deixamos latinhas de cerveja e refrigerante num cooler fora do armário. Levamos a maior bronca!

Obs 1:  Nós não sabíamos que os ursos conseguiam sentir o cheiro da bebida através das latas.
Obs 2: Graças a Deus não vi nenhum urso.

Na sexta-feira fizemos a Mirror Lake Trail. Leva mais ou menos três horas para realizar a volta inteira da trilha que é fácil, sem muitas subidas ou inclinações. A trilha é famosa por seu lago, que reflete (por isso o nome, “espelho”) o pico do Half Dome (a atração principal do local), e que proporciona uma vista incrível do Tenaya Canon e do Washington Column. Infelizmente, quando eu fui, o lago parecia mais uma poça d’água e não deu para aproveitar tanto.

O Mirror Lake estava vazio mas a vista ainda assim foi de tirar o fôlego.
O Mirror Lake estava vazio mas a vista ainda assim foi de tirar o fôlego.

No terceiro dia, fizemos uma das trilhas mais famosas do vale, a Mist Trail. O nome “Mist” é dado devido ao nevoeiro que se forma quando as cachoeiras estão muito cheias.  Apesar delas não estarem tão cheias por ter sido final do verão, os cenários são maravilhosos e valem muito a pena! A trilha pode ser 5km ou 11 km, dependendo até qual cachoeira você deseja chegar.

Visão da primeira cachoeira da trilha, Vernal Falls, com os seus 96 metros de pura beleza.
Visão da primeira cachoeira da trilha, Vernal Falls, com os seus 96 metros de pura beleza.
Pela foto, a pedra parece estar distante da cachoeira (Vernal Falls), mas você sai de lá  molhado de tão forte que a queda d'água é.
Pela foto, a pedra parece estar distante da cachoeira (Vernal Falls), mas você sai de lá molhado por causa da força da água.

Depois de 1 hora de caminhada, bem íngrime, precisamos fazer um pit stop. Nada mal comer um lanchinho com essa vista…

Vernal Falls vista de lado. Olha esse arco-íris!
Vernal Falls vista de lado. Olha esse arco-íris!
Depois de pegar uma escada e chegar ao topo da cachoeira, você se deparava com esse cenário.
Uma parte do vale vista do topo da primeira cachoeira da Mist Trail.

Como decidimos ir até o topo da Nevada Fall, andamos mais 3.0 km com direito a mais algumas paradas.

Parte da queda d'água da Nevada Falls. No final do verão as cachoeiras já não estão tão cheias, o que possibilita os visitantes de se refrescarem.
Parte da queda d’água da Nevada Falls. No final do verão as cachoeiras já não estão tão cheias, o que possibilita os visitantes de se refrescarem.

 

Meu amigo Christian, Eu, e a Nevada Falls ao fundo. Pra mim, uma das vistas mais bonitas da trilha.
Meu amigo Christian, Eu, e a Nevada Falls ao fundo. Pra mim, uma das vistas mais bonitas da trilha.

Depois de 2 horas, finalmente chegamos! As pernas estavam bambas mas a vontade era de nunca descer de lá…

Topo da Nevada Falls.
Topo da Nevada Falls.

Uma dica sobre a Mist Trail: tente chegar mais cedo no local, porque depois das 11 horas começa a encher muito e aí o passeio já não fica tão legal.

Depois da trilha resolvemos dar um pulo no Glacier Point. No meio do caminho avistamos uns loucos que escalam os penhascos do Vale sem nenhum tipo de equipamento.

Aquele pontinho pequeno, ali, no meio do penhasco, é uma pessoa.
Aquele pontinho pequeno, ali, no meio do penhasco, é uma pessoa.

A gasolina quase acabou mas depois de uma hora chegamos no mirante que fica a 2.200 metros de altura. De lá você consegue ver praticamente o vale inteiro. É simplesmente maravilhoso!

Vale do Yosemite visto do Glacier Point.
Vale do Yosemite visto do mirante Glacier Point.

É, depois de 3 noites mal dormidas e com cãimbra nas pernas eu me despedidi, tristemente, desse paraíso natural que é Yosemite.

Por Luiza Vieira.

 

 

Posts Relacionados