Chegando do outro lado do mundo – Parte 2

Por Paolla Pereira

Para quem gosta de viajar, o outro lado do mundo é logo ali. De verdade, o que são 26 ou mais horas de voo para quem vai aterrissar no Japão?

Agora que você já tem o visto necessário para ir além da imigração japonesa (descubra como aqui) vou te contar as dicas de quem já fez esse caminho algumas vezes e tem algumas manhas do processo todo.

Para chegar até o Japão o meio mais utilizado é o avião (duuuh!!). Mas você sabe quais são as empresas que tem como destino a ilha da magia? Pasme. Muitas! O caminho pode ser feito por diversas rotas e, saindo do Brasil, todos os voos obrigatoriamente fazem uma conexão que dura normalmente algumas horas.

Via Estados Unidos: Quase todas as grandes cias aéreas americanas fazem o trajeto até lá (United, Delta, American Airlines). Deste modo você pode escolher as cidades que deseja conhecer o aeroporto já que vai ter que ficar por lá algumas horinhas.
Geralmente são as opções mais econômicas.

Via Europa: Existem duas opções aqui.

Uma delas é sair diretamente com uma companhia europeia (Air France, KLM, Lufthansa) fazer a conexão em uma cidade europeia e de lá seguir com a mesma companhia ou operado por outra cia.

A outra é viajar com uma cia brasileira no primeiro trecho. Boa parte dos voos via França são operados pela TAM, fazem conexão em Paris e seguem até o Japão em voos operados pela Air France, pela ANA (All Nippon Airways) ou pela JAL (Japan Airlines).
Ambas são japonesas e muito bem recomendadas. Viajei pela ANA e aprovei. O melhor serviço de bordo que eu já experienciei.

Via Doha: Você tem a chance de viajar com a melhor companhia do mundo (eleita por dois anos consecutivos) por preços justos. A Qatar Airways tem sempre ótimas tarifas para voos saindo de São Paulo para a capital, Tóquio. De quebra você tem a chance de aproveitar as aeronaves super modernas e um serviço diferenciado dessa companhia.

Via Dubai: Que tal ver as Palm Islands lá de cima? Essa é uma das opções para o seu caminho ao Japão. A Emirates faz conexão na cidade de Dubai em seu trajeto. Assim como a Qatar, o serviço e as aeronaves da Emirates são super elogiados. As promoções de tarifas para o Japão saltam ao olhos. A única limitação são os destinos. Mas se você vai desembarcar em Tóquio ou Osaka está seguro. Se der sorte ainda pode voar com o Airbus A380, o maior avião comercial de passageiros já construído.

Perca algum tempo pesquisando os melhores roteiros, horários, preços e datas. Vale a pena o esforço.

O caminho até aquele lado de lá é bem longo e rende muitas milhas. Informe-se dos programas de milhagens da sua companhia e cadastre-se. Quem sabe na próxima você não dá um upgrade e vai de primeira classe?!

A maioria das cias aéreas oferecem uma parada longa sem cobranças adicionais. Desta forma você pode “quebrar” a viagem ao meio para que não seja tão cansativa e ainda conhece um lugar novo. Bom demais né? Informe-se com sua companhia.

b7474pkm

imagem da internet

Ok. Você chegou ao Japão. Yokoso! (Seja bem vindo!)

Aqui a maneira mais fácil, rápida, segura e econômica de se locomover são os trens e metrôs. Eles irão de levar de uma ponta à outra da ilha. O Japão não é um país muito barato e isso se aplica também às passagens, principalmente dos tíquetes do trem bala (shinkansen). Mas não se desespere, existe algo criado para revolucionar a vida dos turistas no Japão. É o Japan Rail Pass. Esse tíquete especial só pode ser adquirido por pessoas que estão em visita ao país e pode ser adquirido com 7, 14 ou 21 dias de validade. Durante este período você poderá utilizar TODOS os meios de transportes operados pela JR (Japan Railway Company) ilimitadamente, incluindo os ônibus. Isso significa que pode andar somente de trem bala se você assim decidir. O preço aparentemente não é lá tão barato mas acredite, vale muito a pena se você vai viajar pelo Japão (e por favor, faça isso!). No site você encontra todas as informações. Check it out!

imagem da internet

imagem da internet

Os sites de reservas dos hotéis no Japão nem sempre tem uma versão em inglês, por isso recomendo que as reservas sejam feitas do Brasil, a não ser que você domine o Nihongo (japonês) ou conte com a ajuda de algum japinha simpático. O Booking.com é uma ótima opção para evitar dores de cabeça.

Se você é um viajante que gosta de conhecer novos tipos de hospedagem pode tentar os hotéis cápsula.

imagem da internet

imagem da internet

Já visitou o Japão? Me conta como foi o caminho até lá.

Nos vemos semana que vem! Mata ne! (Até mais!)